Tamanho do texto

Rampas de acesso, elevadores em pontos turísticos, corredores mais largos e transporte público adaptado são algumas das características desses locais

Já pensou você sonhar em viajar para algum lugar, mas não poder ir porque o local não possui acessibilidade? Para reverter essa situação o Ministério do Turismo investiu R$ 75 milhões em obras que oferecem estruturas adaptadas para pessoas com deficiência. Uma cartilha também foi lançada com dicas para atender aos turistas nessa condição, e as cidades têm investido cada vez mais na infraestrutura dos locais mais visitados.

Escolha um destino com acessibilidade
Arquivo pessoal
Escolha um destino com acessibilidade


O transporte é outro foco. Pensando na acessibilidade, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) exige que as empresas de ônibus contem com frotas que sejam adaptadas, com capacidade de transportar cadeira de rodas, muletas e cão-guia. O principal detalhe é que a empresa não pode cobrar mais caro por isso. Quer ajuda para escolher a próxima viagem? Estão veja os destinos turísticos que possuem boa acessibilidade, segundo o Guichê Virtual.

Vai viajar sem pacote? Saiba como organizar seu transporte

Foz do Iguaçu (PR)

Catarestas do Iguaçu possui rampas de acesso
Juliana Simon
Catarestas do Iguaçu possui rampas de acesso


O destino que faz fronteira com o Paraguai e a Argentina é uma das cidades mais preocupadas com questões de acessibilidade. O turista que for conhecer o local pode passear no Parque Nacional , por exemplo, sem preocupação, já que a parque possui acesso para cadeirantes em todas as passarelas, até na parte das Cataratas do Iguaçu que possui o maior fluxo de água, conhecida como Garganta do Diabo. A cidade também é pioneira em oferecer salto de paraquedas para pessoas com deficiência física.

Salvador (BA)

Pelourinho é um dos locais mais visitados da capital baiana
Getty Images
Pelourinho é um dos locais mais visitados da capital baiana


O Centro Histórico da cidade é um dos destinos favoritos dos turistas e possui uma rota de acessibilidade que permite acesso a ruas do Centro Antigo e ao Pelourinho . O percurso também conta com rampas, calçadas ampliadas e teve as ruas foram reformadas. O Museu de Arte Sacra tem elevadores e corredores ampliados para permitir melhor circulação de idosos e cadeirantes.

Conheça as praias de Salvador

Uberlândia (MG)

Uberlândia já foi eleitas uma das cidades modelo em acessibilidade
Pinterest
Uberlândia já foi eleitas uma das cidades modelo em acessibilidade


A cidade mineira foi considerada pela ONU uma das 100 cidades modelo em acessibilidade, em 2010. E não é para menos! Em Uberlândia, os turistas podem encontrar mais de 500 rampas de acesso nas calçadas e toda a frota de transporte público é adaptada para pessoas com deficiência. Além disso, uma lei exige que todas as obras de uso público sejam vistoriadas pelo Núcleo de Acessibilidade. Ótimo, não é?

São Paulo (SP)

A metrópole do país possui muitos avanços na área de acessibilidade. O Memorial da América Latina , por exemplo, é um prédio que, desde 2011, tem uma estrutura totalmente acessível. Para se localizarem e planejarem passeios, o turista pode conferir no Guia Turismo Acessível quais são mais 300 lugares adaptados na capital paulista.

A metrópole vem avançando e tornando diversos locais mais acessíveis
Getty Images
A metrópole vem avançando e tornando diversos locais mais acessíveis

O popular Museu do Futebol é uma experiência que pode ser vivida por todos, já que conta com audioguias para cegos, totens em braile, maquetes táteis e imagens em relevo, piso tátil e acesso para cadeirantes durante todo o percurso.

Fortaleza (CE)

Curtir o Nordeste é o desejo de muitos turistas, e para aumentar a acessibilidade foi lançado em Fortaleza um projeto que disponibiliza esteiras e cadeiras anfíbias para idosos, pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Em Fortaleza, há esteiras e cadeiras anfíbias para idosos, pessoas com deficiência e mobilidade reduzida
Reprodução
Em Fortaleza, há esteiras e cadeiras anfíbias para idosos, pessoas com deficiência e mobilidade reduzida


Se quiser curtir o sol, saiba que há estrutura para vôlei e frescobol adaptados, piscinas, cadeiras e mesas cobertas com toldos, banheiro acessível e itens de segurança. Nas ruas é possível encontrar esteiras e até locais exclusivos para cadeirantes realizarem exercícios físicos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.