Tamanho do texto

Próxima a São Paulo, a cidade conta com muitas atrações e boa gastronomia

O turista que busca um destino próximo a São Paulo para fazer uma viagem rápida pode colocar Jundiaí no roteiro. A cidade fica a cerca de 60 km da capital e a viagem dura pouco mais de uma hora. O turismo por lá vem crescendo e atraindo viajantes que gostam de conhecer a história local do destino, visitar os pontos turísticos e degustar bebidas de produtores locais.

Leia também: Passeios em Brotas: confira roteiro completo para uma viagem de 3 dias

A Catedral de Jundiaí é um dos símbolos dessa cidade que tem atraído turistas que desejam fazer uma viagem rápida
Reprodução/Prefeitura de Jundiaí
A Catedral de Jundiaí é um dos símbolos dessa cidade que tem atraído turistas que desejam fazer uma viagem rápida


Segundo o último ranking do Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios (IDHM), realizado pelo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, Jundiaí ocupa a 11ª posição entre as cidades mais desenvolvidas do País. Para conhecer bem o local e explorar o turismo, uma sugestão é fazer uma viagem de três dias.

Como é um destino perto de São Paulo, quem sai da capital pode ir de carro ou de ônibus que saem dos terminais Barra Funda e Tietê. Caso não possa ficar três dias no destino, uma opção é fazer um bate e volta pegando o Trem Expresso na Estação da Luz, que funciona aos sábado, partindo às 8h30 e retornando às 16h30.

Para os turistas que vão passar três dias na cidade, Paulo Brunholi, CEO do complexo turístico e gastronômico Villa Brunholi, sugere um roteiro com as principais atrações do destino. Confira:

O que fazer em Jundiaí: dia #1

O Jardim Botânico está entre as sugestões de lugares que o turista pode visitar no primeiro dia em Jundiaí
Reprodução/Prefeitura de Jundiaí
O Jardim Botânico está entre as sugestões de lugares que o turista pode visitar no primeiro dia em Jundiaí


Chegando a cidade, o indicado é já começar explorando os pontos turísticos do centro, como o Museu Ferroviário, o Solar do Barão, o Jardim Botânico ou o Parque da Cidade, que conta com academia ao ar livre, centro náutico, jardim japonês, pista para caminhada, ciclovia, quadras esportivas e outras atrações.

Leia também: O que fazer em Santiago em 3 dias? Roteiro indica as principais atrações

No centro, a arquitetura das igrejas é algo que chama a atenção dos turistas e rende boas fotos. Depois de explorar todos ou alguns desses lugares, se ainda tiver pique, você pode visitar a Biblioteca Municipal, o Sesc da cidade ou conferir a programação do teatro Polythema.

O que fazer em Jundiaí: dia #2

Em Jundiaí, é possível conhecer parreiras de uvas e ver de perto a onde são produzidos os vinhos
Divulgação
Em Jundiaí, é possível conhecer parreiras de uvas e ver de perto a onde são produzidos os vinhos


Tire o segundo dia de viagem para visitar uma das seis rotas turísticas populares em Jundiaí, são elas: Castanho, Centro Histórico, Cultura Italiana, Terra Nova, Rota da Uva e a Rota do Vinho. Cada uma possui atrações específicas, então vale a pena pesquisar para ver qual combina mais com seu perfil.

Nas rotas, você pode encontrar variados atrativos como mini fazendas, adegas, cachaçarias e até um rodízio de massas, por isso, é interessante aproveitar a gastronomia local. Ao optar pela Rota do Vinho, por exemplo, o turista pode percorrer pelas fazendas e conhecer as histórias e os produtores locais.

“Uma história que não pode ficar de fora da lista é a da uva niagara rosada, considerada tesouro da cidade. Ela surgiu na região a partir de uma mutação somática espontânea da uva niagara branca, em 1933, e, inclusive, no ano seguinte foi que se deu início a Festa da Uva, que ocorre até hoje entre os meses de janeiro e fevereiro”, comenta Paulo.

Quando a fome bater, as indicações do profissional entre as muitas opções de restaurantes são: O Italianão, que tem rodízio de camarão por R$59,90 por pessoa, o Beraldo Di Cale, que oferece comida típica italiana da fazenda com especialidades como o risoto caipira de bacalhau e costelas suínas à moda do chef, e também o Kiosque Roseira, que é famoso pelas coxinhas de queijo.

O que fazer em Jundiaí: dia #3

A Serra do Japi é uma das atrações de Jundiaí indicadas para quem quer ter mais contado com a natureza
Reprodução/Prefeitura de Jundiaí
A Serra do Japi é uma das atrações de Jundiaí indicadas para quem quer ter mais contado com a natureza


O destino possui muita área verde, então nada melhor do que aproveitar a viagem para se conectar com a natureza. Para isso, a sugestão é conhecer a Serra do Japi, um espaço de trilhas e cachoeiras. Outra ideia é fazer umas compras nas adegas da região que contam com opções de cachaças, vinhos, espumantes e alimentos artesanais. Paulo indica visitar as seguintes: Adega Martins, a Maziero e a tradicional Casa Cereser.

Leia também: Olímpia: veja roteiro de três dias para curtir a cidade com a família

A maioria das adegas deixa o turista degustar as bebidas, então tome cuidado para não exagerar, principalmente se estiver dirigindo.

O turismo em Jundiaí continua em expansão e a cidade possui outras atrações além dessas, como passeios ciclísticos, feiras de artesanatos e visitas aos parques Wet’n Wild (aquático) e Hopi Hari, pois são próximos de lá.