Destinos ao redor do mundo onde se pode aproveitar o melhor do chocolate
Dzenina Lukac/Pexels
Destinos ao redor do mundo onde se pode aproveitar o melhor do chocolate

Com a Páscoa se aproximando, os chocólatras de plantão já começam a ficar ansiosos. Para aqueles que nunca abrem mão de um bom chocolate, há destinos espalhados pelo mundo que são especialistas nesse setor e atraem justamente os turistas que desejam conferir isso de perto. A lista abrange a América do Norte, América do Sul e Europa, com fábricas abertas para visitação e lojas renomadas.

Além disso, para os que desejam passeios mais interativos, também há destinos com parques, trens e museus que mostram um pouco mais sobre o processo de fabricação do chocolate, desde o cacau até os diferentes formatos que pode tomar: bombom, barra, ovos, bolos etc. 

Suíça

Falar da Suíça é falar sobre chocolate, mais cedo ou mais tarde. O país tem um dos chocolates mais famosos e deliciosos do mundo, com marcas famosas como Cailler-Nestlé, Toblerone, Lindt, Sprüngli e Teuscher. Com fábricas em várias cidades – Zurique, Genebra, Broc e Bern –, é possível compreender o motivo pelo qual os suíços são os maiores consumidores de chocolate de todo o mundo. É estimado que, ao longo do ano, um suíço consuma cerca de 9 kg de chocolate. No país, a iguaria quase sempre possui leite na fabricação, por isso a maioria é bem adocicada e macia ao paladar. 

Em Zurique é onde fica a fábrica da Lindt, que vende chocolates a um bom preço para quem deseja levar uma boa quantidade de lembrancinhas. O espaço também oferece uma área mais interativa com a história da fábrica. O visitante pode ter um dia inteiro de chocolate e até mesmo produzir os próprios bombons. Já em Berna, fica a fábrica da Läderach. Os que passarem pela cidade podem agendar uma visita por meio do site e conhecer etapa por etapa da fabricação dos doces, além de fazer degustação. 

Um ótimo passeio para os verdadeiros amantes de chocolate é o “The Swiss Chocolate Train”, um percurso de trem que sai de Montreux e vai até Broc, onde fica a fábrica da Cailler-Nestlé. Durante o trajeto, há uma parada em Gruyeres, onde é fabricado o famoso queijo gruyere.

Bélgica

Esse é outro destino no qual as pessoas consomem muito chocolate. Há mais de 12 fábricas, 16 museus e cerca de 2 mil lojas especializadas no segmento. Não é por menos que a cidade de Bruxelas é considerada a Capital Mundial do Chocolate: a produção começou no país quando os primeiros grãos de cacau foram trazidos para a Europa, ainda no período das Grandes Navegações. Há boatos de que foram os belgas que inventaram várias receitas relacionadas ao chocolate. 

Duas das maiores fabricantes de chocolate do mundo ficam precisamente em Bruxelas: Leonidas e Godiva, além das lojas de Pierre Marcolini, simplesmente um dos chocolatiers mais famosos do mundo. Também é possível destacar a loja Chocolates Neuhaus, muito famosa porque o fundador, Jean Neuhaus, inventou nada mais, nada menos que o praliné, confeito de chocolate com castanhas. 

Também tem a fábrica Mary, que foi fundada em 1919 e rolam boatos de que é a favorita da família real. Além disso, a cidade possui o Museu do Cacau e do Chocolate, onde profissionais chocolatier explicam sobre essa iguaria e os visitantes fazem degustação de praliné. 

Itália

Chocolate Baci, produzido em Perugia
Reprodução
Chocolate Baci, produzido em Perugia

A gastronomia italiana é com certeza um dos pontos fortes que chama tanto a atenção dos turistas, e o chocolate não fica fora disso. Na capital, Roma, há lojas de várias fábricas, como SAID, Cioccolata e Vino, Venchi e Perugina Sutti, além, é claro, do Ferrero Rocher, que além de bem famoso no Brasil, também é superpopular na Itália. Além da capital, outras cidades disputam o título de capital do chocolate no país: Perugia e Turim. 

Em Turim existe uma grande quantidade de chocolatiers que desenvolvem receitas maravilhosas e totalmente exclusivas. É possível até comprar ingressos antecipadamente e participar de um tour e degustação de chocolate na cidade. O passeio dura duas horas e passa por três lojas diferentes. Entre os itens mais populares, está o cioccolato caldo, um chocolate quase cremoso que une chocolate amargo e muito chantilly. Também tem o bicerin, uma bebida quente com camadas de chocolate, leite e café expresso, além do gianduiotto: bombom com avelãs torradas. 

Em Perugia, por sua vez, além das lojas está a Fábrica de Chocolate de Perugia, aberta para visitação, e um festival dedicado à iguaria, chamado Eurochocolate, que também tem edições em Osaka, no Japão.

Leia Também

Leia Também


Espanha

Museu de La Xocolata
Reprodução
Museu de La Xocolata

Por incrível que pareça, há muito sobre o chocolate em terra espanhola. Isso porque, segundo lendas locais, os espanhóis foram os primeiros europeus a experimentar o chocolate durante as Grandes Navegações. O point principal do doce no país é a cidade de Barcelona, pois foi lá que a primeira máquina de chocolate foi construída na Espanha, em 1780 – época na qual o cacau era adoçado com cana-de-açúcar na fabricação do chocolate.

Atualmente há mais de 117 fábricas de chocolate na Espanha, além das lojas espalhadas por todo país. As principais marcas espanholas são: Valor, Torras, Trufas e Tirm. Os amantes de chocolate também têm a possibilidade de ir ao museu dedicado ao segmento: o Museu de La Xocolata, localizado no antigo convento de Santo Agostinho. Lá é possível conhecer mais da história do chocolate, a chegada dele na Espanha, produção, degustação e até mesmo jantares temáticos.

Estados Unidos

Hershey Park
Divulgação
Hershey Park

Fica nos Estados Unidos o “lugar mais doce da terra”, segundo os próprios americanos, que é como chamam a Derry Church, cidade da Pensilvânia. O motivo são as fábricas da Hershey Company e HB Reese Candy Company – que pertence ao grupo Hershey. Além disso, a cidade também recebe o Hershey Park, considerado simplesmente o maior parque temático de chocolate do mundo. O local conta com quatro áreas onde localiza-se o parque de diversões – com 14 montanhas-russas, parque aquático, cidade de chocolate (Chocolatetown), museu da história do chocolate e da Hershey, lojas e restaurantes.

Saindo da Pensilvânia, outro destino dos EUA que se destaca pelo chocolate e vale a pena conhecer é Nova York. Lá fica uma leva de produtores de chocolate artesanal, como a Jacques Torres Chocolate, Chocolate Bar e o Kee’s Chocolate.

México

Oaxaca, sul do México
Reprodução
Oaxaca, sul do México

Apesar de não parecer, é possível para os amantes de chocolate aproveitar bastante o México. O destino mais indicado é Oaxaca, considerada a capital gastronômica do país. Dizem que ela foi uma das primeiras cidades do mundo a descobrir o chocolate e utilizar o cacau em variados pratos mexicanos. A produção do cacau começou no México há mais de 3 mil anos e, de acordo com lendas locais, foi a civilização maia que transformou o chocolate em bebida.

Em Oaxaca ficam muitas lojas vendendo chocolate de diversas formas, como em barra, bombom e bebida. Há também fábricas de marcas mexicanas, como Mayordomo, La Soledad e Guelaguetza – as famosas – e outras bem conhecidas no país: Ibarra, Ricollino e Taza Chocolate Mexicano. 

Brasil

Para quem deseja aproveitar o melhor do chocolate sem sair dos limites do país, o Brasil oferece algumas opções, como Gramado e Campos do Jordão. As cidades, caracterizadas pelo clima mais frio e colonização europeia, possuem fábricas artesanais e muitas lojas para explorar, além de cafés e docerias que trazem variadas opções envolvendo chocolate. 

Gramado, no Rio Grande do Sul, foi a primeira cidade do Brasil a criar uma fábrica artesanal. Há muitos pratos – tanto doces quanto salgados – que usam o chocolate como ingrediente, o que faz dele uma das fontes de turismo da cidade. Lá é possível visitar o parque Mundo do Chocolate, que possui pontos turísticos do mundo feitos com a iguaria, como a Torre Eiffel. Ao todo são mais de 20 peças em uma área de 3 mil m², utilizando mais de 30 toneladas de chocolate. Também acontece a Chocofest, que passa por várias cidades gaúchas. 

Entre as marcas mais populares de Gramado estão a Prawer, com mais de 150 sabores, o Lugano, o Chocolate Gramadense e a Florybal. Já Campos do Jordão, no interior de São Paulo, é conhecida como a “Suíça brasileira”. Toda cidade tem clima e arquitetura europeia, além de muito chocolate. O que não faltam são lojas vendendo chocolates artesanais de marca própria, cafés e restaurantes. Além de fábricas abertas para visitação, como a Chocolate Araucária, que entre maio e novembro abre o Museu do Chocolate com exposições, há também marcas famosas na cidade: Chocolate Montanhês e a loja da Bruna Alves Chocolatier.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários