Pantanal: o que fazer em uma das maiores planícies alagadas do mundo

Muito procurado por turistas de todo o mundo, o remake da novela homônima reacendeu o interesse por parte dos brasileiros

A pesca é uma das principais atrações do Pantanal
Foto: anacvial1/Pixabay
A pesca é uma das principais atrações do Pantanal

O remake de "Pantanal", famosa novela da extinta TV Manchete, produzido pela TV Globo estreia nesta segunda-feira (28) e, com a nova versão, volta também o interesse do público brasileiro pelo local. Uma das maiores planícies alagadas do mundo, o Complexo do Pantanal, ou simplesmente Pantanal (composto por diversos pantanais), conta com uma extensão de 210 mil km² e é dividida em três países diferentes, sendo eles o Brasil, a Bolívia e o Paraguai.

O local é muito buscado por turistas de todo o mundo, sendo perfeito para quem deseja fazer ecoturismo e conhecer as ricas flora e fauna, com mais de 2 mil espécies de plantas e mais de 1 mil espécies de animais. O bioma local é considerado Patrimônio Natural Mundial pela Unesco.

Entre as aves, peixes, répteis e mamíferos do local, a mais popular entre o público geral é a onça-pintada. Na novela, a personagem Juma – interpretada por Cristiana Oliveira, na versão de 1990, e por Alanis Guillen no remake de 2022 – supostamente se transformava no felino selvagem.

A parte brasileira do Pantanal ainda é dividida em dois estados diferentes, são eles Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, também conhecidas como Pantanal do Norte e Pantanal do Sul, compostas por diferentes cidades.

As cidades de Cáceres, Poconé e Barão de Melgaço fazem parte do Pantanal Norte (Mato Grosso); e Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho compõe o Pantanal do Sul (Mato Grosso do Sul).

Para conhecer a região pantaneira, é importante que o turista saiba exatamente qual é o propósito da visita. A parte norte é indicada para quem busca conhecer manifestações culturais, como danças típicas, praticar pesca e ver de perto os animais aquáticos. Já a parte sul é uma boa opção para quem deseja pratica canoagem e ter um maior contato com animais selvagens. Não importa qual região seja a escolhida, opções não vão faltar, mas algumas são exclusivas de cada região e é importante pesquisar quais são mais interessantes para cada perfil e assim compor o melhor roteiro.

O clima do Pantanal

Foto: Jose Sabino/Pixabay
Visão panorâmica do Pantanal

Outra questão sobre a qual se deve ficar atento antes de pensar em viajar para o Pantanal é o clima local, já que, dependendo da época do ano, pode estar mais seco ou cheio. No geral, o clima é de, em média 25°C, ficando mais seco no inverno e chovendo mais durante o verão.

O período entre abril e setembro costuma ser mais seco, e de outubro até março é o período de maior cheia, devido às chuvas. Caso queira fugir de aglomerações, talvez seja melhor evitar viajar entre julho e outubro, quando é considerada a alta temporada. Porém, esta também é a melhor época para observar os animais e fazer o safári fotográfico.

O que fazer por lá

No geral, será um período de maior contato com a natureza, é comum que os próprios hotéis-fazenda ofereçam pacotes com direito a passeios para observar pássaros e safáris fotográficos. Há também opções de passeios de barco ou a cavalo. Existem barcos-hotel que ficam sobre as águas e oferecem a pesca como atrativo.

No Pantanal Norte é possível conhecer o Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense, que é gratuito, mas antes é preciso conseguir uma  autorização por e-mail.

Como chegar

Das principais capitais brasileiras, pode-se conseguir um voo para Cuiabá e, de lá, seguir viagem de carro até a cidade de Poconé, que fica a 104 km da capital do estado do Mato Grosso. Outros caminhos, um pouco mais longos, são para Barão de Melgaço, a 111 km, e até Cáceres, a 215 km de distância.

Para conhecer a parte correspondente ao Mato Grosso do Sul, a opção é viajar de avião até Campo Grande e de lá percorrer 146 km até Aquidauana, 218 km até Miranda ou 441 km até Corumbá. Já em Corumbá existe a opção de chegar de avião, pelo aeroporto da cidade.

O resto do trajeto deve ser feito de carro, mas somente opções 4x4 dão conta do trajeto em períodos de chuva. Também pode ser feito de ônibus, pelas rodoviárias locais.

Os preços das passagens aéreas variam conforme a data da viagem, mas tudo deve ser sempre reservado com antecedência, por se tratar de uma área de preservação ambiental. Vale a pena se planejar e buscar por promoções em pacotes especiais. É um excelente custo x benefício.

O que fazer no Pantanal

Fazer programas pela região depende muito da intenção da viagem e de qual cidade se pretende ficar. São diversas opções de passeios de barco, ecoturismo, em tempos de águas baixas também são realizados passeios noturnos para a visualização de animais em seu habitat natural.

O mais indicado é programar pacotes de passeios diretamente com empresas autorizadas locais, ou mesmo com os hotéis-fazenda, com pacotes conhecidos como “day use”. Para quem deseja conhecer as áreas onde foram feitas as gravações da novela, a dica é a cidade de Aquidauana, nos pantanais de Mato Grosso do Sul. Ao todo, a produção da Globo utiliza sete fazendas da região como cenário para a trama.

Onde se hospedar

São três tipos de hospedagens voltadas para o ecoturismo na região, focados em atrações mais específicas, como safáris, pescas e passeios de barco.

Hospedagem ecoturismo: são pousadas, hotéis e hotéis-fazenda, com diárias que já oferecem refeições e os principais passeios pela cidade inclusos. É uma ótima opção para quem quer receber mais, pelo menor preço.

Para comer, não faltarão opções de comida típica, geralmente compostas por peixes, como pintado, o pacu, o piraputanga, o dourado, o curimbatá e diferenciado caldo de piranha. Para quem não é fã de frutos do mar, também existem opções em carne bovina, como o prato conhecido como “Maria Izabel”, uma paçoca de pilão feita com carne e arroz.

Hotéis para a pesca: são mais simples, geralmente o turista só irá para o quarto na hora de repousar após um dia de pescaria, já que a diária inclui o uso do barco.

Barcos-hotéis: cabines com camas e refeições e passeios inclusos no valor dos pacotes.

Na parte Norte, as principais opções são a Pousada Araras Pantanal Eco Lodge, em Poconé, a Pousada Do Rio Mutum, em Barão de Melgaço, Hotel Recanto do Dourado, em Cáceres e o Hotel Pantanal Norte Porto Jofre.

Na parte Sul, as principais opções são a Pousada Refúgio da Ilha, Refúfio Ecólogico Caiman, ambas em Miranda, a Fazenda Pequi, em Aquidauana, a Pousada Xaraés. Há também os hotéis Lontra Pantanal e Kalypso, para quem prefere opções voltadas para a pesca.