Ensaio de casamento na vinícola Inconfidência
Reprodução Instagram Hugo Carneiro
Ensaio de casamento na vinícola Inconfidência


Cada vez mais o Brasil demonstra apreço não só pelo  vinho - o consumo cresceu 18,5% somente este ano, de acordo com a Organização Internacional da Vinha e do Vinho -, mas pelo cultivo das uvas e produção da bebida. O turismo do vinho mais conhecido fica no Rio Grande do Sul , mas São Paulo já mostrou que não fica muito atrás com as cidades de  São Roque e Jundiaí , cada uma com sua rota do vinho. Pouco antes da pandemia,  o Rio de Janeiro dava seus passos com a primeira e única vinícola disponível para visitação e degustação.

A vinícola Inconfidência teve suas primeiras parreiras plantadas em 2010 no terreno que antes cultivava café. Maurício - um dos três filhos de Ângela e José Claudio Aranha - conta que depois de um inverno rigoroso, eles perderam toda a plantação de café, sem chance de recuperação. Entretanto, seu José observou no frio a oportunidade de mudar o foco da plantação e começou a percorrer vinícolas para ver se sua ideia era possível: uma vinícola no Rio de Janeiro.

Foi em Minas Gerais - sim, os mineiros também têm sua rota do vinho - que seu José conheceu o agrônomo Murillo Albuquerque Regina. O profissional com pós-doutorado francês na técnica de vinicultura já trabalhava com uma tecnologia de duas podas nas parreiras, permitindo a produção de uvas no inverno na região da Mantiqueira mineira. Então, em 2010, a família Aranha e outros profissionais desenvolvem um plano para, em dez anos, atingir a meta de produção e vinificação das uvas na propriedade.

Você viu?

Uvas e vinhos da Inconfidência

O foco da vinícola, desde o começo, é a produção de vinhos finos de alta qualidade. Para isso, eles escolheram plantar uvas tintas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Syrah, enquanto a uva branca escolhida foi a Sauvignon Blanc. Em 2013, elas começaram seu período produtivo. “No começo, a gente plantava aqui no Rio de Janeiro e levávamos as uvas para vinificação na Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais). Quando nós terminamos de construir a unidade de vinificação em 2018, no ano seguinte já centralizamos tudo no nosso terreno”, conta Maurício.

Visitação e degustação

A vinícola Inconfidência oferece duas opções de passeios e cada um deles dura, em média, uma hora, sendo em torno de 20/25 minutos na área das parreiras e o restante do tempo para degustação. A diferença entre eles está na parte de prova: para degustar um rótulo, o valor é R$ 50, e dois rótulos o valor é R$ 60.

Com a pandemia, Maurício conta que as visitações foram suspensas até a vacinação estar completa, mas que eles já têm planos para 2022, especialmente porque algumas uvas deram safra este ano e isso vai aumentar o número de rótulos da vinícola de cinco para sete. "Nós estamos com um projeto de oferecer cestas de piquiniques, além da degustação, para que as pessoas possam aproveitar mais o passeio e o tempo aqui na propriedade. Para um futuro distante, planejamos montar um restaurante e servir pratos harmonizando com nossos vinhos".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários