Saiba quais são os jardins mais bonitos do mundo
Holandesando
Saiba quais são os jardins mais bonitos do mundo




Assim como construções e  monumentos históricos importantes , os jardins são capazes de contar histórias impressionantes sobre seus povos e sobre a cultura de onde está. Muitos deles passam longe de serem apenas enfeites para atrair visitantes, mas são únicos e verdadeiras obras de arte, o que faz a visita valer a pena. Conheça 7 dos jardins mais bonitos do mundo.


1- Chatsworth House, no condado de Derbyshire, na Inglaterra


Se você já assistiu ao filme “Orgulho e Preconceito”, pode ser que esse jardim seja familiar. Isso porque o Chatsworth House foi o cenário do longa e encantou tanto por sua arquitetura barroca quanto por seus bosques elegantes e imponentes. O jardim deste castelo é um dos mais conhecidos da Inglaterra e serviu como palco de grandes ocasiões.

O jardim de 737 hectares é preservado há quatro décadas e meia e representa toda a pompa da monarquia britânica. O local é guardado por um muro com 2,8 km de comprimento. Estima-se que o jardim receba mais de 300 mil visitantes todos os anos.

Espalhados por esse espaço estão esculturas (em pedras e nas folhas), lagos, chafarizes, árvores gigantescas e até mesmo os tradicionais labirintos de arbustos. Em alguns lugares, é possível observar diversas formações rochosas que se mesclam ao verde e criam paisagens naturais arrebatadoras.

2- Garden of Cosmic Speculation, em Dumfriesshire, Escócia


O Garden of Cosmic Speculation, cuja tradução livre significa Jardim da Especulação Cósmica, teve todo seu trabalho paisagístico inspirado na cosmologia moderna; ou seja, em conceitos astronômicos que dizem respeito aos planetas e ao universo. O espaço tem 30 acres e foi todo idealizado por Charles Jencks.

Por esse motivo, as árvores, gramados, flores e cortes do local são inspirados em conceitos matemáticos e científicos, resultando em espaços modernos e excêntricos, se comparado a outros tipos de jardins. Pelo local, existem esculturas ou tipos de paisagismos que possuem estéticas e significados diferentes em cada área. Alguns deles representam buracos negros e figuras geométricas, por exemplo. Visto de cima, toda área do parque representa feições humanas.

Ao contrário de outros jardins, o Garden of Cosmic Speculation se concentra muito mais de maneira plana, mas seu brilho está na maneira como se balanceia com outros elementos naturais, como a água, suas curvas e padronagens. O local pode agradar àqueles turistas que adoram conhecer pontos turísticos fora do comum.

3- Parque Keukenhof, em Lisse, Holanda


O Parque Keukenhof, também chamado de Jardim da Europa, é o ponto turístico perfeito para turistas amantes de tulipas. O parque é conhecido por possuir o maior jardim de flores no mundo todo: são cerca de 7 milhões de botões plantados a cada ano, que se estendem por uma área de 320 mil metros quadrados.

Por conta disso, o local é extremamente colorido e parece cenário de obras de arte. Em muitos trechos, faixas de cores diferentes ficam erguidas lado a lado, resultando em uma paleta de cores diversa e surpreendente. Além de agradar os olhos, o parque é totalmente instagramável e pode render fotos únicas para os turistas que passarem por ali.

Você viu?

4- Jardim Botânico do Instituto Inhotim, em Minas Gerais, Brasil


Instituto Inhotim é um dos museus a céu aberto mais importantes para o circuito artístico brasileiro, mas não só. O instituto está localizado no meio da Mata Atlântica e do Cerrado, um prato cheio para os turistas que adoram conhecer diferentes espécies. O local tem mais de 140 hectares visitáveis. Além disso, 250 hectares fazem parte da Reserva Particular de Patrimônio Natural Inhotim (RPPN).

De acordo com a instituição, os jardins e bosques do local contam com mais de 4,3 mil espécies brasileiras e de outros países. Destas, 1,4 mil são palmeiras. Por isso, o Jardim Botânico do Inhotim é visto como uma referência no país e no mundo no quesito paisagismo tropical contemporâneo.

O local ainda conta com lagos esverdeados que conversam harmoniosamente com os projetos arquitetônicos e pavilhões de artes espalhados pelo local. Para quem gosta de apreciar arte e admirar paisagens naturais, o Inhotim é um prato cheio.

5- Jardim do Palácio de Mirabell, em Salzburg, Áustria


O jardim do Palácio de Mirabell, na Áustria, é tombado como um dos patrimônios culturais mundiais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Começou a ser cultivado no século 17 e chama atenção por seus caminhos geométricos formados por flores, que criam paisagens diferenciadas e belas.

Esses elementos se mesclam ainda com pequenos lagos, chafarizes e estátuas gigantes. O jardim é mega popular, tanto que é um dos locais mais visitados na cidade de Salzburg, mas ganhou ainda mais notoriedade por ter aparecido no clássico filme “A Noviça Rebelde”, em 1965.

6- Parque Korakuen, em Okayama, Japão


Idealizado no início do século 18, poucas adaptações foram feitas ao Parque Korakuen desde sua inauguração. Por esse motivo, a maioria dos elementos originais foram preservados e podem ser admirados pelos turistas.

O local foi projetado por um tipo de paisagismo chamado Kaiyu, que propõe aos visitantes uma espécie de passeio panorâmico. Dessa maneira, os visitantes conseguem vislumbrar áreas e aspectos diferentes do parque ao seguir o mesmo caminho.

As cores chamam a atenção e conseguem passar a sensação de tranquilidade e calmaria, principalmente por meio de seus salgueiros coloridos. Colinas, pequenas construções conhecidas como casas de chá, córregos e colinas tornam a estética do local ainda mais marcante.

7- Jardins do Castelo de Villandry, em Villandry, França


Os jardins que ficam no entorno do Castelo de Villandry são trabalhados com cortes de arbustos geométricos, decorações e até planejamento de plantação para que as cores fiquem no lugar certo.

Os jardins são divididos de forma temática representando elementos como o amor, dominado pelas flores rosas e vermelhas; a água, que conta com um lado em forma de espelho cercado de tílias; e o Sol, em que se destacam o laranja, o amarelo e as flores azuis que simbolizam o céu; além de lagos no lugar de raios solares.

O passeio por lá também é marcado por bosques, estufas e hortas que contam com ervas medicinais, comestíveis e aromáticas. As plantações de flores e vegetais são posicionadas em locais estratégicos para que as cores contribuam com a formação dos padrões coloridos.

Além de curtir o clima romântico e renascentista do jardim, existem observatórios ao redor que permitem a vista do pátio de cima. Também é possível vê-lo dessa maneira das varandas e janelas do próprio Castelo de Villandry.

Também na França, o iG Turismo deixa com uma menção honrosa o jardim do Palácio de Versalhes, que começou a ser cultivado com mais afinco durante o período do rei Luís XIV, no século 17. Desde então, o jardim se tornou referência no mundo todo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários