A epidemia do novo coronavírus pelo mundo vem assustando diversos turistas que pretendem conhecer novos países, principalmente na Ásia, continente em que concentra a maior parte dos casos da doença.

Leia também: Cama dentro do avião? Companhia inova no conforto dos passageiros

Chinelo, passaporte, uma concha, uma bóia e alguns cartões de viagem arrow-options
shutterstock
Receoso sobre viajar durante o surto de Coronavírus? Veja o que você pode fazer

A preocupação com o coronavírus é tão grande que muitos turistas estão pensando em adiar ou até cancelar suas viagens, com medo que possam contrair a doença em outro país. Quem vive essa situação é Larissa Mendes de Oliveira, analista, 24 anos, que tinha viagem marcada para Tailândia, porém está considerando em cancelá-la por conta do medo da doença.

"Fechei a viagem no começo de dezembro de 2019, na época ainda não se ouvia falar em absolutamente nada sobre o coronavírus", fala Larissa ao iG Turismo .

A Tailândia, destino de férias escolhido pela analista, já confirmou 41 casos da doença*. "Embora a Tailândia esteja entre os principais países de atenção, sempre procuro acompanhar notícias e tenho ligado regularmente na embaixada da Tailândia para acompanhar o estado do país em relação ao surto", afirma Larissa.

A atitude de Larissa, de buscar informações, é a mais correta no momento. Apesar da preocupação com a propagação do coronavírus, os viajantes devem manter a calma e entrar em contato com as empresas onde compraram as passagens, orienta Monica Samia, CEO da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo.

Leia também: Conheça o novo modelo de viagem marítima: o superiate de luxo

Pessoas em um avião aguardando a decolagem arrow-options
shutterstock
Recomenda-se que o viajante entre em contato com a companhia na qual comprou as passagens para obter mais informações

"Os viajantes devem buscar informações de fontes oficiais, para não correr perigo de cair em noticías falsas", ressalta Monica.

"Em países que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de emergência, as providências para o adiamento ou cancelamento da viagem estão sendo sendo tomadas, e cada companhia que vendeu a passagem para o viajante tem um protocolo a seguir. Recomenda-se que o viajante entre em contato com a empresa em que comprou as passagens para mais informações", completa a CEO da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo.

Empresas tranquilizam turistas diante do surto de coronavírus 

Algumas empresas, entretanto, já emitiram comunicados tranquilizando os turistas e oferecendo opções. É o caso do Hurb, o Hotel Urbano.

"Sabemos como uma viagem é um momento importante na vida dos nossos clientes, que envolve um planejamento prévio e uma ansiedade gostosa para o dia chegar. Não queremos que esse momento seja envolto por preocupação e que o cliente se sinta pressionado a viajar mesmo com receio. Por isso, iremos isentar nossos viajantes de pagar qualquer custo ou taxa adicional quando desejarem cancelar ou alterar uma reserva para regiões mais críticas.", declara a COO (Diretora de Operações) do Hurb, Karyna Accioly. 

Leia também: Vai casar em 2020? Veja 7 destinos para passar a Lua de Mel

Para aqueles clientes que optarem por mudar sua reserva, o time de operações da empresa abriu a possibilidade de alterações sem custos, para check in a partir de agosto de 2020. Além disso, existe a possibilidade de o cliente transformar o valor da sua compra em créditos para compras no site ou até ser reembolsado o valor no cartão de crédito.

passageira olhando seu smartphone enquanto voa de avião arrow-options
shutterstock
Mantenha-se informado sobre a situação do coronavírus no país em que pretende viajar

Empresas de cruzeiro também estão preocupadas coma segurança dos tripulantes e turistas e algumas, como a Costa, estão mudando rotas e fazendo um controle rigoroso no embarque

Hotéis asiáticos e Airbnb oferecem opções aos turistas

Além disso, hoteis nas regiões mais afetadas pela nova cepa do vírus divulgaram avisos aos turistas. "Redes como a Ascott, de Cingapura, e a Accor flexibilizaram sua política para hospedagens até o dia 31 de março, permitindo cancelamentos e alterações sem custo nas suas unidades de China, Hong Kong, Macau e Taiwan. Os hotéis Radisson também permitem mudanças na reserva de quem vai para a China sem cobranças extras", afirma comunidado do buscador de voos e hotéis Viajalá. 

Para quem não vai se hospedar em hotel, preferindo reservar uma casa pelo aplicativo Airbnb, o Viajala lembra que a plataforma possui uma cláusula de causas de força maior que obriguem hóspedes ou anfitriões a alterar ou cancelar viagens, e que também está reembolsando os viajantes que fizeram reservas na China até o começo de fevereiro de 2020 para viajar até o início de abril de 2020.

Na dúvida, busque se precaver

O Viajalá também recomenda que o viajante dê preferência a hotéis que contam com o cancelamento gratuito e reembolso integral da reserva. "Não sabemos o que vai acontecer nos próximos meses e é melhor optar por lugares que facilitem a desmarcação, para minimizar o transtorno de cancelar uma viagem", diz Eduardo Martins, diretor do buscador.

*Dado referente ao número de infectados confirmados na Tailândia no dia 28/02/2020.

    Veja Também

      Mostrar mais