Tamanho do texto

Gisella e Fernando De Borthole escrevem semanalmente no iG Turismo. Eles contam sobre o destino charmoso e muito romântico no meio do Índico

Maldivas! Sempre quisemos conhecer esse lugar. Acho que não tem uma pessoa no mundo que olha as fotos desse paraíso e não fica encantada. E agora, estávamos iniciando nossa lua de mel nesse lugar incrível .

O pedacinho de praia do nosso quarto
Arquivo pessoal
O pedacinho de praia do nosso quarto

Quanta emoção e expectativa! Maldivas são repletas de hotéis paradisíacos espalhados pelas suas  inúmeras ilhas e escolhemos um que oferecesse uma boa estrutura, além das opções de ficar nos bangalôs da praia e nos bangalôs sobre a água. Acabamos de chegar e já fomos calorosamente recebidos pelo nosso “butler” Shinan. Nossa primeira atividade com o Shinan foi conhecer o bangalô na praia, onde ficaremos pelos próximos 5 dias.

O caminho até o quarto já mostra o charme do hotel. Por aqui nada de sapatos, pois é tudo pé na areia, para fazer você se sentir em contato com a natureza. Antes de fazer essa viagem , quando eu olhava as fotos do hotel, não entendia direito como era a estrutura, pois existe uma ilha com os bangalôs  avançando sobre a água.

Shinan nos apresentando o quarto
Arquivo pessoal
Shinan nos apresentando o quarto

A impressão que dava é que a ilha era um passeio opcional para os hospedes, mas a verdade é que tudo está em terra firme. É na ilha que estão os restaurantes, salas de jogos, adegas, biblioteca, piscina, atividades físicas, a recepção e administração do hotel e inclusive outros quartos, tanto para os hóspedes quanto os alojamentos dos funcionários. Isso mesmo!

Os funcionários do hotel moram na ilha, pois seria inviável para eles tomarem o barco todos os dias para ir e voltar para casa. Eles normalmente tem uma folga semanal, que é onde eles dão uma escapadinha, mas no resto da semana é comum cruzarmos com os funcionários mesmo em suas folgas, e eles estão sempre com um sorriso abraçado no rosto, pedindo se precisamos de alguma coisa. Você nunca passa por um funcionário do hotel sem receber um simpático “bom dia!” ou “você precisa de alguma coisa?”.

É assim que eles recebem os hospedes
Arquivo pessoal
É assim que eles recebem os hospedes

Chegando em nosso bangalô, a surpresa! Uma estrutura incrível, tecnologia espalhada pelo quarto, com direito a sistema de som até no banheiro, se é que se pode chamar aquilo de banheiro, que fica na parte externa do quarto, com banheira, ducha e uma piscina privativa e uma cama para tomar sol bem ao lado. Claro que o quarto em si não poderia ficar pra trás. Tínhamos um muito espaço e uma vista do nosso pedacinho de praia, além claro de todo o sistema de luz, música, tv e ar condicionado ser automático. O bar repleto de opções, mas ali só a água e o café são cortesia, o restante é pago, e muito caro, por sinal.

+ Intercâmbio no Canadá é ótima oportunidade para conciliar estudo e diversão

O quarto tem tantos detalhes que Shinan passou mais de 20 minutos com a gente explicando tudo o que poderíamos fazer. Nosso butler está lá para nos atender 24 horas por dia. Ele está o tempo todo acompanhado de um celular que podemos ligar do nosso quarto com o número que ele nos entrega com um cartão já no primeiro dia. E para garantir que ele esteja sempre disponível, ele atende somente 4 hóspedes por vez.

Nosso quarto
Arquivo pessoal
Nosso quarto

Além de um quarto super aconchegante, recebemos os mimos tanto do hotel quanto da agência Teresa Perez, que nos deixou um cartão de boas vindas. A cama decorada com pétalas de rosa e escrito o nosso nome com folhas de bambu deram um toque especial à recepção, e descobriríamos mais pra frente que essa decoração especial é parte dos mimos diários que o hotel oferece.

Esse é o banheiro do nosso quarto
Arquivo pessoal
Esse é o banheiro do nosso quarto

Hora de conhecer nossa praia. Até então achávamos que teríamos uma praia particular, mas na verdade um dos lados da ilha tem uma longa praia que os quartos tem acesso. Confesso que isso não agradou muito em termos de privacidade, mas nada que não pudéssemos nos adaptar e admirar a beleza do lugar. A vantagem é que saindo da porta do quarto já podemos caminhar na praia. Ainda tínhamos duas cadeiras de praia e um guarda-sol só par nós. As toalhas dessas cadeiras são trocadas diariamente.

Bangalôs sobre a água
Arquivo pessoal
Bangalôs sobre a água

Não demorou muito tempo para que Shinan viesse nos buscar para um tour pelo hotel todo. Apesar de não ser uma ilha muito grande, andar por tudo a pé debaixo do sol e muito calor acaba sendo desconfortável as vezes, por isso o hotel conta com os carrinhos de golf, que é o principal meio de transporte.

O spa do hotel
Arquivo pessoal
O spa do hotel

O calor nas Maldivas é intenso. Estamos falando de um lugar muito quente, em média 36 graus e realmente muito úmido. A noite a temperatura é um pouco mais agradável mas nada de levar roupa pesada na mala. O ponto positivo de uma temperatura dessas é você poder ficar sentado até de madrugada na praia olhando para o céu estrelado. Outro ponto importante para quem quer viajar para as Maldivas é saber quando é a época de chuvas que se estende de Maio a Outubro.

Bangalôs
Arquivo pessoal
Bangalôs

O primeiro objetivo do passeio é nos mostrar as localizações das coisas na ilha, afinal o hotel oferece inúmeras atividades. Nossa primeira parada é em um dos restaurantes, que fica sobre a água, assim como os bangalôs sobre a água, e o mais interessante é que eles mantém os corais debaixo desse restaurante e ainda alimentam os tubarões, então é comum ver esses “peixinhos” nadando por ali. Vale ressaltar que esse hotel, o Huvafen Fushi, não é “all inclusive”, ou tudo incluso, o que significa que só temos disponível o café da manhã, então um jantarzinho nesse restaurante tem o preço bem salgado.

Era isso que víamos todas as noites
Arquivo pessoal
Era isso que víamos todas as noites

Nossa próxima parada foi no Spa, que não vou contar muito por enquanto, pois só essa experiência rende um texto próprio, mas da pra dizer que é um Spa único no mundo, pois ele tem uma sala subaquática para tratamentos, onde é possível ver os corais e os peixes enquanto recebe uma boa massagem. O Spa também está sobre a água. Dalí fomos para a parte central da ilha, onde tem o restaurante que oferece o café da manhã, além de um menu para o almoço e o jantar.

O pôr do sol nas maldivas
Arquivo pessoal
O pôr do sol nas maldivas

O preço é um pouco menor que o restaurante sobre a água, mas também não é muito barato. Na verdade tudo o que se faz no hotel é pago, salvo algumas exceções, como o café da manhã e o aluguel de snorkel e poucos outros artigos aquáticos. Falando em snorkel, Shinan logo nos leva para a base de esportes aquáticos da ilha, onde, claro, pegaremos nossos snorkels e entenderemos um pouco mais do que é oferecido por lá.

Os visitantes da praia
Arquivo pessoal
Os visitantes da praia

Se você gosta de aproveitar o mar, esse é o lugar para ir. As Maldivas são muito conhecidas pelos seus atois e principalmente pelo mar azul, então mergulhar é a regra número 1. Infelizmente nós não tínhamos a habilitação para mergulho com cilindro, o scuba diving, mas aconselho quem for visitar a região providenciar o curso, pois com certeza vale muito a pena. Além do mergulho é possível andar de stand up paddle, que já é bem popular no Brasil, Wind surf, jet sky, parasailing e um que achamos muito legal que é o seabob, uma espécie de jet sky subaquático.

+ Conheça oito mimos que um hotel de luxo oferece aos executivos

Para completar as belezas dessa ilha nas Maldivas, a fauna marinha é um ponto importantíssimo. Tão importante que o hotel mantem pesquisadores do assunto em suas dependências o tempo todo a fim de estudar e proteger o que tem ao redor da ilha. A diversidade é imensa e merece destaque, por isso vamos falar disso no próximo texto, pois tem muita coisa interessante que vimos nesse paraíso chamado Maldivas!

*Gisella e Fernando De Borthole são autores do site Sonho & Destino e escrevem semanalmente no iG Turismo.