Destino dos famosos: as cachoeiras e grutas da Chapada Diamantina

Ideal para o turismo de aventura e para se conectar com a força da natureza, o destino já foi visitado por Grazi Massafera, Ivete Sangalo, Caio Castro e mais

Grazi Massafera, Ivete Sangalo e Caio Castro estão entre famosos que foram para a Chapada Diamantina
Foto: Montagem/Reprodução
Grazi Massafera, Ivete Sangalo e Caio Castro estão entre famosos que foram para a Chapada Diamantina

A força da natureza brasileira se manifesta de forma intensa por todo o Parque Nacional da Chapada Diamantina, localizado no estado da Bahia. A diversidade de atrações, as trilhas de dificuldade avançada e as possibilidades de praticar diversos esportes radicais atraem, principalmente, quem é adepto do turismo de aventuras e do ecoturismo. Entre as estrelas que se aventuraram entre as trilhas e admiraram a magnitude do parque estão Grazi Massafera, Caio Castro, Ivete Sangalo, Camila Pitanga e Thiago Rodrigues.

A Chapada Diamantina é lar de um dos cenários naturais mais bonitos e esplendorosos de todo Brasil, e impressiona pela grandeza. Ali pode-se encontrar as montanhas mais altas da Bahia, cujos picos podem ultrapassar os 2 mil metros; 360 cachoeiras; grutas e cavernas de tirar o fôlego; e rios, lagos e piscinas naturais de águas bem azuis e cristalinas.

Tudo isso é distribuído em impressionantes 1.520 km², uma área que ocupa cidades do centro da Bahia, como Lençóis, Mucugê, Palmeiras, Ibicoara, Itaetê, Palmeiras e Andaraí.

Como muitas das atrações envolvem esforço físico, é necessário sempre estar acompanhado de um guia turístico que conheça bem os caminhos e esteja apto a desbravar a área. Por esse motivo, é recomendado buscar por um guia particular ou até mesmo montar um pacote com uma companhia de viagens (o que pode baratear a entrada em diversas atrações e garantir a ida aos principais pontos).

Como chegar na Chapada Diamantina?

Seja pela estrutura preparada para turistas ou pela região ser considerada a melhor para começar a explorar a Chapada Diamantina, a cidade de Lençóis é a mais buscada para começar o passeio. O Aeroporto de Lençóis (LEC) fica a 24,2 km da Chapada. Como não existe transporte público ali, vale a pena pegar um táxi ou reservar um transfer.

O Aeroporto de Lençóis - LEC recebe voos diretos de Salvador e de Belo Horizonte, então viajantes de outras regiões do Brasil precisam fazer escala. Saindo de São Paulo, é possível encontrar voos com uma faixa de preços entre R$ 980 a R$ 1.730*.

Muitos aventureiros optam por ir de carro, mas o indicado é iniciar a jornada por Salvador, que fica a 425 km da Chapada. Ao sair da capital baiana, basta pegar a BR-234 em direção a Feira de Santana, pegar a BR-116 e depois a BA-052, sentido Ipirá. De lá, siga pela BA-233 sentido Itaberaba, depois pela BR-242 e se encaminhe até a BA-144, que dá acesso a Lençóis. A previsão de viagem é de 4h40 a 5 horas.

O que fazer na Chapada Diamantina?

Morro do Pai Inácio

Um dos cartões postais da Chapada Diamantina, o Morro do Pai Inácio é buscada por entregar ao turista uma vista sem igual das belezas naturais. Com 1.050 metros, a serra fica na região de Palmeiras e permite contemplar as belas formações rochosas cobertas por vegetação, sendo principalmente buscada para ver o pôr do sol. A trilha dura 20 minutos e é possível chegar ao topo até às 17h. A área mais elevada pode ter ventos fortes, então vale levar roupas mais quentinhas para conseguir apreciar o local. O turista precisa pagar R$ 12 para subir ao topo do morro.

Rio Pratinha

O Rio Pratinha é considerado como uma das águas mais cristalinas do mundo. Não é exagero: os trechos do rio se dividem entre o azul bem clarinho até tons de esverdeado, a depender das formações rochosas e vegetação das profundezas. Localizado na região de Lençóis, o passeio por ali é revigorante por permitir o mergulho, o contato com os peixes e a contemplação da natureza. O Pratinha se integra em diversos momentos com formações rochosas e grutas, o que só aumenta sua beleza e grandeza.

O rio fica dentro da Fazenda Pratinha, que também abriga a deslumbrante Gruta Azul. Por valores à parte, também é possível realizar esportes radicais na região, como flutuação dentro da gruta, tirolesa e stand-up.

Gruta da Lapa Doce

Considerada a terceira maior gruta do Brasil, trata-se de um conjunto de 42 km de caverna, dos quais apenas 17 km foram mapeados. Portanto, só é possível conhecer em torno de 850 metros da Gruta da Lapa Doce, mas isso está longe de ser pouco apesar da proporção. Atravessando frestas e se esgueirando pelas descidas, é possível apreciar as diversas formações rochosas (sendo algumas iluminadas) que estão ali há milhares de anos. Há ainda pinturas rupestres impressionantes em alguns trechos da gruta. É recomendado que sejam feitos tours guiados para aproveitar com segurança.

Cachoeira do Buracão

A visita à Cachoeira do Buracão é repleta de pontos altos que vão muito além dos 85 metros de queda d'água. Isto porque a cachoeira e a água estão dentro um grande cânion de formações rochosas ímpares. Também é possível ver a parte de cima, caso o turista queira ir até o topo do Buracão. A trilha é de cerca de 3 km é repleta de atrações e apresenta ao visitante outras cachoeiras no meio do caminho, como a Cachoeira das Orquídeas, o Rio Espelhado e o Buracãozinho. É obrigatório que a visita seja feita com um guia.

Cachoeira da Fumaça

Outra atração imperdível para quem gosta de quedas d’água, a Cachoeira da Fumaça está na região do Vale do Capão e tem uma queda d’água cercada por paredões rochosos de 300 metros. Tem esse nome pois há a impressão de que, ao cair, a água retorna para a parte de cima e se torna fumaça. A queda d’água em si mede em torno de 385 metros, destacando-a como a segunda cachoeira mais alta do Brasil. Assim como a Cachoeira do Buracão, é possível ter uma ótima vista de cima.

Poço Encantado

Localizado na área de Itaetê, a gruta é parada obrigatória para observar os lagos bem azuis e cristalinos nas profundezas. Peixes coloridos e as formações rochosas arrematam a vista; mas a estrela nesse caso são os fachos de luz que entram pelas aberturas da gruta, criando um visual ainda mais bonito e intensificando a coloração da água (o efeito ocorre em momentos específicos do ano).

Apesar da tentação, não é possível mergulhar nas águas do Poço Encantado. Mas caso queira se aventurar entre águas tão azuis quanto, vale a pena ir até o Poço Azul, que permite flutuação.

Morrão

A montanha é considerada como uma das mais bonitas de toda Chapada Diamantina e impressiona por sua formação rochosa desnivelada, que cria mais de um pico. Além das trilhas e da prática de atividades esportivas, é uma ótima opção para quem quer acampar na Chapada. Por ter um espaço bem aberto, é um ótimo ponto de observação de estrelas e pode render momentos inesquecíveis. O trajeto para chegar até o Morrão é considerado avançado e pede por bom condicionamento físico.

*Pesquisa feita em 18 de março de 2022 considerando o período de abril de 2022.