Varosha
Wikimedia Commons
Varosha


Prédios abandonados, ruas esvaziadas e objetos enferrujados, marcam as cidades-fantasmas pelo mundo. Elas são verdadeiras inspirações para a ficção, documentários, livros, negócios milionários de agências de turismo ou, até mesmo, como monumentos históricos.

Abandonadas por declínio de empresas, pela invasão de povos, acidentes como explosões, por conta do tempo e clima, estas cidades marcam épocas e acontecimentos históricos. Algumas estão abertas para visitação e outras totalmente isoladas.

O iG Turismo selecionou cinco cidades-fantasmas espalhadas por diversos países para quem tem curiosidade de saber onde estão, como foi a vida de seus moradores ou até visitar esses locais.


Fordlândia Pará/ Brasil

Fordlância
Joseph Conrad,
Fordlância


Fordlândia é o distrito e área adjacente de 14 568 km², no município de Aveiro, no estado do Pará, às margens do Rio Tapajós, na Amazônia. Recebeu este nome por ter sido no passado uma cidade operária do projeto agroindustria. Foi adquirida, em 1927, pelo empresário norte-americano Henry Ford, por meio da companhia Ford Industrial do Brasil. 

A  intenção da compra da área era para abastecer sua empresa de látex, material necessário para a confecção de pneus para seus automóveis, mas que na época da colônia britânica era dependente da borracha produzida na Malásia. No entanto, a terra infértil e pedregosa, assim como as novas tecnologias de fabricação de pneus tornaram o empreendimento um total desastre, formando esta cidade fantasma. 

Atualmente, a selva amazônica basicamente já engoliu consideravelmente a cidade, as enchentes devastaram o cemitério, deixando para trás um pilha de cruzes de concreto. As 100 camas de hospital projetadas pelo aclamado arquiteto de Detroit, Albert Kahn, foram destruídas por saqueadores.

Pripyat, Ucrânia

Pripyat Ucrânia
ir0n4ss
Pripyat Ucrânia


Pripyat é uma cidade-fantasma no norte da Ucrânia, perto da fronteira com a Bielorrússia. Próximo à cidade fica a Usina Nuclear de Chernobil, lugar onde ocorreu um dos maiores acidentes nucleares da história, em abril de 1986. Foi fundada em 4 de fevereiro de 1970 com objetivo de abrigar os trabalhadores da Usina Nuclear de Chernobil, porém foi abandonada em 1986, após o acidente.

A cidade ainda abriga objetos pessoais como brinquedos, discos, roupas nos edifícios de antes do abandono da cidade. A estadia em si e os arredores não são seguros como lugar de habitação, visto que os cientistas supõem que os elementos radioativos mais perigosos precisarão de 900 anos para atingir níveis que permitam ao ser humano voltar a habitar a zona.

Varosha, Chipre

Varosha
Wikimedia Commons
Varosha


Você viu?

Varosha é um bairro abandonado do sul da cidade cipriota de Famagusta, no Oriente Médio. Famagusta sempre foi conhecida como um grande destino turístico em Chipre. Para atender ao crescente número de turistas foram construídos muitos arranha-céus e hotéis. Varosha tinha uma população de 39 mil habitantes. 

No entanto, após a invasão de Chipre em 20 de julho de 1974, pelo exército turco, toda a população fugiu, temendo um massacre. A evacuação foi auxiliada e orquestrada pela base militar britânica nas proximidades. Desde então, a cidade permanece abandonada. Os edifícios deterioraram-se e, em alguns casos, seu conteúdo foi saqueado ao longo dos anos; algumas ruas foram cobertas de vegetação; e o bairro é geralmente descrito como uma cidade-fantasma. A entrada é proibida ao público.

Kolmanskop, Namíbia

Kolmanskop Namíbia
reiselorenz
Kolmanskop Namíbia


Kolmanskop (em Alemão: kolmannskuppe) é uma cidade-fantasma no deserto da Namíbia, construída em 1908, cerca de 10 km a leste da cidade portuária de Lüderitz. A cidade foi habitada por alemães, construída para a busca e exploração de diamantes, mas foi abandonada em 1954 por conta do esgotamento desses minérios.

A  cidade abrigava cerca de 300 adultos alemães, 40 crianças e 800 trabalhadores nativos em 1920. Desta forma, Kolmanskop logo se desenvolveu, tornando-se um pequeno centro para fornecer abrigo contra o ambiente hostil do deserto aos trabalhadores. Grandes e elegantes casarões foram construídos deixando o vilarejo com ares de cidade alemã, com uma impressionante variedade de serviços, incluindo um hospital, um salão de festas, uma central elétrica, uma escola, entre outros.

Quase quarenta anos após sua fundação, depósitos mais rendáveis de diamantes foram descobertos mais ao sul e as operações foram movidas para Oranjemund. Por conta disso, aos poucos a cidade foi sendo abandonada. 

Por estar dentro de um deserto, com o passar dos anos a areia começou a invadir o lugar. Em 1980, a empresa de mineração De Beers restaurou vários edifícios e fundou um museu no local, que agora se tornou atração turística.

Bodie, Estados Unidos

Bodie Estados Unidos
Richard Vinson/iStock
Bodie Estados Unidos


Bodie é uma cidade fantasma, localizada no estado norte-americano da Califórnia, no condado de Mono. É considerada uma referência histórica nacional e importante local turístico da região de Serra Nevada. 

O oeste dos Estados Unidos é conhecido por ter cerca de 6 mil cidades-fantasmas, construídas para a “corrida do ouro” ou de metais preciosos, como a prata e depois abandonadas, também rapidamente, quando o precioso metal terminou. Bodie é uma dessas e é uma das únicas que mesmo tendo sido construídas por madeiras, sobreviveram aos incêndios, as mudanças de clima e ao vandalismo. 

Atualmente é um lugar turístico que conserva decoração e objetos pessoais por um século e dão a impressão que os habitantes fugiram precipitadamente das próprias casas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários