Tamanho do texto

O ar da cidade fantasma de Wittenoom, na Austrália, foi contaminado pela mina de amianto que operava na região durante o século XX

Visitar uma cidade fantasma como Pripyat , palco do desastre nuclear de Chernobyl, pode ser interessante. Mas existem algumas situações nas quais esse tipo de viagem é extremamente perigoso, e este é o caso de Wittenoom, uma antiga cidade de mineração australiana.

Jovem em frente a um estabelecimento abandonado na cidade fantasma de Wittenoom arrow-options
Reprodução/Instagram/karothecat
As fotos na cidade fantasma estão ganhando força nas redes sociais, apesar dos perigos que para a saúde

De acordo com a Sociedade Australiana para Doenças causadas por Amianto (ADSA, na sigla em inglês), o ar contaminado pelo mineral que infesta a região da cidade fantasma foi responsável pela morte de mais de 2 mil pessoas que trabalhavam ou moravam nela.

À Australian Broadcasting Corporation, Larry Graham, um dos homens que ajudou a fechar a mina de amianto em Wittenoom, disse que a cidade não pode ser despoluída, e é extremamente perigosa para qualquer um. "Não há nenhum bom motivo para não se passar um trator por cima daquele lugar", cravou. 

Leia também: De topless, jovem compartilha ensaio em Chernobyl e gera revolta no Instagram

Turistas na cidade fantasma de Wittenoom

Mesmo assim, os turistas que vão a esta parte da Austrália não estão dando ouvidos aos avisos de saúde que cercam a cidade ou a pessoas como Graham, que presenciaram como era a vida naquele local.

Vários deles estão postando fotos de suas visitas à cidade australiana no Instagram. A hastag  #Wittenoom já tem quase mil postagens, e não é difícil encontrar posts de turistas desprotegidos contra o ar tóxico.

Alguns, como a usuária abaixo, descrevem em suas legendas como o local era parte da sua lista de desejos. Ela se disse realizada, embora não tivesse conseguido visitar os restos da mina ou o desfiladeiro local.

Outros tiraram fotos do cenário da cidade fantasma para registrar sua passagem, e deixaram em suas legendas relatos sobre a história do local e sobre suas impressões. Este usuário, por exemplo, escreveu que "não existem muitos cafés com esse tipo de vista" numa foto que publicou do estabelecimento abandonado Doc Holidays Cafe.

Mas para quem acha isso uma boa ideia, o ministro de Relações Aborígenes e Terras, Ben Wyatt, deu um alerta em entrevista ao site do canal de notícias australiano Nine.

"É importante que se entenda que, quando a mina de Wittenoom fechou, haviam 3 milhões de toneladas de rejeitos de amianto no desfiladeiro e na área ao seu redor. A exposição a uma única fibra desses rejeitos poderia ser fatal", alertou.

Leia também: Ponto turístico australiano ganhará nova cerca para impedir a morte de turistas

Se visitar uma cidade fantasma é mesmo seu sonho, talvez seja uma boa ideia procurar por outras opções no mapa mundi.