Tamanho do texto

Passageira ressalta que não recebeu apoio da companhia aérea e ainda diz que comissário se recusou a limpar o assento, pois "não era seu trabalho"

Rosetta Swinney, de 53 anos, embarcou em um avião da Frontier Airlines com suas filha que ia de Las Vegas para a Carolina do Norte. No entanto, ao entrar na aeronave, percebeu que havia vômito no assento. Logo uma confusão começou e, como resultado, ela foi levada pela polícia, acabou sendo presa e permaneceu na prisão por 12 horas.

Leia também: Passageira é barrada em voo por causa de traje "inapropriado"

mulher sendo presa em aeroporto
Reprodução/TheSun
Ao embarcar, Rosetta percebeu que havia vômito no assunto da filha – e logo uma confusão começou dentro da aeronave

A mulher conta que o voo já havia sido adiado para que os funcionários pudessem resolver um problema, mas, ao embarcar, percebeu que havia algo de errado no assento da sua filha. Em entrevista à WTVD-TV , Rosetta diz que a menina passou a mão em algo molhado e, ao sentir o cheiro, notou que se tratava de vômito. Ela ainda sujou sua roupa.

A companhia aérea diz que um comissário de bordo se ofereceu para  acomodar Rosetta e sua filha em outra extremidade do avião enquanto a limpeza seria realizada. A mulher, no entanto, contesta essa versão. Ela alega que todos os seus pedidos foram ignorados e as autoridades foram chamadas para removê-las da aeronave.

“Tudo o que eles precisavam fazer era limpar tudo e deixar a gente voar e voltar para casa. Eu perguntei ao funcionário se ele iria limpar, mas ele disse que aquele não era seu trabalho”, conta à emissora.

Em seguida, um policial chegou. “Ele veio até mim e disse: ‘Você vai ter que sair. Você vai ter que sair do avião’. Eu respondi que não e que havia feito o pagamento pelo voo. Perguntei por qual motivo estava sendo presa e fui informada que estava sendo desrespeitosa e ultrapassado os limites”, afirma.

Leia também: Aeromoça revela 5 atitudes que você não deve ter em uma viagem de avião

Assim que saiu, foi algemada. Ela, então, passou 12 horas na prisão e sua filha, que estava chorando diante de toda a situação, foi colocada sob custódia protetora. Um advogado de Atlanta, Harry Daniels, que representa a Rosetta, diz que nada disso deveria ter acontecido. O profissional declara que é responsabilidade da companhia aérea oferecer um avião limpo. 

Versão em detalhes da companhia aérea

vômito em assento de avião
Reprodução/TheSun
Imagem mostra parte do assento sujo de vômito, o que causou toda a confusão com a mulher e sua filha no voo

O The Sun procurou a companhia aérea envolvida em toda a confusão e, em resposta, a empresa declara: “Durante o embarque do voo 2066 do Aeroporto Internacional McCarran (LAS) para o Aeroporto Internacional Raleigh-Durham (RDU), na semana passada, duas passageiras disseram aos comissários que o vômito estava presente na área dos assentos.”

"Os profissionais pediram desculpas e imediatamente convidaram a mãe e sua filha adolescente a se mudarem para os dois lados do avião para que a área pudesse ser limpa por uma equipe especializada. Elas também foram informadas de que, uma vez que o embarque estivesse completo, elas receberiam outros lugares, se disponíveis”, continua.

A Frontier Airlines ainda comunica que os funcionários ofereceram produtos de limpeza e convidaram a menina para usar o banheiro e se lavar. "A mãe ficou insatisfeita com a resposta e ficou perturbada. Como consequência, os comissários determinaram que ambas deveriam ser retiradas e acomodadas em outro voo ”, informa.

Leia também: Passageiro exige assento de avião com janela – e aeromoça tem reação hilária

“Rosetta recusou e, após o procedimento, a polícia foi chamada. O oficial solicitou que todos se retirassem para que mãe e filha pudessem ser removidas e, assim, os passageiros pudessem voltar e a aeronave partir”, indica. Por fim, a empresa pede desculpas pelo transtorno causado pelo episódio do vômito no assento .