Curitiba, capital paranaense, é a cidade ideal para quem gosta de curtir a natureza em meio à cidade grande.
Pedro Ribas/SMCS
Curitiba, capital paranaense, é a cidade ideal para quem gosta de curtir a natureza em meio à cidade grande.

Curitiba, capital paranaense, é a cidade ideal para quem gosta de curtir a natureza em meio à cidade grande. Afinal, apesar de ser a oitava capital mais populosa do Brasil, com aproximadamente 2 milhões de habitantes, é muito bem equipada em se tratando de áreas verdes. 

Referência em sustentabilidade, a cidade tem a melhor qualidade de ar do país, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Por este motivo, ela se compara a cidades como Madri , Amsterdã , Estocolmo, Portland, Vancouver, Oslo e Copenhaguen , todas modelos no que se refere à preservação da natureza e clima agradável. 

Curitiba possui uma infraestrutura ímpar para receber os turistas e grande parte das atrações são gratuitas, ou possuem um preço amigável. A cidade tem cerca de 34,5 m² por habitante somente em áreas verdes. Além disso, são 36 espaços urbanos de preservação, entre parques, bosques e praças arborizadas. O iG Turismo conversou com a moradora Ana Teresa, que deu algumas dicas de turismo na capital.


Jardim Botânico


O Jardim Botânico Municipal de Curitiba foi inaugurado em 1991, é um dos principais cartões postais da cidade. Em 245 mil m² de área, é possível passear por belos jardins floridos, lagos, alamedas, bosques, um museu e a estufa. A atração mais imponente do local é a estufa, que pode ser avistada logo na entrada da cidade. 

A construção do prédio foi inspirada no Palácio de Cristal de Londres e possui 458 m². No interior, há exemplares vegetais naturais e ornamentais típicos da flora da Mata Atlântica. A estufa também impressiona por ser uma enorme construção de ferro, com 3,8 mil peças de vidro. 

Outra atração que merece destaque é o Jardim das Sensações, área com 200 m de extensão, em que o visitante percorre o jardim com os olhos vendados. Na experiência, é possível sentir o chão com os pés descalços, ouvir o som da água descendo as cascatas e apreciar o aroma emitido pelas flores.

"É um parque próximo ao centro da cidade, com uma área verde bem grande e bonita. Lá tem uma construção de vidro, onde se mantém um imenso viveiro de plantas”, conta Ana Teresa.

(continue a leitura logo abaixo)

Você viu?


Ópera do Arame e Pedreira Paulo Leminski 


A Ópera do Arame é uma casa de eventos situada dentro do Parque das Pedreiras, onde também está o Espaço Cultural Paulo Leminski. A casa de espetáculos tem capacidade para 1,5 mil pessoas e até 20 mil pessoas se a apresentação for ao ar livre. 

Segundo Ana Teresa, o local vale a pena ser visitado por conta da estrutura diferenciada. “Se trata de uma estrutura metálica, onde funciona um teatro e uma casa de shows. Fica em um espaço aberto, rodeado de um lago. Ao lado, encontramos a pedreira. Hoje é um espaço para apresentações culturais, mas antes era uma grande canteira. Logo, as paredes são as rochas”, diz.

Praça do Japão


A Praça do Japão também é um ponto turístico indicado por Ana Teresa. Ela diz que o local é muito charmoso, devido à jardinagem e estrutura em homenagem aos imigrantes japoneses, que chegaram em Curitiba a partir de 1910. É na cidade que está a segunda maior comunidade japonesa do Brasil, com 32 mil descendentes nipônicos. 

O espaço arborizado conta com 14 mil m² e 30 cerejeiras dispersas pela praça, que foram enviadas pelo próprio Império Japonês. No mais, são seis lagos artificiais construídos no mesmo modelo que os do Japão. Lá, o visitante irá encontrar, ainda, esculturas com símbolos importantes para os nipônicos, o Portal Japonês, o Memorial da Imigração Japonesa e o Espaço Tomie Ohtake.

Parque Tanguá 


No local, onde antes funcionavam duas pedreiras, desativadas na década de 1970, abrange uma área de 235 mil m². Desde 1996, é um parque que encanta os visitantes, com fauna e flora próprias da região. Para Ana Teresa, é o lugar perfeito para caminhar e curtir a natureza. O parque é dividido entre a parte superior e a parte inferior. 

Na primeira, é possível apreciar a vista, que possui um mirante de todo o parque. De cima, vislumbra-se o Jardim Poty Lazzarotto, o espelho d’água do Parque Tanguá, um mirante, em forma de castelo e os jardins, feitos em estilo francês. 

Já na segunda, há a opção de caminhar ao redor do lago artificial e apreciar a cascata do Parque Tanguá, com 65 m de altura. O local também abriga um túnel secreto com 45 m de extensão.

Parque Tingui


Nomeado em homenagem aos povos indígenas que habitavam Curitiba, o Parque Tingui tem 380 mil m². No local, pode-se visitar o Memorial Ucraniano, com casas bizantinas, que saúdam os imigrantes ucranianos que chegaram ao Brasil no fim do século 19. 

Além da presença constante de animais silvestres, como capivaras, o passeio pelo parque ainda proporciona ao visitante conhecer um bosque, jardins e casinhas de madeira. Cenário característico dos contos de fadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários