O conceito de hotel-cápsula nasceu no Japão para abrigar executivos alcoolizados e driblar pouco espaço; na foto, o Hotel Cápsula Nine Hours, no Japão
Nacása & Partners
O conceito de hotel-cápsula nasceu no Japão para abrigar executivos alcoolizados e driblar pouco espaço; na foto, o Hotel Cápsula Nine Hours, no Japão

"Acomodações compactas cuja única finalidade é apenas descansar por algumas horas, mas despertaram tanta curiosidade que passaram a atrair turistas". Essa é uma das definições para falar sobre os pequenos e aconchegantes hotéis-cápsula, tipo de dormitório que surgiu na Ásia e tem ganhado espaço no mundo todo nos últimos anos.

Patrícia Matzenauer, gerente de marketing da Pmweb, empresa que pensa soluções para hotelaria, os hotéis-cápsula possuem grande número de quartos em pouco espaço. “Esses estabelecimentos oferecem acomodações básicas, extremamente compactas e baratas, já que não têm nenhum tipo de serviço agregado”, explica.

Os hotéis-cápsula surgiram no Japão na década de 1970 e o motivo, segundo Matzenauer, são os altos custos e a falta de espaço no país. Outra razão estaria relacionado ao abrigo aos executivos (localmente conhecidos como salary men) após uma noite de bebedeira, algo muito comum no país. Assim, os homens buscam pelos hotéis-cápsula após a noitada para descansar e, no dia seguinte, voltar ao trabalho.

Matzenauer explica que é comum que essas acomodações ofereçam apenas Wi-Fi, mas a popularização do estilo fez com que alguns estabelecimentos passassem a incluir cafés da manhã. “Em alguns países esse modelo foi adaptado para hotel cabine, que são acomodações um pouco maiores e que contam com banheiros privativos”.

O modelo cápsula também tem se tornado comum em hotéis e até aeroportos, lugares em que viajantes se hospedam por um curto período de tempo. “Esse tipo de hotel é procurado por viajantes que necessitam apenas uma pernoite, de forma prática e barata, ou que estão em trânsito entre uma cidade e outra. São priorizados a localização, custo e praticidade, já que eles dispensam check-in e filas, por exemplo”, salienta.

No entanto, os fatores custo e curiosidade têm feito com que o perfil dos hóspedes mude. Além de estadias breves, o hotel-cápsula também tem sido buscado por viajantes que querem economizar na hospedagem.

A popularização, estranheza e a sensação de claustrofobia causada por essas hospedagens fez com que muita gente queira conhecer a novidade, principalmente na Ásia e na Europa, tornando-se o motivo principal de algumas viagens. Para atrair o público, alguns desses serviços têm se aprimorado em tecnologias e apostando em decorações futuristas.

Apesar de serem comuns nesses países há anos, Matzenauer afirma que o hotel-cápsula ainda é algo novo no Brasil, sendo mais comuns em aeroportos. No entanto, há hotéis que oferecem a versão adaptada para cabine. O iG Turismo já mostrou 4 dos hotéis-cápsulas mais populares do mundo . Agora, apresentamos 4 deles espalhados por todo Brasil.

Você viu?

1- Siesta Box Huarapes, em Pernambuco


Localizado no Aeroporto Internacional de Pernambuco, o Siesta Box Huarapes consiste em 10 quartos cápsulas para hospedar com alta rotatividade -- ou seja, abriga turistas que vão descansar apenas por algumas horas ou até um dia. É idealizada principalmente para turistas que estão esperando voos ou fazendo conexões e consegue acomodar até duas pessoas.

As acomodações foram idealizadas pela empresa Siesta Box e também estão disponíveis nos aeroportos internacionais de Brasília e Viracopos, em Campinas. O preço médio da acomodação é de R$ 69,90 por hora. Caso o turista faça alguma escala em um desses aeroportos, é possível fazer reservas pelo site app.siestabox.com.br .

2- Hotel-cápsula Capacete, Rio de Janeiro

O hotel-cápsula do centro cultural Capacete, no Rio de Janeiro
Reprodução
O hotel-cápsula do centro cultural Capacete, no Rio de Janeiro


Conhecido como o primeiro hotel-cápsula a ser instaurado na América Latina, as cabines são do centro cultural Capacete. De decoração simples, as acomodações são voltadas para artistas com capacidade financeira reduzida que se apresentarem por lá. De acordo com o site oficial, também é uma alternativa à especulação imobiliária no Rio de Janeiro.

Uma das cabines podem ser contratadas por períodos de, no máximo, quatro dias. A diária para uma pessoa é de R$ 30; para casais, o preço sobe para R$ 40. O valor inclui uso de internet, banheiro e uso de cozinha comunitária. O hotel-cápsula Capacete fica localizado no bairro de Santa Teresa.

3- On Pods Itaim, em São Paulo


Inaugurado pela empresa Viacom, na Vila Olímpia, as acomodações contam com design futurista e áreas comuns comunitárias como lounge, chuveiros privativos, cafeterias e geladeiras. As cápsulas de 2 m² dispõem de tomadas, entradas USB, iluminação, ar condicionado e prateleiras.

É necessário fazer reserva para ficar no On Pod Itaim, pelo aplicativo Housi, sob custo de R$ 40 por hora ou diária de R$ 150. O turista faz um check-in digital e pode deixar seus pertences em um armário privativo. Além disso, é distribuído um kit com shampoo, condicionador e sabonete. Itens como chinelos e pijamas podem ser adquiridos à parte.

4- EcoBox Hostel, em Florianópolis


O hotel-cápsula EcoBox Hostel tem como intuito oferecer acomodações compactas, baratas e sustentáveis aos hóspedes. O local possui 33 quartos com estruturas revestidas em serragem; cada um possui cofre pessoal, luz de leitura, cortinas, ferro e tábua de passar. Os banheiros e chuveiros são compartilhados.

Esse hotel-cápsula também possui localização privilegiada, próxima ao Centro de Florianópolis e a 10 minutos do Museu Histórico de Santa Catarina. De acordo com o site TripAdvisor, os preços podem variar entre R$ 62 e R$ 129.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários