Tamanho do texto

De andar em ruas muito cheias, até sentar no chão para comer ou mascar chiclete. Veja o que pode render multa aos turistas ao redor do mundo

Nem tudo são flores numa viagem ao exterior. Você sabia que existem lugares proibidos de ser frequentados e atitudes passíveis de multa em pontos turísticos de diversos países da Europa? E é cada bizarrice, como sentar para comer no chão ou andar em uma rua muito movimentada.

Leia também: Fora do tradicional ! Veja 19 destinos para viajar em 2019

E todos (sim, todos) os turistas estão sujeitos aos inconvenientes das multas em pontos turísticos. No último dia 05 de agosto a atriz e modelo, Heidi Klun, foi multada em R$ 26,5 mil por nadar na Gruta Azul, da ilha de Capri, na Itália. O país, inclusive, é o campeão em multa para turistas.

Para que você não tenha dor de cabeça em sua próxima viagem de férias , o iG Turismo separou algumas atitudes que podem fazer você pode ser multado. Confira:

Tomar banho de sol em Veneza, Itália

veneza arrow-options
shutterstock
Uma das atividades que rende multas em pontos turísticos é tomar sol em veneza

Se você está pensando em viajar para Veneza, na Itália, saiba que é terminantemente proibido tomar banho de sol em público , com trajes de banho. A multa para turista que descumprir essa medida é de 250 euros (aproximadamente R$ 1.103, na cotação atual).

Na cidade também é proibido fazer piqueniques em locais públicos, sentar ou deitar nas escadarias das pontes e entradas de pontos turísticos.

Sentar na escadaria em Roma, Itália

Piazza di Spagna arrow-options
shutterstock
Sentar-se na escadaria da Piazza di Spagna agora é proibido

Assim como Veneza, a cidade de Roma também proíbe que os turistas se sentem nas escadarias da cidade. A famosa Piazza di Spagna tem uma famosa escadaria que dá acesso à igreja de Trinità dei Monti e é proibido sentar-se nos degraus.

De acordo com as autoridades italianas, os “comportamentos abusivos” dos turistas têm estragado os pontos principais da cidade. Por esse motivo, as multas por sentar-se na escadaria, tomar banho em fontes, arrastar malas com rodinhas pelos degraus históricos, passear sem camisa e encostar a boca nas fontes públicas de água, custam de 100 a 400 euros (R$ 443 a R$ 1.772).

Mergulho no Rio Sena, França

piscina pública arrow-options
Divulgação
A prefeitura de Paris instalou piscinas públicas no Rio Sena para diminuir o calor dos moradores

O calor do verão europeu deste ano castigou tanto os franceses que a prefeitura criou piscinas públicas no Rio Sena, em Paris, para que os moradores se refrescassem. O projeto será permanente e faz parte de um projeto de revitalização da cidade.

Porém, se você for visitar Paris e nadar no Rio Sena fora do espaço determinado, pagará uma multa de 15 euros (R$ 66).

Sentar para comer em Florença, Itália

turista sentada arrow-options
shutterstock
sentar-se em soleiras de porta ou no chão da cidade de Florença rende multa aos turistas

É um pouco complicado visitar a Itália. Para as pessoas que estão acostumadas a sentar para comer no chão, saiba que esse ato é estritamente proibido em Florença. O turista que não seguir as regras e se alimentar sentado nas soleiras das portas e em escadas, levará uma multa de 500 euros (R$ 2.203).

Beber em local público em Amsterdã, Holanda

proibido beber em amsterdã arrow-options
shutterstock
Em Amsterdã, na Holanda, é proibido consumir bebidas alcoólicas em público

Assim como em diversas cidades dos Estados Unidos, Amsterdã proíbe o consumo de bebida alcoólica em público. Quem desobedecer pode pagar uma multa de 95 euros (R$ 418).

Andar nas ruas do Red-Light District, quando as mesmas estão cheias, também pode render multa. O valor não é especificado, mas existe um sistema com luzes, tipo um semáforo, que indica se você pode entrar na rua. Vermelho - não pode entrar mais ninguém; laranja - você pode passar, mas é aconselhável esperar o verde, que indica espaço suficiente para pedestres.

A cidade vem sofrendo com o excesso de turistas e impôs muitas regras para “segurar” as visitas, como multa de 140 euros (R$ 617) por desordem e proibição de ônibus turísticos e cruzeiros pela região.

Guardar lugar na praia em Toscana, Itália

praia na toscana arrow-options
shutterstock
Guardar lugar em praia na Toscana é uma das atitudes que rendem multas em pontos turísticos

Na série de restrições da Itália entra a de não poder guardar lugar na praia. Entre a Toscana e a Sardenha o turista que colocar sua toalha na areia para esperar por outra pessoa pode receber uma multa de 200 euros (R$ 881). As praias nesses lugares costumam ser muito movimentadas, por essa razão, guardar lugar é visto como injusto pelas autoridades.

Além disso, levar areia como recordação também tem um valor alto ao turista. Quem for pego pode pagar de 500 a 3.000 euros (R$ 2.203 a R$ 13.223) ao governo italiano.

Pegar pedras em Cornwall, Inglaterra

praia arrow-options
shutterstock
Na praia de Crackington Haven existem placas de proibido levar pedras

Cornwall ou Cornualha (como é chamado em português) é um condado a sudoeste da Inglaterra que abriga a praia de Crackington Haven. Por lá existem muitas pedras e pegar uma delas para recordação pode custar até 1.130 euros (R$ 4.980). No local existem muitas placas de sinalização com o aviso.

Jogar lixo fora da lixeira em Hong Kong

lixeira em hong kong arrow-options
shutterstock
Jogar o lixo fora da lixeira em Hong Kong rende multa pesada aos turistas

Os países asiáticos são conhecidos por sua limpeza. Portanto, é de se esperar que jogar lixo no chão é proibido e rende multa. Em Hong Kong, o turista que sujar as ruas paga uma multa pesada de 1.300 euros (R$ 5.730).

Por toda a cidade é possível ver placas explicando que é proibido. Toda a sinalização é feita em desenhos, ao invés de palavras, porque o governo acredita que é uma forma universal de linguagem.

Comer/beber e dirigir no Reino Unido

dirigir e comer arrow-options
shutterstock
Comer e beber enquanto dirige rende multa no Reino Unido

É de suma importância ter cuidado ao volante, isso em países do exterior como no Brasil. Para que o motorista tenha toda a atenção no que interessa, na estrada, o governo do Reino Unido multa em até 112 euros (R$ 496) os turistas que comerem ou beberem enquanto dirigem.

Falar palavrões em Sidney, Austrália

sidney arrow-options
Getty Images
Falar palavrão em Sidney, na Austrália, está na lista de atitudes que rendem multas em pontos turísticos

Quem é acostumado a falar palavrões não pode visitar a cidade de Sidney, na Austrália. Por lá o turista que for pego falando palavras de baixo calão em público pode ser multado em até 440 euros (R$ 1.949).

Chicletes proibidos em Singapura

masclar chiclete arrow-options
shutterstock
Masclar chiclete em Singapura rende uma multa pesada de até 8.000 euros

Se você está planejando uma viagem para Singapura, tire da sua bagagem os chicletes. Por lá é proibido mastigar e até entrar com o doce no país.

Desde 1992 existe uma lei com essa proibição para evitar o acúmulo dos restos de gomas de mascar nas ruas e estradas. A multa para quem desobedecer é a mais pesada da lista, chegando a 88 mil euros (R$ 389 mil).

Andar sem documento no Chile

passaporte arrow-options
shutterstock
Andar sem RG ou passaporte pelo Chile pode render multa

Por questões de segurança é de suma importância andar com a documentação em mãos quando se viaja ao exterior. Se você esquecer seu RG ou passaporte enquanto estiver no Chile e policiais te abordarem na rua, você estará sujeito à multa e, em casos mais graves, até detenção.

Alimentar pombos em São Francisco, EUA

proibido alimentar pombos arrow-options
shutterstock
Em São Francisco, nos EUA, é proibido alimentar pombos

Leia também: Expectativa x realidade: 11 atrações turísticas decepcionantes pelo mundo

O último alerta para multas em pontos turísticos é para quem for aos Estados Unidos. Se você vai viajar para São Francisco não dê alimento aos pombos. A atividade é ilegal e passível de multa. O governo local aponta que alimentar os animais ajuda a proliferação da espécie e a grande população de pombos têm sido um perigo a saúde dos moradores locais.