Navios de cruzeiro no porto do Rio de Janeiro em 2020
Brenno Carvalho/Agência O Globo
Navios de cruzeiro no porto do Rio de Janeiro em 2020

O Ministério do Turismo anunciou neste sábado (2) o retorno dos cruzeiros marítimos no Brasil. Segundo a pasta, uma portaria deverá ser assinada nos próximos dias. Informou ainda que, depois disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deverá definir os protocolos sanitários para que os cruzeiros possam ser realizados. A ideia é que os navios possam passar pela costa brasileira a partir de novembro. Os cruzeiros haviam sido suspensos em razão da pandemia.

A pasta informou que a Anvisa terá que definir questões relativas aos testes antes do embarque em todos os hóspedes, vacinação e testes dos tripulantes, uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida, ar fresco sem recirculação, desinfecção e higienização constantes. Os cruzeiros terão que observar ainda as normas das cidades por onde passarem. Em 10 de setembro, a Anvisa havia se posicionado contra a realização da atividade no Brasil.

A expectativa do Ministério do Turismo é que a temporada de cruzeiros, que vai de novembro até abril do ano que vem, gere um impacto de R$ 2,5 bilhões e 35 mil empregos. Estão previstos sete navios que vão ofertar mais de 400 mil acomodações, informou a pasta.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, está em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para onde foi em viagem oficial. De lá, gravou um vídeo comentando a liberação dos cruzeiros:

"Estamos em Dubai e aqui já começou a temporada de navios de cruzeiro. Em primeira mão, teremos cruzeiros marítimos no Brasil este ano. A temporada está autorizada pelo governo. O presidente Bolsonaro determinou empenho total para que conseguíssemos liberar, porque os navios geram em torno de 42 mil empregos no Brasil, entre diretos e indiretos. Teremos uma temporada belíssima este ano. E contem com o governo federal e com o Ministério do Turismo para o que for preciso", disse.

De acordo com o ministério, a autorização para a temporada foi um trabalho conjunto com o Ministério da Saúde, o Ministério da Justiça, o Ministério da Infraestrutura e a Casa Civil a Presidência da República.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários