Se você está procurando um destino para passar o final de semana sem gastar muito, não precisa ir muito longe. A cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, é uma alternativa para quem quer conhecer mais sobre a história do Brasil durante o dia e, também, curtir o espírito boêmio à noite. Ou seja, atividades para todos os gostos.

Leia também: Turismo em Minas Gerais: conheça Belo Horizonte e Ouro Preto em uma viagem só

Museu da Inconfidência arrow-options
Divulgação/Prefeitura Municipal de Ouro Preto/Ane Souz
Museu da Inconfidência, Ouro Preto

Fundada em 1711, Ouro Preto  faz parte do Circuito do Ouro, integrando a região da Estrada Real de Minas Gerais. Declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, a cidade mostra muito do que foi o Brasil na era Colonial não só nos vários museus, mas também na arquitetura das construções históricas e até pelas ruas de pedra sabão.

Segundo o site oficial de turismo em Ouro Preto, o município possui um total de 29 igrejas, 12 museus, sete minas de ouro e sete mirantes. Podem até parecer muitos pontos turísticos para dois dias, mas como a maior parte desse circuito pode ser feito a pé e em sequência, é mais do que possível montar um roteiro para um fim de semana.

O que conhecer em Ouro Preto?


No ponto cental, a Praça Tiradentes, já é possível conhecer alguns dos locais mais populares da cidade, como o Monumento a Tiradentes, o Museu da Inconfidência e as Igrejas de Nossa Senhora do Carmo e São Francisco de Assis, além da tradicional feira de artesanato, onde há diversas peças de arte feitas de pedra sabão. 

Além dessas duas igrejas mencionadas, outras que são muito visitadas são a Basílica Matriz de Nossa Senhora do Pilar, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Santuário de Nossa Senhora da Conceição e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. A Basílica e a Igreja de Nossa Senhora do Carmo e o Santuário possuem museus anexos com arte sacra e obras de grandes artistas do Barroco Mineiro, como Aleijadinho. 

Museu Casa dos Contos arrow-options
Divulgação/Prefeitura Municipal de Ouro Preto/Ane Souz
Museu Casa dos Contos, Ouro Preto

Guias não-oficiais costumam ficar na área externa das igrejas e da praça principal oferecendo um tour (preços à consultar no local) pelos principais pontos para explicar sobre a história e curiosidades sobre a cidade, igrejas e obras do Barroco. Algumas igrejas cobram um valor de entrada entre R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).  

Outras opções de passeios próximas ao centro incluem visitas guiadas às minas de ouro e museus, além de lojas com bebidas e doces locais, e joalherias. Os destaques vão para o Museu Casa dos Contos, com informações sobre a história da moeda brasileira e uma senzala preservada, e o Museu Guinard, cujo acervo reúne obras de Alberto da Veiga Guignard, considerado um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do século XX. 

Feira de Artesanato arrow-options
Divulgação/Prefeitura Municipal de Ouro Preto/Ane Souz
Feira de Artesanato, Ouro Preto

À noite, a região central continua movimentada, mas a cidade passa de "museu" para um tom mais boêmio, com diversas opções de restaurantes e bares, além de atividades nos centros culturais - nesse caso, uma dica é pedir sugestões de onde ir para um funcionário do local onde você está hospedado. 

Existem opções também para quem quer fugir do centro histórico, que vão do Ecomuseu no Parque Municipal Arqueológico do Morro da Queimada, à trilhas, cachoeiras e o Instituto Federal Minas Gerais. É necessário ter um carro para chegar até esses locais. 

Leia também: De Diamantina a Tiradentes, a Rota do Ouro está cheia de surpresas; conheça

Como chegar a Ouro Preto?

Existem quatro opções para chegar até Ouro Preto: ir de carro, voar de avião até Belo Horizonte e ir de ônibus até Ouro Preto, pegar dois ônibus, sendo um até Belo Horizonte e outro até Outro Preto, ou um ônibus direto.

Essa escolha depende de quanto você pode gastar, quanto tempo pretende passar na estrada e das rotas até a cidade - a opção de ir direto de ônibus, por exemplo, não estão disponíveis em todas as partes do Brasil. 

Igreja São Francisco de Assis arrow-options
Divulgação/Prefeitura Municipal de Ouro Preto/Ane Souz
Igreja São Francisco de Assis, Ouro Preto


Opção 1: carro

A viagem de carro partindo de São Paulo até Ouro Preto dura cerca de 8 horas e 30 minutos pela BR - 381 ou 11 horas pela MG - 270. É importante lembrar que ambos trajetos possuem pedágios. 

Opção 2: avião SP > BH + ônibus BH > OP

Segundo informações do Google Flights, um voo saindo de São Paulo até o Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte, por exemplo, custa em média R$ 250 e tem cerca de 1 hora e 10 minutos de duração. Já o ônibus de BH para Ouro Preto sai por R$ 38,80 pela Viação Passáro Verde e a viagem dura 2 horas e 30 minutos. 

Uma questão importante sobre essa rota é que o aeroporto e a Rodoviária de Belo Horizonte ficam a 39,5 km de distância, o que é uma viagem de cerca de 45 minutos de carro. Então, se essa for sua opção, programe-se.  

Opção 3: ônibus SP > BH + ônibus BH > OP

Os ônibus até Belo Horizonte saem da Rodoviária do Tietê, em São Paulo, custam entre R$ 149,99 (executivo) e R$ 299,99 (leito cama), e levam 9 horas e 40 minutos até o destino. As informações para os ônibus até Ouro Preto são as mesmas citadas acima, mas é importante lembrar que os horários das viagens devem ser compatíveis. 

Opção 4: ônibus SP > OP

A viagem de ônibus saindo da Rodoviária do Tietê, em São Paulo, com destino a Ouro Preto dura mais ou menos 11 horas e 10 minutos. Os valores, vão de R$ 157,57 (executivo) até R$ 209,53 (semi-leito) pela Viação Util. 

Chegando na Rodoviária de Ouro Preto, você pode pegar um táxi (que costuma ter valor tabelado) até o seu hotel ou baixar o aplicativo Moovecar, que funciona como um Uber ou 99 na região. 

Leia também: Salto alto e carro: 5 coisas para evitar em sua viagem para Ouro Preto

5 pontos de atenção ao visitar Ouro Preto

Além de se organizar com horários de passagens, dependendo da sua rota, existem alguns pontos que merecem sua atenção e que podem te ajudar a aproveitar ainda mais a cidade mineira:

Mina Chico Rei arrow-options
Divulgação/Prefeitura Municipal de Ouro Preto/Acervo Secretaria de Turismo
Mina Chico Rei, Ouro Preto

Horários de funcionamento:  Nos fins de semana alguns pontos turísticos estão fechados ou possuem um horário de funcionamento diferenciado. Preste atenção nisso para não perder nada do que você quer ver. 

Formas de locomoção:  Os principais pontos da cidade ficam muito próximos uns dos outros, o que significa que é possível montar um roteiro para conhecer tudo à pé. Porém, as ladeiras tornam os passeios cansativos. Então, se você ou quem for junto tiver problemas de locomoção, pode ser difícil andar tanto. Além disso, se a ideia é visitar lugares mais afastados do centro histórico, será preciso um carro. 

Conforto:  Por causa do sobe e desce nas ladeiras, usar roupas e sapatos confortáveis é obrigatórios. O chão de pedra sabão pode ser bem escorregadio, então procure um calçado com uma sola que não escorregue. Também não exagere nas compras, considerando que subir as ladeiras com sacolas ou mochilas pesadas não é fácil. 

Alimentação:  As ruas próximas à Praça Tiradentes são cheias de restaurantes, então comer não é um desafio em Ouro Preto. No geral, as opções para almoço costumam ser mais variadas e acessíveis, com valores entre R$ 15 e R$ 25 para comer à vontade. 

Hospedagem:  As melhores opções para se hospedar em Ouro Preto ficam próximas ao centro, em especial pelo acesso fácil à parte mais movimentada da cidade. Pelo Booking.com é possível encontrar diárias a partir de R$ 99 para duas pessoas em hotéis que ficam a cerca de 150 metros do centro. 

Para mais informações, acesse o site oficial de Turismo em Ouro Preto

    Veja Também

      Mostrar mais