Saiba como conhecer o Alentejo, em Portugal, de carro com roteiro de 5 dias
Reprodução
Saiba como conhecer o Alentejo, em Portugal, de carro com roteiro de 5 dias

Charmosa, calma e cheia de história são alguns dos títulos que a região do  Alentejo carrega. Maior área de Portugal, o local é repleto de belos cenários – sejam praias exuberantes ou impressionantes construções antigas – e atrações que agradam quem está em busca de tranquilidade. Uma das melhores maneiras de conhecer o Alentejo é de carro, o que torna a região bastante propícia para uma road trip.

Além de proporcionar mais liberdade e facilidade para os viajantes, a viagem de carro pode proporcionar momentos ainda mais únicos e permitir que cada pedacinho do trajeto seja aproveitado. Seja com um motorhome ou com um carro habitual, é uma opção diferenciada de conhecer uma das regiões mais famosas de Portugal.

O Alentejo é dividido por pequenos vilarejos ou cidades com poucos habitantes, o que impacta diretamente no estilo de vida tranquilo e na existência de cenários charmosos que convidam para a descompressão. É possível conhecer a região com uma viagem de carro de cinco dias (conhecendo uma cidade por dia) ou mais (reservando mais tempo em um dos vilarejos, ficando em hotéis ou conhecendo cidades próximas ao redor). Veja como organizar a viagem de carro pelo Alentejo.

Dia 1 - Lisboa e Évora

A capital portuguesa é o campo de partida da aventura pela região alentejana. De lá, pode-se alugar um carro direto no aeroporto ou em locadoras. Como o turista vai se deslocar bastante por cidades distintas, é importante dar preferência aos carros com Via Verde, sistema que torna o pagamento de pedágios mais simples – como o Sem Parar funciona no Brasil. Se não tiver esse sistema, saiba que a cobrança de pedágio (ou portagem, como é chamado por lá) é diferente, em "dois tempos": ao sair da cidade, o condutor pega o ticket na cancela e, quando entrar na cidade de destino, paga o valor referente à quilometragem percorrida.

A primeira cidade do trajeto do Alentejo é Évora, considerada a região alentejana mais importante e uma das cidades mais antigas da Europa. Évora fica a 131 km do Aeroporto de  Lisboa e o percurso dura em torno de 1h40. Para chegar até lá, basta pegar as rodovias A12 e A6 ou A2 e A6.

A região é ótima para quem quer conhecer construções históricas – o próprio centro histórico de Évora é um Patrimônio Mundial desde 1986. Os destaques da região são o Templo Romano, que começou a ser construído no século 1 depois de Cristo e é marco da presença romana em Portugal; a Igreja de São Francisco, cuja arquitetura mescla arquitetura gótica portuguesa com o estilo muçulmano chamado mudéjar; e a Capela de Ossos, que foi construída com ossos humanos no século 18.

Caso opte por ficar em um hotel, experimente o Convento do Espinheiro, luxuoso hotel que fica dentro da estrutura de um antigo convento do século 15. Com inspiração nos anos 1950, a arquitetura clássica encanta e é bastante instagramável. As áreas de lazer e bem-estar contam com piscinas, quadra de tênis e spa. O hotel também tem boa infraestrutura para crianças e é pet friendly.

Dia 2 - Monsaraz

Em até 1h10, a partir das estradas IP2 e N256, é possível chegar até a vila de Monsaraz, cidade encantadora repleta de construções medievais e militares. O vilarejo é todo cercado por uma muralha, que é guardada pela imponente estrutura do Castelo de Monsaraz. Localizado no monte Monsaraz, o castelo fica ao lado do Rio Guadiana e fica pertinho da fronteira com a Espanha.

A vila também possui uma forte veia cultural e artística, recebendo diversas mostras de arte em espaços históricos, como a Casa da Inquisição e a Igreja de Santiago. A Casa da Inquisição também abriga o Centro Interativo da História Judaica, enquanto a Igreja Santiago funcionou como templo medieval no passado.

A estadia por lá pode ser feita no hotel de São Lourenço do Barrocal, estrutura rural que conta ainda com restaurante, spa, vinícola e loja. Perto de Monsaraz, a área total do espaço é de 780 hectares e oferece quartos na construção principal; além de casas separadas que podem ser alugadas. São Lourenço do Barrocal é um ponto à parte e oferece diversas atrações interessantes. Trilhas de bicicleta, voos de balão, visitas arqueológicas, passeio de barco e prova de vinho são só algumas das opções do que fazer por lá.

Leia Também

Leia Também

Dia 3 - Mourão

Mourão fica a cerca de 16 minutos de Monsaraz seguindo pela M514 e a M256. O trajeto em si já é um dos pontos altos da viagem, já que o turista cruza o belo Lago Alqueva. Também uma vila medieval, tem como cartão postal o Castelo de Mourão, bela estrutura medieval com elementos góticos que, na época do período conhecido como Reconquista Cristã, recebeu batalhas entre cristãos e muçulmanos.

A vista do topo do castelo é uma das mais bonitas de Mourão, já que oferece uma visão panorâmica do vilarejo e permite que o viajante contemple as margens do Rio Guadiana. Também vale a pena conhecer o charmoso Jardim da Praça Pública, a medieval Igreja Matriz de Nossa Senhora das Candeias e o Parque de Merendas, que conta com estrutura para fazer um piquenique.

Entre as opções de estadia está o hotel Herdade dos Delgados. Por estar situado em uma área com pouca poluição de luz e ampla em meio à natureza, conhecida como Reserva Dark Sky, se destaca por sua vista limpa e pela possibilidade de observar as estrelas. Além do conforto dos quartos, oferece spa, restaurante com cardápio tipicamente alentejano e piscina de água salgada com vista panorâmica ao lago.

Dia 4 - Moura

Moura tem cultura e arquitetura árabe forte
Turismo de Alentejo
Moura tem cultura e arquitetura árabe forte

Em meia hora é possível fazer o trajeto de Mourão para Moura, uma região em que construções com elementos da arquitetura árabe são comuns. Ruas estreitas, construções com detalhes coloridos e chão com pedrinhas decorativas são algumas características que tornam o local extremamente charmoso e instagramável.

Por ali, vale a pena passar pela Igreja de São Francisco e a Igreja Matriz – esta segunda dedicada a São João Batista. No entanto, o viajante não pode deixar de conhecer a cultura muçulmana que ainda tem forte influência no local. Para isso, vale a pena conhecer o Núcleo Árabe e o bairro de Mouraria, que é a mouraria mais antiga de toda a Península Ibérica.

Dia 5 - Beja

Para encerrar a road trip pelo Alentejo com chave de ouro, basta dirigir menos de uma hora de Moura até Beja, cidade com diversas paisagens pitorescas, paisagens estupendas e muitas atrações históricas. Por ali, vale conhecer a Torre de Menagem.

A cidade ainda tem atrações históricas como a Torre de Menagem, a mais alta da Península Ibérica, com 40 metros; a Villa Romana de Pisões, sítio arqueológico do período romano; e a chamada janela de Mértola, localizada no Museu Regional, de onde uma freira chamada Mariana Alcoforado observava o cavaleiro francês pelo qual se apaixonou. A famosa história na região é contada pelas Cartas Portuguesas, escritas pela freira no século 17.

Beja também é um dos melhores pontos para apreciar a gastronomia alentejana, já que conta com restaurantes consagrados.Um exemplo deles é o Herdade dos Grous, cujo cardápio conta com ingredientes produzidos localmente.

Para hospedagem, o turista pode aproveitar a Vila Galé Clube de Campo, que fica nos arredores de Beja. O local tem estrutura confortável, mas que também oferece diversas opções de lazer, como tiro aos pratos, safári de jipe, canoagem e paintball. Quem gosta de vinho pode se deliciar ao passear pelas caves e vinícolas da Adega Santa Vitória; onde também é possível degustar alguns rótulos e ver onde o vinho passa pela maturação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários