Algumas celebridades já admiraram de perto das belezas naturais do Amazonas
Reprodução
Algumas celebridades já admiraram de perto das belezas naturais do Amazonas


Representando um terço das florestas tropicais do mundo, a  região amazônica chama a atenção pela diversidade de fauna e flora. A floresta em si ocupa o território de nove nações, mas a maior parte – 60% – permanece concentrada no Brasil, se dividindo entre Roraima, Acre, Rondônia e Amazonas. O estado do Amazonas está localizado na região Norte do país, e a capital, Manaus, é um porto fluvial com pontos de referência que datam do ciclo da borracha do final do século 19.

A região amazônica cativa o coração de famosos mundo afora e, atualmente, está no ponto central de diversas discussões dos mais engajados na preservação ambiental. Gisele Büdchen, Vitão, Bruno Gagliasso, Leona Cavalli e Anitta (que chegou a gravar o clipe de "Is That For Me" por lá) estão entre as estrelas brasileiras que já passaram por ali.

O destino chama muito a atenção principalmente pelas belezas culturais, incluindo praias de água doce e o famoso encontro entre os rios Negro e Solimões. Contudo, antes de se empolgar com as belezas a serem admiradas, é preciso destacar que um cuidado fundamental antes de visitar o Amazonas é o tempo, pois o Norte tem clima muito úmido e o calor predomina durante quase todo o ano. 

Devido ao volume de florestas, os rios e lagos ficam mais cheios no período de chuvas – compreendido entre novembro e março. Caso um dos intuitos da viagem seja praticar esportes náuticos, por exemplo, o recomendado é ir entre janeiro e junho; caso contrário, opte pelo período mais seco, entre julho e novembro. 

Como chegar ao Amazonas?

Partindo de São Paulo, é possível chegar até o Amazonas de avião, ônibus e até se aventurar de carro – contudo, esse último método não é recomendado pois demanda pelo menos seis dias de viagem. De avião, para desembarcar em Manaus, as passagens podem variar de R$ 700 a R$ 2 mil*. Para quem prefere ir de ônibus, a viagem dura pouco mais de 16 horas e o preço médio da passagem é de R$ 209*. 

Vale ressaltar que antes de viajar é preciso estar devidamente vacinado contra febre amarela, tétano e hepatites A e B (além da Covid-19). Para quem tem essas vacinas em dia, vale consultar uma unidade de saúde para se certificar se é ou não necessária uma dose de reforço. 

O que fazer no Amazonas? 

Além do famoso encontro entre os rios Negro e Solimões e a natureza punjente, o destino é muito buscado pelos que gostam de praticar ecoturismo, relaxar e conhecer mais da história da região. A prova de que o Amazonas agrada a todos os gostos é a presença das praias, por exemplo, que possuem água doce. As principais são as Praias da Ponte Negra e da Lua, que também servem como cartão postal. Para quem deseja conhecer essas e outras praias, é bom lembrar: durante a cheia dos rios, entre abril e setembro, elas somem.

Uma boa opção para explorar o destino é o Arquipélago de Anavilhanas. São aproximadamente 400 ilhas que cobrem mais de 2 milhões de hectares. Já para quem curte passeios mais históricos, o Museu do Seringal é uma boa opção – e fica a aproximadamente 25 minutos de Manaus. O local parece uma fazenda e tem como foco contar para o visitante como funcionava o ciclo da borracha. Os turistas também podem ver o látex saindo diretamente de uma seringueira.

Outro passeio que tem uma carga histórica bem forte, além de cultural, é o encontro com povos indígenas. Às margens do Rio Negro está instalada a tribo Dessana, acessível apenas por meio de barco. As ocas ficam dispostas de modo a serem facilmente visualizadas e é o filho do Pajé quem recebe os turistas. Há outros povos indígenas que podem ser conhecidos por Manaus, mas os Dessana são os mais populares por conta da facilidade do passeio. 

Outro ponto obrigatório no roteiro é Presidente Figueiredo e suas belas cachoeiras. São quatro principais: Cachoeiras do Santuário, de Iracema, do Mutum e da Pedra Furada. A última é a mais famosa de todas, com uma imensa queda d’água que escorre de uma pedra com três grandes furos, formando uma piscina natural de águas calmas. 

Por fim, explorar a capital em si também é uma ótima opção. O Centro Histórico de Manaus, seus parques ecológicos e museus atraem vários turistas e ocupam um dia inteiro de roteiro. 

*Valores apurados em 13 de maio de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários