Tamanho do texto

A Cidade Maravilhosa atrai milhões de turistas todo ano, mas nem todos sabem o que não fazer no Rio de Janeiro - e você não será mais um deles se seguir estas dicas dadas pelos próprios cariocas

Ano após ano, milhões de turistas vão à capital fluminense atrás de sol, mar e cartões postais como a Calçada de Copacabana, o Pão de Açúcar ou o Cristo Redentor. E, embora eles conheçam os roteiros da cidade, muitos não sabem o que não fazer no Rio de Janeiro para evitar estresse.

Leia também: 7 praias perto do Rio de Janeiro para um bate e volta com a família

Vista aérea do Cristo Redentor arrow-options
shutterstock
Saber o que não fazer no Rio de Janeiro irá te salvar de muitos contratempos durante suas viagens à Cidade Maravilhosa

Por se tratar de uma metrópole, as dicas de o que não fazer no Rio de Janeiro podem ser um pouco mais complexas do que em destinos menores como  Gramado ou  Campos do Jordão - mas isso não significa que elas sejam menos importantes.

E para não deixar você na mão, o iG Turismo conversou com alguns cariocas para pedir dicas úteis aos turistas que vão para a Cidade Maravilhosa à procura de divertimento e uma folga da rotina.

O que não fazer no Rio de Janeiro #1: depender de um guia para passear

Guia turístico apontando para um mapa em frente à praia no Rio de Janeiro arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: depender do guia turístico pode impedi-lo de conhecer o melhor da cidade

Segundo o engenheiro de som Lucas Abrunhosa, quanto menos você depender de um guia durante a sua viagem para Rio de Janeiro , melhor. Segundo ele, isso reduz as chances de você ter de visitar os destinos que o guia turístico quer.

Ao invés disso, procure investir em pontos turísticos gratuitos e mais acessíveis, como o Parque Lage, que fica no Jardim Botânico. "Vale muito a pena", conclui.

O que não fazer no Rio de Janeiro #2: usar só os apps de localização como referência

Pessoa segurando um celular com o mapa do Rio de janeiro na tela arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: os apps de localização podem colocá-lo em zonas de risco, mesmo que sem querer

Aplicativos como Waze e Google Maps podem ser muito úteis para viajar, principalmente quando é a sua primeira vez num local. Mas, segundo o guia turístico e proprietário da Atlântica Turismo, Jairo Monteiro Lourenço, ficar cegamente neles pode ser um erro no Rio de Janeiro.

"Eles [aplicativos] podem colocar o turista em local de extrema violência", observa. Outra coisa a evitar, segundo ele, são os Favela Tours, que também podem representar perigo aos turistas. "Isso é amplamente noticiado pela mídia local e nacional", lembra.

O que não fazer no Rio de Janeiro #3: comer em restaurantes de franquia

Cumbuca de feijoada na mesa arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: o melhor da comida carioca está nos "botecos", não nos restaurantes de franquia

De acordo com Lucas, outra coisa que pode ser decepcionante são os restaurantes de franquia, principalmente para quem espera comer o melhor da culinária carioca. "O que dá aquele gostinho de originalidade é a boa e velha comida de boteco", afirma.

Algumas de suas sugestões para quem gostaria de experimentar novos sabores são o Bar do Momo, na Tijuca, e o Lamas, restaurante que existe há 145 anos na região central da cidade.

O que não fazer no Rio de Janeiro #4: ficar desatento aos pertences

Mulher fotografando no calçadão da orla do Rio de Janeiro arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: exibir celulares e câmeras, principalmente no Centro e na orla, é um erro

Infelizmente, essa é uma recomendação do que não fazer no Rio de Janeiro que deve ser feita a todos os turistas que vão para lá. Jairo lembra que você nunca deve "dar mole" com celulares e câmeras fotográficas, principalmente se estiver sozinho. Não usar jóias quando for à orla ou ao Centro da Cidade Maravilhosa também é uma boa ideia.

O que não fazer no Rio de Janeiro #5: andar pela cidade sem planejar como fazer isso

Metrô parado em estação no Rio de Janeiro arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: se você for se locomover, planeje. A melhor opção de transporte é o metrô

Se precisar andar grandes distâncias na cidade, é bom se planejar. "Dê preferência ao metrô e aos táxis (se tiver condição de identificar o motorista, a placa e o nome do ponto)", aconselha Jairo.

Lucas, por sua vez, lembra que as bicicletas de aluguel, como aquelas do Itaú que podem ser encontradas em pontos estratégicos de São Paulo - e que também estão no Rio de Janeiro - também devem ficar de fora da lista de transportes.

"Apesar de ter vários pontos para locação, alguns não estão em funcionamento e, em determinadas regiões, essas bicicletas são muito visadas para serem roubadas", atesta o engenheiro de som sobre sua dica do que não fazer no Rio de Janeiro para se locomover.

O que não fazer no Rio de Janeiro #6: hospedar-se num hotel só porque ele fica perto da praia

Prédios próximos à orla do Rio de Janeiro arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: hospedar-se em hotéis próximos à praia não é garantia de conforto

Ficar perto da praia pode ser uma boa para não precisar correr atrás de espaço na areia, mas hospedar-se em hotéis próximos à orla na sua viagem para o Rio de Janeiro não é, necessariamente, sinônimo de conforto.

De acordo com Lucas, a vista para a praia é linda, "mas em alguns casos você estará pagando apenas a boa paisagem que seu quarto terá". Se você quer conforto, vale a pena dar uma vasculhada em hotéis que fiquem um pouco mais longe da orla, mas sejam mais bem equipados e localizados.

O que não fazer no Rio de Janeiro #7: pegar um táxi no aeroporto Santos Dumont

Táxi saindo do Santos Dumont arrow-options
shutterstock
O que não fazer no Rio de Janeiro: quando for sair do aeroporto, é melhor evitar os táxis para economizar

Se for viajar para a Cidade Maravilhosa de avião, evite pegar um táxi quando chegar no Santos Dumont. "Com a tarifa atual dos táxis no RJ, que está entre R$ 2,75 e R$ 4,50 por quilômetro rodado, vale muito mais ir para o posto da Uber que tem dentro do próprio aeroporto e pedir um carro lá", indica Lucas.

O mesmo vale para outras viagens longas na cidade. Se você não for rodar pela região em que chamou o táxi, o melhor é ir de Uber, sempre identificando-o devidamente.

Leia também: Guia rápido para quem quer visitar Rio de Janeiro

Com essas dicas, você já está um pouco mais precavido contra o que não fazer no Rio de Janeiro , e provavelmente terá uma viagem mais tranquila daqui para a frente quando for para lá.