Tamanho do texto

Cidade colonial preserva arquitetura e oferece beleza natural aos visitantes

Se você ainda não conhece a bela cidade histórica e colonial no Rio de Janeiro, Paraty é o reduto de belas praias, pousadas e até mesmo de cultura, a cidade sedia a Flip (Festa Literária de Paraty), que, a cada edição, se confirma como um dos eventos literários mais importantes do país. 

Leia também: Procurando pacotes para Páscoa? Opções saem por parcelas a partir de R$107,90

 Centro histórico de Paraty
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Centro histórico de Paraty

Como se isso fosse pouco, as belezas naturais da cidade, que preserva até hoje encantos naturais e arquitetônicos, são um convite para uma visita em qualquer época do ano. Passear pelo centro histórico de Paraty , onde é proibido o tráfego de automóveis, é como entrar em um túnel do tempo, rodeado de belas paisagens.

Passeios de barco e escunas também são imperdíveis. Eles duram de 4 a 5 horas, e saem diariamente do cais da cidade. Quanto maior for o grupo, mais barato sai o passeio.

Aos amantes da natureza não faltam roteiros, já que na área da cidade estão o Parque Nacional da Serra da Bocaina , a Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, onde fica a Vila da Trindade, e a Reserva da Joatinga. Para completar a lista de atrativos, Paraty faz limite com o Parque Estadual da Serra do Mar.

Leia também: Casal de executivos larga tudo aos 50 anos para viajar pelo mundo

A cidade também se destaca pelos belos hoteis e pousadas. Entre as principais está a Pousada do Sandi. O espaço nasceu como um refúgio familiar na Villa Bom Jardim. Mas foi o amor e o lado de visionário de Alexandre Adamiu (presidente da Paris Filmes) que transformaram um casarão abandonado no Centro Histórico em uma da mais famosas paradas da cidade.

Foram seis anos de reforma, até que Alexandre presenteasse a esposa Sandra com a Pousada do Sandi.

O espaço conta com uma decoração tropical, com obras de artistas locais, juntamente com uma decoração cinematográfica (devido à ligação da família com este ramo), com memorabília de cinema, incluindo um lindo projetor 35 mm, cartas originais escritas à mão de Rita Hayworth para Jack Warner e recordações de Alfred Hitchcock, assim como pôsteres de clássicos, os quais você pode ver pela pousada.

O nome “Pousada do Sandi” é uma homenagem ao Pai de Alexandre, o imigrante Romeno e fundador da Paris Filmes, Sandi Adamiu. Mesmo nome é dado ao filho único do casal, que hoje cuida dos negócios da família. Inclusive, em 2007, ele e seu sócio na Paris Filmes conseguiram algo inédito: fazer de Paraty cenário de um blockbuster mundial! Eles levaram para a cidade as filmagens do Filme Amanhecer – 4° parte da Saga CREPÚSCULO, sendo o destino de lua de mel escolhido pelos românticos vampiros.

A pousada também está na Associação de Hotéis Roteiros de Charme que congrega atualmente 66 hotéis no Brasil. Onde os membros são selecionados pela variedade de suas características, segundo rígidos critérios quanto à qualidade de serviços e responsabilidade sócio-ambiental.

Leia também: Companhia aérea britânica equipará classe executiva com cabines privativas

​Os hóspedes da Pousada do Sandi podem escolher entre 28 quartos – Standards, Apartamentos, e Suítes. Cada uma de nossas acomodações foi restaurada para refletir o charme do nosso prédio de 300 anos e, ao mesmo tempo, haver confortos contemporâneos como Wi-Fi cortesia, TV a cabo e frigobar.

Como chegar 

Do Rio de Janeiro até Paraty, o acesso é pela Rodovia Rio-Santos (BR- 101). Saindo de São Paulo, chega-se até São José dos Campos pela rodovia Presidente Dutra (BR-116). Depois o acesso até Caraguatatuba se dá pela rodovia dos Tamoios (SP-099), seguindo até Paraty pela BR-101.

De São Paulo também é possível pegar a Rodovia Anchieta (SP-150) ou Imigrantes (SP-160), chegando até Cubatão, Guarujá, Bertioga e depois pela BR-101 até Paraty. O acesso aéreo é possível através de aviões mono ou bimotor. Paraty tem um pequeno aeródromo com pista de 30 metros de largura e 585 metros de comprimento.