São Paulo, capital
Vanessa Bumbeers/Unsplash
São Paulo, capital


A capital mais populosa do país completa 468 anos nesta terça-feira (25) e foi listada como um dos melhores 50 lugares para se visitar em 2022 por uma revista norte-americana de turismo. Nela, São Paulo ganhou destaque pela arte, cultura, luxo, design e moda. Além disso, a publicação “Travel+Leisure” chamou a atenção para o fato de que muitos dos destinos citados, incluindo a capital paulista, possuem acomodações privadas e destinos com atividades ao ar livre, algo que interessa muito aos viajantes pós-pandemia.

Entre os vários pontos imperdíveis da cidade que nunca dorme, é possível organizar o roteiro de um dia inteiro para absorver o melhor que a capital tem a oferecer e celebrar os 468 anos de história. Para começar bem, por que não tomar um café da manhã perto da Avenida Paulista? O famoso pão na chapa ou pão com requeijão é um tópico indispensável na vida dos paulistanos. 

Nos arredores da Paulista, o que não faltam são boas padarias que oferecem essas delícias. Aproveitando que está na região, vale a pena conhecer a avenida mais movimentada da cidade, que abriga grande diversidade. Além dela, o ideal é dar uma passada pelo Parque do Ibirapuera também, que é o mais visitado no cotidiano dos moradores da capital – que, em 2017, foi o mais visitado da América Latina, com aproximadamente 14 milhões ao total. 

Além da grande área verde, o Ibirapuera oferece espaço para prática de esportes, piqueniques e relaxamento ao ar livre. Depois, o destino mais legal para curtir o começo da tarde é o Beco do Batman, reduto do grafite paulistano. Para quem é fã de arte urbana, não tem como deixar de visitar. Ele fica bem escondido nas ruelas da Vila Madalena, nas ruas Gonçalo Afonso e Medeiros de Albuquerque. Uma curiosidade interessante é que o nome aparentemente surgiu porque, nos anos 1980, um desenho do Batman apareceu do dia para noite em uma das paredes do beco.

Leia Também

(Continue a leitura logo abaixo) 

Leia Também

A essa altura, ainda há tempo de ir até a Catedral da Sé, incluindo também o centro histórico. A catedral é uma das igrejas mais emblemáticas da cidade e uma das maiores do mundo, concentrando muito da história do município. O primeiro projeto do espaço foi feito em 1591 e era chamada de “Velha Sé”, com participação ativa do cacique Tibiriçá, primeiro índio catequizado pelo padre José de Anchieta.

Desde essa época, a catedral passou por várias transformações até chegar ao que é atualmente. Perto dela, está o Pateo Collegio, onde José de Anchieta fundou São Paulo. Lá, funciona o Museu Anchieta e a Biblioteca do Padre Antônio Vieira, que contam a história da cidade. Bem pertinho dali está o bairro da Liberdade, com forte tradição japonesa, onde é possível encontrar aos finais de semana uma feira com arte oriental, além de uma vasta opção de restaurantes e lojas com artigos nipônicos.

Para complementar ainda mais o trajeto histórico e cultural, ir ao MASP é indispensável. O principal museu da capital tem um dos acervos artísticos mais importantes de todo país. O Museu das Artes de São Paulo é a principal joia paulistana para os amantes de arte. 

Ao passo em que o dia termina, por que não assistir ao pôr-do-sol no Mirante Nove de Julho? Ele fica a uma quadra da Paulista e oferece uma vista belíssima da capital. Além disso, lá também é um palco importante para manifestações culturais na cidade, incluindo música, feiras de variedades, oficinas, exposições, arte urbana, cinema ao ar livre e um maravilhoso café/bar.

Por fim, para encerrar o dia com chave de ouro, um jantar na Rua Augusta é uma boa pedida. Ela é sem dúvidas uma das ruas mais famosas da capital, além de bastante democrática e descolada. Com opções para lojas, bares, restaurantes e baladas, a Augusta nunca para. Também está perto da Paulista e é ideal para buscar por um barzinho agradável para jantar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários