Tamanho do texto

Em Milão, uma esquina é mais apaixonante que a outra, mas alguns locais são indispensáveis - principalmente para quem tem pouco tempo na cidade

Apesar de carregar o título de capital italiana da moda, Milão tem muito mais a oferecer além das inúmeras lojas de grife espalhadas pela cidade. Capital da região da Lombardia, a cidade é uma das mais populosas da Itália e, além dos pontos turísticos mais famosos, ela tem uma esquina mais apaixonante que a outra, encantando o turista mesmo quando não há nada além de edifícios residenciais.

Leia também: Saiba o que fazer em Miami se tiver pouco tempo para aproveitar a cidade

Andar sem rumo pelas ruas e praças, observando as fachadas antigas que contrastam com o movimento da capital moderna que é Milão – e, é claro, aproveitando para tomar um “gelato” no caminho – já é, por si só, um belo roteiro. Para quem não tem muito tempo na cidade, no entanto, o ideal é ir para o centro, onde ficam algumas das principais atrações turísticas. Saiba o que é possível conhecer passando um dia por lá:

Castelo Sforzesco

O Castelo Sforzesco costumava ser a fortaleza da dinastia Sforza, que governou Milão por quase 100 anos
Fernanda Labate/iG São Paulo
O Castelo Sforzesco costumava ser a fortaleza da dinastia Sforza, que governou Milão por quase 100 anos

Datado de 1368, o local costumava funcionar como uma fortaleza e moradia para a dinastia Sforza, que regeu Milão de 1450 a 1535. Após ter diversas partes destruídas e restauradas desde sua a construção, hoje, o castelo abriga diversos museus – como o Museu de Arte Antiga, o Museu dos Instrumentos Musicais e a Pinacoteca – em que é possível conhecer mais sobre a história tanto do edifício quanto de Milão.

Hoje, o local abriga diversos museus, e o parque que envolve o castelo é ótimo para um descanso ou um piquenique
Fernanda Labate/iG São Paulo
Hoje, o local abriga diversos museus, e o parque que envolve o castelo é ótimo para um descanso ou um piquenique
Para quem não quer ver os museus, vale a pena passear pelos terrenos do castelo e prestar atenção em cada detalhe
Fernanda Labate/iG São Paulo
Para quem não quer ver os museus, vale a pena passear pelos terrenos do castelo e prestar atenção em cada detalhe

Além dos museus, os detalhes arquitetônicos do local chamam bastante atenção, então prepare a câmera fotográfica ou carregue bem o celular porque todos os cantinhos rendem bons cliques. À parte disso, o castelo é envolvido por um grande parque que é ótimo para descansar ou até mesmo fazer um piquenique.

Catedral de Milão

A Catedral de Milão, localizada no centro da cidade, é a terceira maior do mundo
Fernanda Labate/iG São Paulo
A Catedral de Milão, localizada no centro da cidade, é a terceira maior do mundo

Localizada bem no centro da cidade, a Catedral de Milão (ou “Duomo di Milano” em italiano) é um dos mais famosos pontos turísticos de Milão , além de ser a terceira maior catedral do mundo, perdendo apenas para a Basílica de São Pedro (Vaticano) e para a Catedral de Sevilha (Espanha).

A imponente construção de estilo gótico começou a ser erguida em 1386 e, até hoje, passa por constantes processos de expansão e restauração, então não é raro topar com andaimes em torno dela. Até hoje, não é permitido erguer nenhuma outra construção que ultrapasse o ponto mais alto da catedral no centro da cidade.

Das 7h às 18h45, é possível visitar o interior da catedral e passear tanto pelo subterrâneo quanto por entre as agulhas no telhado da igreja, mas é preciso estar preparado: a entrada é paga e períodos sem fila para comprar os ingressos são raros.

À noite, o contraste com o céu escuro e a iluminação das ruas evidencia ainda mais cada detalhe da imponente construção
Fernanda Labate/iG São Paulo
À noite, o contraste com o céu escuro e a iluminação das ruas evidencia ainda mais cada detalhe da imponente construção

Além disso, não é permitido entrar na catedral mostrando muito das pernas e dos braços, então o ideal é evitar regatas, saias, vestidos e shorts, ou levar um lenço que cubra os ombros caso eles estejam expostos.

Apesar de catedral ser bela em todos os momentos, uma dica é visitá-la à noite, quando há menos pessoas transitando pela praça em que ela está localizada (“Piazza del Duomo”) e as luzes das ruas estão acesas.

Após o anoitecer, os detalhes da construção se destacam mais e ela ganha um charme ainda mais especial.


Leia também: Dez dicas para fazer uma viagem de trem pela Europa sem preocupações

Galeria Vittorio Emanuele II

Na Galeria Vittorio Emanuele II, é difícil não ficar boquiaberto com os mosaicos, esculturas e lojas
Fernanda Labate/iG São Paulo
Na Galeria Vittorio Emanuele II, é difícil não ficar boquiaberto com os mosaicos, esculturas e lojas

Logo à esquerda da catedral fica outro edifício que também está entre os pontos turísticos mais famosos de Milão: a Galeria Vittorio Emanuele II. A majestosa fachada da galeria, construída em 1865, é um verdadeiro cartão postal de Milão, mas é o interior dela que realmente deixa o turista boquiaberto.

Desde o piso de mármore repleto de mosaicos até ao ponto mais alto de edifício – a cúpula, que fica no centro dos quatro corredores, a mais de 40 metros de altura –, são infinitos os detalhes que chamam atenção no local e é difícil passear por lá sem olhar para o alto o tempo todo (e, consequentemente, esbarrar em alguns dos numerosos visitantes que estão fazendo o mesmo).

Ao visitar a galeria, não se surpreenda se vir alguém girando em círculos próximo ao centro do edifício. De acordo com uma lenda urbana, esfregar os calcanhares no touro que faz parte do mosaico no chão traz sorte, e, nos horários em que o local está mais cheio, as pessoas chegam a fazer fila para seguir a superstição.

Além das esculturas, mosaicos e pinturas, outro aspecto que chama atenção na galeria são os estabelecimentos. O local funciona praticamente como um shopping e é repleto de lojas, restaurantes e cafés, mas, se a intenção é fazer compras, é bom preparar o bolso, já que Prada, Gucci, Louis Vuitton e outras marcas mundialmente famosas cuja faixa de preço é parecida é o que se encontra por lá.

Assim como a Catedral de Milão, a galeria é outro local que, à noite, é mais bonito de se ver, tanto por dentro quanto por fora. Apesar de as lojas cumprirem um horário comercial, é possível passear pelo edifício a qualquer momento, já que ele fica aberto 24 horas por dia.

Estação Central de Milão

A Estação Central de Milão vale a visita mesmo para quem não pretende usar o transporte
Fernanda Labate/iG São Paulo
A Estação Central de Milão vale a visita mesmo para quem não pretende usar o transporte

Tanto em termos de dimensão quanto de movimento, a Estação Central de Milão é a segunda maior da Itália. Na parte de fora, há um parque repleto de turistas e jovens andando de skate ou bicicleta e, por mais que a fachada seja bela, o interior do edifício é ainda mais bonito.

Leia também: Veja dez dicas para fazer uma viagem romântica pela Toscana, na Itália

Além de observar a arquitetura do local, é possível passear pelas diversas lojas ou fazer um lanchinho
Fernanda Labate/iG São Paulo
Além de observar a arquitetura do local, é possível passear pelas diversas lojas ou fazer um lanchinho

Mesmo para quem não vai usar o transporte, passear pela Estação Central de Milão é agradável, e, além de observar a arquitetura, também é possível visitar as lojas de marcas famosas e parar para fazer um lanchinho. Aqui, quem apostar em comer um panini não vai se arrepender!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.