O risco de celulares causarem incêndio em voos é grande
Pexels/Sourav Mishra
O risco de celulares causarem incêndio em voos é grande

Existem muitos motivos pelos quais uma pessoa pode ser considerada inconveniente durante um voo, mas a maior delas com certeza seria causar um incêndio, mesmo que sem querer, e isso é muito mais simples de acontecer do que parece: tudo que o passageiro tem que fazer é perder o celular na lateral do assento. Em um voo da Qantas para Melbourne, capital costeira do estado de Victoria, no sudeste da Austrália, em 2018, um homem fez exatamente isso. 

Enquanto ele tentava recuperar o aparelho, o celular começou a esquentar e a situação foi piorando ao ponto do piloto pensar em desviar o avião para Sydney e a tripulação precisou usar extintores de incêndio para apagar o fogo. Atualmente os passageiros são orientados a chamar um comissário de bordo sempre que perderem o telefone na lateral da poltrona, pois o esmagamento das baterias pode facilmente provocar incêndios e explosões. 

O incidente segue um aviso da Autoridade de Segurança da Aviação Civil da Austrália que divulgou um aviso que dizia: Smartphones podem cair nos mecanismos do assento da aeronave e serem esmagados quando o assento é movido. Isso pode resultar em danos à bateria de lítio do telefone,  o  que pode causar superaquecimento e incêndio. Os passageiros devem lembrar-se de nunca mexer no assento caso um telefone se perca durante o voo e sempre pedir ajuda à tripulação da aeronave. Se um telefone estiver danificado, a tripulação de cabine deve ser alertada imediatamente”. 

Em agosto deste ano, um celular também pegou fogo no voo da Alaska Airlines, obrigando o avião a ser evacuado. Já em julho de 2018, passageiros da Ryanair foram filmados descendo pela rampa de emergência após a bateria de um celular pegar fogo minutos antes da decolagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários