Álvaro Fernandes criou o canal Estruturando Ideias para compartilhar dicas de viagens.
Divulgação
Álvaro Fernandes criou o canal Estruturando Ideias para compartilhar dicas de viagens.

O influenciador Álvaro Fernandes realizou a primeira viagem internacional quando tinha apenas 11 anos, para a Disney. Desde então, ele já viajou para mais de 40 países, entre a África, Ásia, América e Europa. Em 2017, criou um roteiro e, em oito meses, conheceu mais de 28 países. Além disso, o criador de conteúdo não era fluente em inglês. Segundo ele, a sua bagagem em uma língua estrangeira era bem pequena. 

Os países visitados pelo influenciador se estendem pelo mundo todo, foram eles: Espanha, Marrocos, Irlanda, País de Gales, Escócia, Irlanda do Norte, Portugal, Grécia, Malta, Israel, Alemanha, Romênia, Bósnia-Herzegovina, Croácia, Áustria, Eslovênia, Eslováquia, Hungria, República Tcheca, França, Suíça, Itália, Vaticano, Holanda, Bélgica, Chipre, Polônia e Chile.

Apaixonado por viajar, Álvaro conta que a principal dica é o planejamento. Mesmo que o turista não conheça a língua nativa do país de destino, com muita pesquisa é possível aprender tudo o que é necessário para se virar no local. Ele diz que seu maior conselho seria se jogar sem medo.

"Podia acabar o conselho por aí, mas às vezes o principal problema é o nosso medo. E isso é normal, mas se jogar é a única chance de saber se vai dar certo, depois a gente olha para trás e vê que conseguimos e isso dá muito orgulho. Hoje em dia temos celular, tradutor, livros e tudo para ajudar os viajantes, então estude bem o destino que você vai e se esforce, a maioria das pessoas estará apta para te ajudar”, explica. 

Estampa da camiseta utilizada por Álvaro para se comunicar em outros países.
Vandal

Estampa da camiseta utilizada por Álvaro para se comunicar em outros países.

Para se comunicar nos países que viajou, ele relata que usou aplicativos de tradução, como o Google Tradutor. Além disso, outro aliado que o ajudou a se fazer entender em idiomas desconhecidos foi o "camisetão do viajante", uma camiseta estampada com diversos símbolos, bastando o turista apontar para conseguir a informação que deseja. A vestimenta tem ícones que representam wi-fi, cafés, banheiros e transportes, por exemplo. "Outra coisa que me auxiliou foi a paciência das pessoas que, na maioria dos lugares, eram bem calmas e tinham paciência de conversar e explicar", lembra.

De acordo com Álvaro, foi no Marrocos que encontrou o idioma mais difícil de entender. "Sem dúvida nenhuma foi o árabe. No Marrocos, eles falam o dialeto local, o Darija, além do árabe marroquino e a segunda língua, que o é francês. Alguns até falam inglês que dá para entender um pouco, mas são poucos", conta. 

Contudo, a maior dificuldade encontrada em relação ao idioma foi na Polônia, país europeu que faz fronteira com a Alemanha. "Na Polônia, não encontrei ninguém que sabia nem 'arranhar' no inglês, e não consegui pegar o metrô que era muito difícil sem internet. Eu tive que andar por volta de 1 hora na chuva e com 5°C até chegar na minha acomodação. Quando cheguei,  descobri depois que de metrô faria em 15 minutos", relata.

A viagem internacional mais marcante do influenciador foi ao  Marrocos, país no norte da África banhado pelo Mar Mediterrâneo . De acordo com ele, foi uma experiência única justamente pelos contrastes culturais que ele encontrou, além de uma população extremamente receptiva. No Brasil, ele destaca o estado do Maranhão como destino imperdível, com paisagens únicas dos lençóis maranhenses. Além disso, ele aponta para Alcântara, cidade na região metropolitana de São Luís. Embora pouco conhecida, o lugar é aconchegante e tem um grande potencial turístico.

Leia Também

Leia Também

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também

Leia Também

“O Marrocos foi a minha primeira viagem para a África e a primeira totalmente diferente culturalmente do que a gente vive. O Deserto do Saara foi uma experiência única, tendas no meio do deserto depois de andar mais de uma hora de camelo. Até chegar a enfrentar as brutais diferenças de temperatura. Sabe o filme 'A Múmia' que tem aquele bicho escaravelho? Então, aquilo tinha por todos os lugares e a noite você sentia ele andando”, comenta. 

Leia Também

Com tantas viagens incríveis no currículo, ele não deixa de salientar que já enfrentou alguns imprevistos. Em um deles, foi barrado pela imigração na Irlanda porque esqueceu de um detalhe no visto.

“Estava com a minha mãe e fiquei horas detido na famosa salinha. Íamos passar apenas quatro dias, mas esqueci de uma carta-convite para ficar na casa de um amigo. Tive que me desenrolar muito, fazer mímica e conseguir entrar em sintonia com as informações que eu dava com as corretas. Depois de quase 50 minutos conseguimos passar pela imigração”, revela.


Álvaro afirma que não tem um tipo favorito de viagem. Segundo ele, não hesita em realizar um mochilão por algum lugar do mundo, mas também não nega uma experiência mais luxuosa.

“Depende da minha paz de espírito. De todos os jeitos, mas eu gosto muito de viajar de ônibus, na Europa mesmo, em um ano eu fiz mais de 30 viagens de ônibus. Inclusive saindo da Croácia para Viena, na Áustria, e lá se foram mais de 18 horas”, finaliza.



** Beatriz Neves é estudante de jornalismo. É estagiária de Soft News do iG desde março de 2021 e já escreveu para as editorias Delas, Receitas, Turismo, Gente, Canal do Pet e Queer. É apaixonada por tudo o que envolve livros, cinema e música, principalmente os clássicos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários