Tamanho do texto

Cidade oferece diversas atrações turísticas aos visitantes; saiba o que fazer por lá e também em Engelberg, que fica nos arredores e é local de muita neve

Rodeada por lagos e montanhas, Lucerna atrai 9,4 milhões de visitantes por ano. Considerada como a capital da Suíça Central devido a seu tamanho, localização e potencial econômico, a cidade possui cerca de 82 mil habitantes e é a oitava maior do país. A arquitetura permeia entre o contemporâneo e construções datadas de 1178.

Leia também: Quer ir para a Suíça? Saiba quais são as 6 melhores regiões para visitar por lá

Passeio de barco em Lucerna
Divulgação
Quem for visitar e conhecer as atrações turísticas de Lucerna, na Suíça, deve ficar por lá por, pelo menos, três dias

Ao longo do ano, Lucerna é palco de inúmeros festivais de música e culturais que envolvem todos os ritmos. Cercada de história e tradições, quem for visitar a cidade deve ficar por lá por, pelo menos, três dias. Esse é o tempo recomendado para quem quer conhecê-la e aproveitar as regiões que estão ao redor.

Pontos turísticos em Lucerna

Lago de Lucerna
Divulgação
Lago de Lucerna e, ao fundo, a Chapel Brigde, principal cartão postal da cidade, com uma ponte decorada ao lado

A primeira dica é sair andando a pé pelas ruas e se “perder”. Perto da estação central, o visitante já consegue avistar a Chapel Bridge, principal cartão postal da região. Essa ponte, que existe desde o século XIV, é decorada com pinturas originais datadas do século XVII, que retratam a história da cidade e do país.

Quase no meio da ponte é o momento do viajante encontrar a Water Tower. A torre, de 43 metros de altura e construída em 1303, já foi usada como tesouraria e prisão.  Atualmente, ela é utilizada para realizar determinados eventos e fica aberta ao público em dias específicos.

Em seguida, siga pela margem do rio. Você irá encontrar a Igreja Jesuíta de Lucerna, considerada uma das mais bonitas da Suíça. A caminhada deve seguir até chegar na Spreuer Bridge, segunda ponte de madeira da cidade, construída em 1408. Por lá, existe uma capela e, ao lado, um moinho antigo, que já foi usado como gerador de energia.

Igreja Jesuíta de Lucerna
Divulgação
Igreja Jesuíta de Lucerna é considerada uma das mais bonitas da Suíça e não pode ficar de fora do seu roteiro de viagem

Depois, a dica é atravessar a ponte para chegar ao centro histórico, uma área com características medievais. Na região, não há um roteiro para ser seguido. Apenas caminhe pelas ruas antigas e estreitas. Elas trazem muitas histórias, que são contadas através das pinturas nas paredes.

Leão de Lucerna
shutterstock
O monumento do Leão, esculpido em pedra e localizado em Lucerna, é um dos mais famosos do mundo e vale a visita

Aproveite também para a muralha, que ainda segue com boa parte preservada. Outra ponto que merece atenção entre os passeios em Lucerna é o monumento do Leão, um dos mais famosos do mundo, esculpido em pedra em memória a Guarda Suíça, dizimada durante a Revolução Francesa. Pare na beira do lado e aprecie a paisagem.

Passeios em Lucerna: o mais fazer por lá?

Sammlung Rosengart (Museu de Lucerna)
shutterstock
O Museu Rosengart reúne obras de Plabo Picasso e outros artistas e é um dos principais pontos turísticos em Lucerna

O Museu Rosengart, que reúne obras de Pablo Picasso e foi fundado por Angela Rosengart, é um dos principais pontos turísticos em Lucerna . Por lá, o visitante ainda pode apreciar os trabalhos de Paul Klee e também de outros artistas, como Monet e Kandinsky. Ao todo, o local abriga em torno de 300 obras.

O turismo em Lucerna também conta com a parte de compras e gastronomia. Os representantes da cidade na América Latina indicam passar pela joalheria Bucherer, conhecida como “Casa Suíça dos relógios e joalheria”. local O fica no centro da cidade e oferece opções acessíveis de relógios a relíquias que custam mais de R$ 5 milhões.

Outra dica, a poucos metros de distância, é a Max Chocolatier, uma pequena loja de chocolate onde a fabricação do produto é feita no local, com matérias-primas naturais. O legal é que, através de um agendamento prévio, o visitante consegue acompanhar o processo de produção e, com isso, entender a origem do alimento.

Leia também: Quer ver um filme na Suíça? Sala de cinema substitui assentos por camas de casal

A viagem segue. Caso a pessoa tenha adquirido o Swiss Travel Pass, passe de trem exclusivo para turistas, o item também será válido para os barcos que ligam Lucerna a cidadezinhas vizinhas, bem como ônibus. Então, pegue um barco no cais que fica ao lado da estação de trem e siga viagem pelas águas tranquilas do Lago Lucerna, também chamado de Lago dos Quatro Cantões.

O que fazer nos arredores de Lucerna: Engelberg

Engelberg
shutterstock
Engelberg está nos arredores de Lucerna e, durante a temporada de inverno, transforma-se em um resort de esqui

Um típico Vilarejo Suíço é mais uma das paradas obrigatórias e marcantes dos arredores. O lugar, chamado Engelberg e que está localizado a apenas 40 minutos de Lucerna, transforma-se em um resort de esqui no inverno.  O local é o berço do Monte Titlis, que fica a uma altitude de 3020 metros.

Monte Titlis
shutterstock
O Monte Titlis é outro ponto turístico que vale a pena ser conhecido durante a viagem, ideal para quem gosta de neve

Por lá, a dica é passar o dia todo. Aproveite para chegar cedo e aproveitar a montanha e ainda conhecer o pequeno vilarejo ao entorno. A primeira etapa de subida é realizada em um teleférico tipo gôndola para até seis pessoas. Em seguida, os passageiros embarcam, por cinco minutos, em outro teleférico tipo bondinho, que comporta até 80 pessoas.

Em mais cinco minutos, o trajeto final é feito no Rotair, primeiro bondinho giratório do mundo, que conta com janelas panorâmicas. Em um giro de 360º, é possível aproveitar a paisagem que vai desde os diversos matizes de verde até o branco da neve no ponto mais alto dos Alpes Uraneses.

Lá no alto, mesmo no verão, é possível ver a neve por todos os lados. A temperatura fica em torno de -1°C, mas a sensação térmica, por ser a época mais quente do ano, é de, no mínimo, 10°C acima do que o termômetro geralmente marca.

Para aproveitar ao máximo, visite a estação a pé. Nos diversos brinquedos, deslize na neve. As atrações são para crianças e adultos. Além disso, faça uma caminhada sobre a Cliff Walk, ponte de pedestre suspensa e a mais alta da Europa. Também sobrevoe as fendas da geleira com o Ice Flyer Chairlift.

O local ainda conta com um edifício de cinco andares com loja de souvenir e de chocolate, restaurantes e estúdio fotográfico. De lá, é possível avistar as montanhas nevadas. Na descida, pare na região do Lago Trübsee e aproveite para realizar outras atividades em contato com a natureza e com as águas cristalinas. Barcos a remo ficam à disposição dos visitantes mediante pagamento de uma contribuição.

Leia também: Muito além de Machu Picchu: o que fazer no Peru para uma viagem inesquecível

Quando estiver de volta ao Vilarejo, aproveite para visitar o Mosteiro Beneditino. O local, fundado em 1120, abriga uma fábrica de queijos. Atualmente, cerca de 30 monges vivem por lá, reclusos, mas a queijaria é gerenciada por uma empresa familiar. É possível agendar uma visita guiada com o dono, Sr. Ernest, que explica toda a produção do alimento.