Tamanho do texto

As belíssimas lagoas do lugar são contaminadas por tungstênio e quem se arrisca nos mergulhos pode sofrer queimaduras e reações alérgicas

Um balneário conhecido como "Chernobyl da Galícia", na Espanha, tem cores de encher os olhos. As lagoas formadas entre o Monte Meme são de um azul turqueza impressionante e tem muita gente se arriscando e dando mergulhos nessas águas para postar belas fotos nas redes sociais. 

Na esquerda: influenciador mergulhando em lagoa contaminada por tungstênio; Na direita: queimaduras nos pés do influenciador após o mergulho arrow-options
Reprodução/Instagram/izzyandtai
Mergulhar na Chernobyl da Galícia pode ser uma ideia tentadora, mas as consequências não são tão agradáveis assim

Entretanto, o clique perfeito pode ter sérias consequências. As águas das lagoas são contaminadas por tungstênio - está explicado o apelido "Chernobyl da Galícia" e nadar nelas pode resultar em alergias e até queimaduras na pele. 

Leia também: Cidade fantasma atrai turistas apesar de ar tóxico que matou 2 mil pessoas

Segundo o site da rádio Cadena de Ondas Populares Españolas La Coruña (COPE La Coruña), o local é uma antiga mina de tungstênio de monte Neme , abandonada desde o final do século passado, por isso a contaminação das águas.

Queimaduras no pé de um dos mergulhadores da Chernobyl da Galícia
Reprodução/Instagram/izzyandtai
Quem mergulhou na lagoa contaminada da Chernobyl da Galícia sofreu com queimaduras leves e reações alérgicas

O problema, contudo, é que a beleza das águas se deve justamente à alta concentração desse metal raro.

De acordo com a rádio espanhola, um dos influenciadores digitais que sofreu as consequências desse ato, uma mulher chamada Uxía, que relatou reações alérgicas nas semanas seguintes ao seu mergulho nas lagoas.

Apesar de casos como esse, outros usuários do Instagram continuam a visitar o local - são mais de 2 mil postagens com a  #monteneme na rede social.

Um deles compartilhou sua foto mergulhando no monte Neme com seus mais de 7 mil seguidores, feito que lhe rendeu 1,2 mil curtidas e 995 comentários. 

Mas ele não saiu ileso e, pouco depois, voltou à rede social para mostrar as queimaduras que sofreu após o seu mergulho na lagoa contaminada por tungstênio:

E, embora a onda de mergulhadores nas lagoas da antiga mina ainda seja recente e tenha poucos adeptos, existem outros motivos para você não se banhar em monte Neme se quiser manter sua saúde em bom estado.

Leia também: Por que visitar a usina de Chernobyl? É quase uma viagem no tempo, diz blogueiro

Os perigos à saúde da Chernobyl da Galícia

Mulher ao lado de seu cachorro às margens da lagoa contaminada por tungstênio arrow-options
Reprodução/Instagram/crib_92
Milhares de pessoas compartilharam fotos suas na Chernobyl da Galícia do Instagram, mas poucas ousaram mergulhar

Manuel Ferreiro, médico de emergências do Complejo Hospitalario Universitario A Coruña (CHUAC), declarou à COPE que a exposição por um período curto de tempo à água contaminada por tungstênio não causa mais do que irritações cutâneas e das mucosas oculares. "Se for um banho curto não há gravidade", observou.

No caso de um período de contato mais extenso, entretanto, com ingestão da água, o paciente sofrerá com transtornos no sistema digestório, como vômitos e até mesmo diarréia. 

"O [verdadeiro] problema dessas lagoas é a infiltração dos metais pesados nos lençóis freáticos, e que isso seja consumido pelos habitantes da região", concluiu o médico de emergências.

Leia também: Já é possível visitar Chernobyl, mas é preciso respeitar uma série de regras

Portanto, se estiver pensando em visitar essa região da Espanha, lembre-se que as regras que valem para Chernobyl valem para ela também: nada de mergulhar ou de ingerir o líquido das lagoas.

    Leia tudo sobre: Instagram