Tamanho do texto

Algumas promoções ou preços, por mais atraentes que sejam, podem esconder pegadinhas que vão virar uma bela dor de cabeça na sua viagem

Quem não quer economizar na passagem aérea, não é mesmo? O problema é que, na ânsia de conseguir o melhor preço, há o risco de não se atentar a alguns detalhes que podem virar uma grande dor de cabeça durante a sua viagem. 

Leia também: Comprar passagens aéreas de madrugada é realmente mais barato?

problemas na viagem arrow-options
shutterstock
Ao tentar economizar na passagem aérea você pode cometer alguns deslizes que vão resultar em dor de cabeça

Para não cair em roubadas, listamos os principais erros que os viajantes comentem ao tentar economizar na passagem aérea . Essas dicas foram reunidas de diversos blogs de viagens e reportagens já publicadas aqui no iG Turismo

1. Diversas conexões para pagar mais barato no voo 

Geralmente os voos mais longos ficam mais baratos quando se opta por conexões. O problema está em exagerar nesse número de conexões sem perceber. No final, o valor do voo até é acessível, mas corre o risco de perder muito tempo - até dias - viajando.

Se ainda assim quiser fazer conexões, coloque também na ponta do lápis as despesas que pode ter nos aeroportos, enquanto espera o próximo voo, por exemplo. 

2. Montar suas conexões para ter um voo mais barato

É possível montar sua viagem combinando passagens aéreas online  até chegar a um bom preço, mas essa prática exige cuidado redobrado. Por exemplo, você quer ir de São Paulo para Orlando, mas encontrou um voo mais em conta São Paulo-Atlanta. Você compra esse trecho e, depois, compra uma passagem Atlanta-Orlando. 

Nesse caso, são duas viagens e uma companhia não sabe que você vai seguir em um voo da outra, ou seja, qualquer problema com um dos voos, como um atraso, a outra não vai se responsabilizar e você vai ter de comprar uma nova passagem. 

A dica aqui é ter atenção redobrada e calcular muito bem o tempo entre um voo e outro. Lembre de fatores como: 

  • imigração: lembre-se que ao entrar em outro país, terá que passar pela imigração, e você pode perder um bom tempo nisso. No exemplo acima, o processo é feito em Atlanta. Calcule esse tempo e dê uma folga ao comprar as suas passagens.
  • bagagens: também será preciso pegar a sua bagagem e levar para o outro voo. Coloque também isso no tempo de conexão para evitar o risco de perder a segunda parte da viagem aérea.

Leia também: Janela ou corredor? O assento escolhido no avião tem a ver com a personalidade

3. Desembarcar em um aerporto para embarcar em outro

Ao procurar as passagens aéreas baratas e montar as suas conexões, os sites podem te sugerir diversas opções para as mesmas saídas e destinos. Antes de comprar, mesmo que for a mais em conta, certifique-se que está chegando e saindo do mesmo aeroporto.

Esse é mais um erro comum em voos internacionais, mas também pode acontecer por aqui. Você pode encontrar um voo que chega em Cumbica, em Guarulhos e outro que sai de Congonhas, em São Paulo, para seguir a sua viagem. Mas quem é da capital paulista sabe muito bem que não é nada simples encarar o trânsito entre um aeroporto e outro. Imagina isso então fora do Brasil?

Melhor não arriscar porque, de novo, se perder o segundo voo, como não é se trata de uma conexão vinculada, não há nada a ser feito a não ser gastar com uma nova passagem. 

4. Esquecer de olhar as franquias de bagagem

Montar o seu roteiro pode ser divertido e também um jeito de economizar. Você saiu do Brasil para a França e, de lá, decidiu aproveitar para pegar voos pela Europa e conhecer outros países. A ideia parece ótima, mas também exige atenção. 

Os voos internacionais podem ter franquias de bagagens diferentes dos voos domésticos. Certifique-se dessas informações ao programar sua viagem e comprar as passagens para evitar gastos a mais nesses voos internos, por exemplo. 

5. Parar no aeroporto secundário do destino

Outra tática para economizar na passagem aérea é optar por uma companhia low cost . Além de muitos não incluirem franquia de bagagem - o que representa um gasto extra - é comum que essas companhias usem aeroportos secundários, menores, que ficam nos arredores do seu destino. 

Mais uma vez a dica é ficar atento ao nome/código do aeroporto e pesquisar qual a distância dele para seu hotel, por exemplo, para ter certeza que o gasto/trabalho com o deslocamento compensa a economia na passagem.