Tamanho do texto

Gisella e Fernando De Borthole são criadores do blog "Sonho e Destino" e colunistas do iG. Nesta semana, eles contam detalhes de Pedra Grande

Uma verdadeira “selva de pedra”, é assim que é conhecida a principal metrópole do país. São Paulo é uma cidade agitada, cheia de contrastes e vários cenários. Conta com muitos prédios carros e concreto, mas também áreas verdes, como na região da Serra da Cantareira. Como somos um casal aventureiro, resolvemos ir até o Parque Estadual da Cantareira para conhecer a Pedra Grande .

A Pedra Grande é a principal atração do Parque Estadual da Cantareira
Arquivo pessoal
A Pedra Grande é a principal atração do Parque Estadual da Cantareira


Leia também: Conheça 5 ilhas paradisíacas em Ubatuba

Para chegar ao Parque Estadual da Cantareira  precisamos da ajuda do GPS, pois o acesso é um pouco difícil para quem não conhece a região. O trajeto leva cerca de 50 minutos partindo do centro de São Paulo. Chegando próximo ao parque, o caminho se torna bem sinuoso e passando por alguns bairros da Zona Norte da cidade.

O estacionamento é livre e tem seguranças de rua que ficam dispostos a ajudar, mas é necessário ter sorte para achar uma vaga próxima à portaria do parque, principalmente aos finais de semana.

Quando saímos de casa estava muito sol, mas a chuva resolveu aparecer em nosso caminho e assim que chegamos ao parque vimos que estava fechado. Isso é algo comum de acontecer em dias chuvosos - eles fecham para garantir a segurança das trilhas e de quem visita o local. O parque só abriu após a chuva passar.

Floresta cheia de opções

A Serra da Cantareira possui quatro núcleos que podem ser visitados e sua área é de mais de 79 km². O núcleo da Pedra Grande foi o primeiro aberto ao público em 1989 e hoje todos os núcleos se conectam a ele, em uma caminhada que pode levar um dia inteiro ou até mais.

A trilha é bem larga e está em boas condições
Arquivo pessoal
A trilha é bem larga e está em boas condições


Como estamos falando de um parque estadual preservado, de uma floresta com muita fauna e um passeio literalmente no meio da Mata Atlântica , algumas regras devem ser seguidas. A primeira delas, sem dúvida, é o respeito com a natureza. Não é permitido jogar lixo, alimentar os animais locais e retirar coisas nativas. Também não é possível o acesso com o animal de estimação.

Contato com a natureza 

Começamos o passeio logo que a chuva passou. São 4,6 km de subida, mas não é nada tão complicado, pois a trilha principal que liga a entrada até a Pedra Grande é toda de asfalto e tem um caminho bem largo, até os carros de segurança do parque trafegam por lá. Para os mais esportistas, é possível pegar outras trilhas que ficam mais no meio da mata.

Leia também: Viagem pela Tailândia: como é tomar café e até banho com os elefantes

Estamos falando de uma floresta , onde a fauna é riquíssima, então é muito comum cruzarmos com animais silvestres, como macacos (o Bugio está por toda parte), tucanos e outras aves e milhões de espécies de insetos.

Mesmo sendo no meio da Mata Atlântica, o parque é bem preparado para motivar o visitante
Arquivo pessoal
Mesmo sendo no meio da Mata Atlântica, o parque é bem preparado para motivar o visitante


No meio da caminhada a chuva voltou e veio com tudo. Não tínhamos guarda-chuva, mas isso não estragou nosso passeio, pelo contrário, deixou o clima com mais cara de Mata Atlântica e foi muito refrescante. Seguimos em frente e logo que a chuva passou veio a surpresa: o asfalto quente em contato com a água liberava vapor deixando a paisagem ainda mais bonita.

Curtindo a paisagem

Depois de quase 40 minutos andando, ou melhor, subindo, chegamos até a famosa Pedra Grande. A trilha dali continua para os outros núcleos, mas com certeza aquele é dos principais pontos de parada, no qual as pessoas descansam observando a linda paisagem da cidade. O silêncio é indescritível, nem parecia que estávamos em São Paulo .

O casal conta que foi incrível ver a cidade do alto e identificar os principais pontos turísticos da metrópole
Arquivo pessoal
O casal conta que foi incrível ver a cidade do alto e identificar os principais pontos turísticos da metrópole


É simplesmente maravilhoso ver a cidade do alto. Mesmo estando longe é possível avistar a Avenida Paulista, o Parque Ibirapuera e os prédios mais altos da metrópole. O local é lindo, mas não é vendido nenhum tipo de bebida ou alimento, então sugerimos levar alguns suprimentos para o passeio, assim você aproveitará mais.

Floresta na cidade grande

Resolvemos não ir para outro núcleo dessa vez e aproveitar apenas aquele local, pois o parque fecha às 17h. Outra dica importante é chegar antes das 15h, pois como o caminho é longo, eles não deixam ninguém subir depois desse horário. Ficamos sentados por muito tempo aproveitando tudo aquilo e descansando.

Leia também: Viagem pela Ásia - como planejar um tour completo pelo continente

Nesse passeio, chegamos a conclusão de que quanto mais andamos por São Paulo, mais queremos conhecer essa cidade. Uma metrópole que mesmo com tanto trânsito e arranha céus guarda um parque tão lindo e verde, como o Parque Estadual da Cantareira, que preserva um pedacinho da gigante Mata Atlântica.