Tamanho do texto

Igor Galli é considerado a pessoa mais viajada do mundo para sua idade e é colunista do iG Turismo. Nesta semana, ele conta sobre o imprevisto que teve ao tentar entrar no país da Península Arábica e como conseguiu trocar a rota

Em outubro de 2011, depois de ter visitado o Cáucaso, peguei um voo de Yerevan, capital da Armênia, para o Kuwait. O plano era conhecer toda Península Arábica, que corresponde aos seguintes países: Kuwait, Arábia Saudita, Iêmen, Bahrein, Qatar, Emirados Árabes e Omã. Porém, o final dessa história termina em um paraíso chamado Maldivas.

Leia também: Histórias de um viajante: depois da mala perdida, um dia de atrações no Iraque

Problemas no aeroporto de Kuwait levou Igor às Maldivas
Arquivo pessoal
Problemas no aeroporto de Kuwait levou Igor às Maldivas


Ao aterrissar no aeroporto do Kuwait, tive uma surpresa inesperada, algo que nunca tinha acontecido antes e que me motivou a ir para as Maldivas . Minha ex-companheira, que estava viajando comigo, foi barrada e não pode entrar no país. Eles alegaram que os brasileiros precisavam tirar previamente o visto. Não tive problemas porque possuo dupla cidadania, brasileira e italiana.

Sou muito cuidadoso quando o assunto é visto. Sempre pesquiso antes, para que não aconteça nenhum imprevisto. Antes de embarcar, eu já tinha ligado para a embaixada do Kuwait em Brasília e eles me disseram que era possível tirar o visto no aeroporto, por isso, fiquei tão surpreso.

Quando estávamos na Turquia, também perguntei sobre a necessidade do visto na embaixada do país que havia por lá e novamente fui informado de que o brasileiro poderia tirar o visto na chegada. Até hoje não entendi o motivo da entrada dela ter sido negada.

Mudança na rota

“E agora, o que fazer?”, foi isso que passou na minha mente na hora. Esse era apenas o primeiro país da Península Arábica que estávamos visitando e logo de cara tivemos um problemão. Estávamos bem cansados da viagem e, com toda a situação, decidimos desistir de conhecer esse destino, mas não queríamos perder a viagem e resolvemos que o melhor era escolher um local para desestressar.

Placa de fora do aeroporto de Kuwait
Arquivo pessoal
Placa de fora do aeroporto de Kuwait


 Leia também: Histórias de um viajante: conheça o encantador de enguias, na Indonésia

Foi aí que surgiu a ideia de ir para as Maldivas, localizado próximo ao Sri Lanka, no Oceano Índico. O país é um paraíso, não somente por suas belíssimas praias, mas também pela abundância da fauna e flora que se encontra em debaixo das águas. O local é composto por 26 atóis e conta com 1.190 ilhas, ou seja, 99% da área é formada por água.

Olhamos a passagem na internet e compramos na mesma hora. Estávamos felizes, mesmo sabendo que o voo seria só no outro dia pela manhã e teríamos que passar a noite no aeroporto. Nesse meio tempo, resolvi sair um pouco daquele local e conhecer o país. Precisei ir sozinho, porque minha companheira teve esse problema com o visto.

Novo destino

Pegamos vários voos nas Maldivas para conhecermos diferentes atóis. Mergulhamos, alugamos barco e ficamos sozinhos em praias não habitadas. Foi belíssimo! O aspecto negativo do local é o alto preço das coisas.

Vista das milhares de ilhas de Maldivas do avião
Arquivo pessoal
Vista das milhares de ilhas de Maldivas do avião


O país é um dos lugares mais caros do mundo, mas tenho que confessar, Maldivas foi um dos lugares mais bonitos que já fui em toda minha vida e visitar o local valeu muito a pena! Para ver mais histórias do viajante, acompanhe a coluna de Igor Galli no iG Turismo