Tamanho do texto

Um país repleto de cultura e diferentes paisagens como o Marrocos merece um roteiro de viagem exclusivo. Para ajudar selecionamos quatro cidades que achamos incríveis durante as nossas andanças por lá

O Marrocos é um destino cada vez mais procurado para o turismo. O país traz uma cultura muito interessante, com uma diversidade geográfica extensa, combinando o deserto com montanhas e a costa atlântica repleta de praias. Marrocos tem cidades modernas e também outras que mantém muito de sua história e tradições. É possível planejar uma viagem pelo país e visitar várias dessas cidades. Elencamos aqui 4 delas que gostamos muito durante nossa passagem por Marrocos.

Leia também: Expert em viagens exóticas dá dicas de passeios pelo Marrocos

1. Fés 

Em frente a um dos portais da Medina de Fés
Arquivo pessoal
Em frente a um dos portais da Medina de Fés

Apesar de nossa viagem ter começado pela capital do país, Casablanca, por ser o ponto de entrada no Marrocos (existem voos diretos entre o Brasil e Marrocos), nós fomos também para uma cidade mais ao norte: Fés. O nome pode não parecer familiar, mas sua cultura, costumes e tradições são conhecidas no mundo todo, principalmente por serem citados em filmes e também em novelas brasileiras.

Fés nos deixou boquiabertos logo que atingimos suas primeiras ruas, não pelo valor histórico da maior Medina do Marrocos, mas por um fator oposto a este. Fés conta com um centro novo e moderno, com shoppings, largas avenidas e muita influência da cultura ocidental. A cidade tem mais de 1 milhão de habitantes, onde cerca de 380 mil vivem dentro da Medina.

Um dos diversos curtumes que estão espalhados pela Medina de Fés
Arquivo pessoal
Um dos diversos curtumes que estão espalhados pela Medina de Fés

A Medina de Fés é a maior do Marrocos, e lá a atividade é intensa, com muitos comerciantes fazendo todo tipo de negócios. Muita comida local, animais, artesanato e especiarias. O que mais chama a atenção dentro da Medina é como eles carregam carga. Como as ruas são muito estreitas, impossibilitando a entrada de carros, burros acabam fazendo o serviço.

Para andar por essa ruas da Medina é preciso conhecer, então é indispensável a presença de um guia local, não só para não se perder, mas também para visitar pontos específicos que seriam impossíveis de serem achados sem a ajuda de quem conhece.

Algo muito conhecido e falado de Fés são os curtumes. Tratam-se de vários locais onde são tratados os couros dos animais, muito típicos no Marrocos. Os curtumes são parte de uma tradição milenar marroquina. A imagem dos curtumes é tão forte que muitas pessoas acham que o Marrocos se resume a isso.

Interior da Medina de Fés
Arquivo pessoal
Interior da Medina de Fés








2. Marrakesh 

Marrakesh é conhecida como a Cidade Vermelha. Ela é a quarta maior cidade do Marrocos e parte das chamadas "Quatro cidades Imperiais do Marrocos". O local já impressiona no primeiro contato. A modernidade misturada com a tradição milenar da Medina local encanta quem visita. Nos hospedamos em um resort localizado em uma área com muitas construções. Construções essas de hotéis e resorts que formarão um complexo turísticos muito promissor, afinal, Marrakesh pode ser tornar um grande polo turístico daqui a alguns anos.

Estação de trem do centro de Marrakesh
Arquivo pessoal
Estação de trem do centro de Marrakesh


A cidade oferece shopping modernos, avenidas largas e uma grande estação de trem, com uma construção imponente e luxuosa. Ao mesmo tempo, a cidade carrega milênios de história dos povos berberes, uma das primeiras civilizações a ocupar o planeta. É comum vermos muitas coisas escritas em francês, árabe e berbere. Os museus da cidade focam muito na história dessa civilização.

Mercado que acontece diariamente dentro da Medina de Marrakesh
Arquivo pessoal
Mercado que acontece diariamente dentro da Medina de Marrakesh

Como em quase toda cidade marroquina, não podia faltar a cidade murada, a Medina, classificada como Patrimônio Mundial em 1985. Diferente daquela de Fés, a Medina de Marrakesh tem as ruas mais largas, então é muito comum ver carros circulando lá dentro, mas claro que os burros de carga também fazem parte do dia a dia.

O mais interessante dessa Medina é a feira que acontece diariamente a partir das 17h e vai até a madrugada. Localizada em uma área ampla da Medina, a feira oferece todo tipo de comida local, sucos, especiarias artesanatos e o famoso chá marroquino, um delicioso chá verde com hortelã que é a bebida típica do Marrocos. Como se trata de um país islâmico e eles não consomem bebida alcoólica, os locais chamam o chá de whisky marroquino!

Avenida do centro moderno de Marrakesh
Arquivo pessoal
Avenida do centro moderno de Marrakesh

3. Essaouira

 Já falamos em detalhes sobre Essaouira aqui em nossa coluna, relembre clicando aqui , então não vamos me alongar muito dessa vez.

Vista de uma das torres da Medina de Essaouira
Arquivo pessoal
Vista de uma das torres da Medina de Essaouira
Porto de Essaouira
Arquivo pessoal
Porto de Essaouira

Essaouira é um balneário banhado pelo Oceano Atlântico, com hotéis maravilhosos e uma estrutura de dar inveja a muita cidade costeira.

Logo na chegada já notamos que é uma cidade totalmente turística. Na praia são oferecidos passeios a cavalo e, claro, a camelo. Também é possível alugar quadricíclos, ter aulas de surfe e almoçar em um dos restaurantes na beira da areia. Claro que o que mais chama a atenção é o porto dos pescadores e a velha Medina.

O porto é lotado de pequenas e grandes embarcações, desde canoas dos pescadores até grandes barcos de pesca mais profissional. Os pescadores montam diariamente barraquinhas em uma espécie de feira livre para vender parte daquilo que foi pescado. Não tem como ser mais fresco, alguns animais eles ainda mantém vivos, para garantir o frescor. Claro que um lugar como esse não tem um cheiro muito agradável. Na verdade passa a ser insuportável, pois tudo acontece naquele local. 

4. Casablanca

Casablanca é a maior cidade do Marrocos, com mais de 3 milhões de habitantes. Cidade de prédios baixos, com uma história muito rica, unindo várias culturas e costumes.

Vista de Casablanca
Arquivo pessoal
Vista de Casablanca


Infelizmente só passamos um dia por lá, mas foi o suficiente para visitar um pouco do lado antigo, como a sétima maior mesquita do mundo com a torre mais alta e também o lado mais moderno, como o Marocco Mall, um shopping gigantesco construído a beira mar com uma arquitetura ousada. Saindo do shopping, onde tivemos um programa típico paulistano, fomos andando pela orla da praia por 5km até chegarmos ao nosso hotel. Muita gente caminhando e aproveitando o por do sol. O clima do país todo nessa época do ano (dezembro) é muito agradável. Um calorzinho durante o dia e frio a noite. 

Mesquita Hassan II em Casablanca
Arquivo pessoal
Mesquita Hassan II em Casablanca

Casablanca também tem Medina, mas lá são duas, uma antiga, onde só é moradia e não nos aconselharam a entrar lá como turista, e uma mais nova, onde segue um pouco o conceito da Medina de Essaouira. O local mais deslumbrante que visitamos foi o farol, onde pudemos subir e ver a cidade do ponto mais alto. E nã podemos esquecer de citar a famosa mesquita Hassan II, que é um cartão postal da capital marroquina.  

A viagem de Marrocos foi muito enriquecedora para nós. Um local ao mesmo tempo exótico, muito ocidentalizado e muito acolhedor. Suas línguas oficiais, o árabe e o francês, são exemplos de como as culturas se misturaram de uma forma harmoniosa. Um país islâmico com um respeito enorme com todos aqueles que o visitam. Para se comunicar o francês foi a língua usada por nós, já que o árabe está um pouco longe de nós. O inglês não é muito falado, somente por aqueles que trabalham com o turismo de alguma forma. Então fica a dica, se você não fala francês, vale a pena ter um guia. Para saber mais dicas de viagens e destinos, acompanhe nossa coluna aqui no iG Turismo .

    Leia tudo sobre: instaig InstaiG