Tamanho do texto

Em entrevista ao iG Turismo, o colombiano John Rodriguez fala sobre paixão pela profissão e o hobby que o ajuda a relaxar: "Fico em paz e à vontade"

O comissário de bordo John Rodriguez, de 30 anos, se interessou pela profissão quando ainda era criança. Na época, ela olhava para o céu, via os aviões e sabia que queria trabalhar no ar. Desde 2015, o colombiano atua na função. Ele se mudou para Nova York, nos Estados Unidos, onde está a base na companhia aérea que atua, e conseguiu fazer o seu sonho virar realidade.

Leia também: Comer fogo e virar sereia! Dez viagens diferentes para fazer com o Airbnb

mermanjohn23
Reprodução/Instagram/mermanjohn23
O comissário de bordo John Rodriguez precisa lidar com o estresse da profissão e, para relaxar, traz seu hobby à tona

Por ser um comissário de bordo , ele precisa enfrentar os desafios que o cargo lhe traz, como lidar com os atrasos causados pelo mau tempo, administrar a aeronave quando está cheia e organizar os passageiros nos assentos, por exemplo. “Às vezes, fico cansado ao fazer um voo atrás do outro”, conta em entrevista ao iG Turismo .

Apesar de nunca ter vivenciado nenhum caso grave com os passageiros, Rodriguez explica que algumas situações do dia dia podem ser cansativas e deixá-lo estressado. “Eu sei que é uma situação passageira – e que o melhor está por vir. Eu sempre tenho em mente que, no geral, não verei mais essas pessoas depois do voo”, ressalta.

Comissário de bordo tem um hobby para relaxar: nadar com uma cauda de peixe

John Rodriguez
Reprodução/Instagram/mermanjohn23
Em entrevista ao iG Turismo, Rodriguez diz que, para ele, nadar é super relaxante e renovador: "Fico em paz e à vontade"

O colombiano tem um hobby que o ajuda a aliviar todas essas tensões que a profissão traz à tona. Ele se veste como tritão - a representação masculina da sereia - com direito a caracterização com cauda de peixe e o que mais tiver direito para se assemelhar à criatura mitológica em questão.

Nas horas vagas e nas férias, ele vai para alguma ilha ou cidade tropical para nadar e, consequentemente, relaxar. “Eu adoro Bonaire, Curaçao, Cancun e o Rio de Janeiro”, conta. Isso significa que, quando não está no ar, o colombiano, que fala espanhol, inglês, italiano e até mesmo português, está no mar.

Leia também: Comissária de bordo dá 5 dicas de como evitar que um voo seja estressante

O fascínio de Rodriguez pelas sereias começou já na infância e o fez parar nas páginas dos jornais internacionais. Em entrevista recente ao Daily Star , por exemplo, ele conta que foi atraído pela interpretação de Ariel em "A Pequena Sereia ", da Disney, e, por isso, decidiu aderir às características dessa personagem.

"Foi o primeiro filme que eu assisti quando era criança, na Colômbia, e fiquei fascinado e me apaixonei pela ideia de viver debaixo d'água", afirma ao tabloide.

Além disso, o comissário de bordo conta que sempre nadava com as pernas juntas, semelhante a uma sereia, e que o seu amor pela água foi como um chamado. “Quando estou na água, fico em paz e à vontade olhando nas profundezas. É super relaxante e renovador para mim. Amo esse sentimento”, detalha ao iG Turismo. 

Para comprar sua primeira cauda, Rodriguez gastou cerca de R$ 2,5 mil - ele viajou para Miami para comprá-la. Apesar de já ter um tamanho padrão, o rapaz queria que a dele fosse totalmente adaptada ao seu corpo. Ele a leva nas viagens sempre que tem uma parada em uma cidade com mar.  “Experiência incrível”, define.

Leia também: Comissário de bordo revela item que passageiros não podem esquecer na viagem

Além da paixão pelo hobby, o comissário de bordo também é apaixonado pelo que faz diariamente. “A profissão me ajuda a conhecer novos lugares e compartilhar novas experiências e culturas. Tudo isso me ajuda a continuar feliz e satisfeito. Amo minha profissão e não mudaria por nada. Estou sempre com a mente em paz”, finaliza.