Fazzenda Park Hotel - Gaspar (SC)
Divulgação
Fazzenda Park Hotel - Gaspar (SC)

A rotina conturbada das grandes cidades tem gerado grande impacto na vida das pessoas e doenças como a Síndrome de Burnout — distúrbio emocional que causa exaustão extrema, estresse e esgotamento físico —, são cada vez mais comuns. Psicoterapia e medicamentos são algumas das diversas recomendações médicas, mas algo que pode trazer um diferencial nos tratamentos dessas condições é se “desligar” do mundo e passar um tempo em conexão com a natureza.

Em uma pesquisa publicada pela revista Nature, de 2019, duas horas por semana em contato com a natureza causa um significativo aumento na sensação de bem-estar, melhora no humor e alívio dos sintomas de estresse e ansiedade. Com isso, os hotéis fazenda se tornam uma boa opção para quem procura um ambiente tranquilo e em contato direto com o meio ambiente para relaxar e fugir do cotidiano agitado da cidade.

Em Gaspar, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, fica localizado o Fazzenda Park Hotel, que oferece aos hóspedes as mais diversas atividades que promovem o bem-estar, em meio a um ambiente rodeado de verde e ar puro. Fazem parte das programações do hotel: trilhas, passeios de charrete, atividades esportivas, oficinas, além das próprias dependências do resort, que são um respiro de alívio dos ares urbanos.

As atividades ao ar livre aliviam os sintomas de ansiedade, estresse e depressão, além de colaborar com a recuperação do cérebro em relação à fadiga acometida pelo cotidiano. Isso ajuda no desempenho do trabalho e dos estudos e na satisfação pessoal.

Fazzenda Park Hotel - Gaspar (SC)
Divulgação
Fazzenda Park Hotel - Gaspar (SC)

O bom sono também faz parte dos impactos positivos à saúde mental, como explica o estudo publicado pela Universidade de Otago, na Nova Zelândia, na qual aqueles que afirmaram ter um sono de boa qualidade, apresentaram menos da metade de pensamentos negativos em uma semana do que aqueles que disseram ter o sono de baixa qualidade. 

Viajar impacta de forma geral a saúde mental

Matilde Mendes, 47, psicóloga, conta que o ócio é muito importante e o destino, na verdade, não influencia nos benefícios que uma viagem traz para os aspectos de saúde mental das pessoas, pois isso é muito individual. Até um passeio perto de casa, por exemplo, ou ir à praia ficar um fim de semana, já ajuda as pessoas terem uma melhor qualidade de vida e isso traz impacto na saúde mental delas. Então seja um destino rural ou urbano, os benefícios são os mesmos.

“A psicologia enxerga o ócio como um grande aliado no combate do estresse, aumento na qualidade de vida das pessoas, porque quando temos o ócio, a nossa mente descansa. Então, a partir do momento que relaxamos, isso ajuda recuperar o estresse do dia a dia e, consequentemente, isso traz um grande impacto positivo na saúde das pessoas, física e mentalmente”, argumenta.

“Além disso, o tipo de acomodação vai depender muito das condições pessoais de cada pessoa, mas uma acomodação que traz mais conforto, que dá mais sensação de bem-estar, implicará, sem dúvidas, que esse viajante desfrute melhor. Então é muito relativo, e também é preciso entender as condições socioeconômicas de cada viajante”, explica.

A profissional aconselha quem optar por viajar a escolher o destino que deseja e aproveitar bem esse momento. Mas antes é preciso se planejar, para extrair o máximo da experiência. “É importante que as pessoas se permitam usufruir desses momentos de viagem e curtam isso da melhor forma que puderem no momento, independentemente do local".

Seja uma viagem sozinha ou com a família, todas trazem benefícios. Uma viagem sozinha aumenta a autoconfiança da pessoa, porque ela tem que lidar com situações diferentes, que não está habituada no dia a dia dela, e isso traz uma melhora na autoconfiança e na autoestima, enquanto uma viagem em família estreita os laços e fortalece o vínculo entre as pessoas.

“O que esse viajante está buscando? Se ele quer uma viagem sozinho para sentir essa sensação de liberdade, com desafios novos, ou ele está querendo uma coisa em família para ter essa conexão, esses momentos de relaxamento em família. Basta saber o que lhe agrada para ter esses momentos de lazer", justifica Mendes.

Tudo isso, aliado a terapia e o uso de medicamentos, quando recomendado pelos médicos, colabora para os cuidados com a saúde mental, fazendo as pessoas desconectarem do cotidiano movimentado, focando um pouco mais no momento e em si mesmos.

Siga o perfil geral do Portal iG no Telegram.

** Julio Cesar Ferreira é estudante de Jornalismo na PUC-SP. Venceu o 13.º Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão com a pauta “Brasil sob a fumaça da desinformação”. Em seus interesses estão Diretos Humanos, Cultura, Moda, Política, Cultura Pop e Entretenimento. Enquanto estagiário no iG, já passou pelas editorias de Último Segundo/Saúde, Delas/Receitas, e atualmente está em Queer/Pet/Turismo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários