Comissário de bordo
shutterstock
Comissário de bordo

Diante da queda do tráfego aéreo e do medo de que as pessoas relutem em entrar no avião devido à disseminação do novo coronavírus (Sars-coV-2), as empresas Boeing e Airbus estão apostando alto para conquistar a "confiança" dos passageiros. 

A Boing, por exemplo, lançou o programa “Confident travel initiative”, que envolve um sistema de raios ultravioleta que permite a desinfecção da cabine, banheiros e cozinhas, em teoria em quinze minutos, entre dois voos. A ideia da empresa é comercializar o sistema ainda este ano.

Além dessa técnica para neutralizar o vírus, as duas empresas estudam outras, como a pulverização em forma de nuvem de produtos químicos, o uso de revestimentos especiais, peróxido de hidrogênio em estado gasoso, desinfecção térmica, aumento da temperatura da cabine para 60ºC ou mesmo a ionização do ar.

Para Jean-Brice Dumont, vice-presidente executivo de engenharia da Airbus, assim como os ataques de 11 de setembro de 2001 impulsionaram uma atualização dos regulamentos de segurança no setor da aviação, a crise da Covid-19 pode desempenhar o mesmo papel revolucionário, mas no campo da saúde .

"Embora os critérios de segurança sanitária em aeronaves já sejam muito altos”, esta crise pode levar a um novo padrão", comentou ele à AFP .

    Veja Também

      Mostrar mais