Tamanho do texto

Nossa chegada a Dubrovnik já foi triunfal, digna de um casal apaixonado que pretende passar um período super romântico nessa antiga cidade

A Croácia ainda é pouco conhecida como um destino turístico, mas está se tornando cada vez mais presente nos pacotes de viagens. A verdade é que vale muito a pena passar um período por lá, principalmente na cidade de Dubrovnik, localizada ao sul do país. O que mais nos chamou a atenção foi o recorte do litoral desse país escandinavo, que conta com mais de 1200 ilhas, se misturando ao azul do mar adriático, que banha o seu litoral e a costa leste da Itália.

Dubrovnik, cidade dentro da muralha
Arquivo pessoal
Dubrovnik, cidade dentro da muralha


Nossa chegada a Dubrovnik já foi triunfal, digna de um casal apaixonado que pretende passar um período super romântico nessa antiga cidade. Viemos de outra cidade mais ao norte, chamada Split, e passamos o dia todo viajando em um barco, cruzando com muitas ilhas e, ao final do passeio, apreciando um lindo pôr-do-sol, um dos mais belos que já vimos. Essa foi uma ótima opção de transporte, pois já aproveitamos para conhecer boa parte da costa sul do país, mas claro que existem outras alternativas, como ônibus, caso você venha da capital Zagreb, que não está no litoral, ou também de avião. O aeroporto internacional fica bem perto do centro da cidade e é muito simples o acesso.

Logo na chegada do hotel já percebemos que se tratava de um lugar encantador.

Vista do hotel e praia de pedra
Arquivo pessoal
Vista do hotel e praia de pedra


Nos hospedamos no hotel Bellevue, e como o próprio nome já diz, a vista é bela! O hotel conta com uma boa estrutura e o mais legal é a praia de pedras particular, que você pode acessar pelas escadas, característica típica europeia. A água é transparente e azul, mas é muito gelada. Como visitamos a cidade no auge do verão, a água se torna um refresco indispensável!

Todos os quartos do hotel estão virados para o mar, garantindo aquela vista que não queremos nunca parar de apreciar. Claro que o salão de café da manhã não poderia ser diferente. O clima se torna muito especial quando tomamos o café na área externa sentindo a brisa vinda do mar.

Dubrovinik é uma cidade pequena, com pouco mais de 40 mil habitantes. Lá está algo classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO, a cidade murada, uma das mais conservadas da Europa. O local não era longe do hotel onde estávamos.

Logo na primeira manhã na cidade já fomos correndo lá para visitar. Fizemos o trajeto andando para aproveitar para tirar fotos das vistas que íamos passando, sempre com o Mar Adriático como cenário. Logo em torno da muralha já vimos muitos bares e restaurantes, com aquele clima típico europeu que pode se transformar em uma excelente opção para quem quer curtir a dois.

A muralha conta com duas entradas, localizadas em posições opostas, a mais próxima para nós já dava direto na Fonte de Onofrio, onde já enchemos nossas garrafinhas de água em um de seus 16 bicos de água pura para beber.

Fonte Onófrio
Arquivo pessoal
Fonte Onófrio


Caminhamos pelas ruas de pedra da antiga cidade guardada pela muralha e já começamos sentir o valor histórico de tudo que tem lá. O local é repleto de restaurantes dos mais variados tipos. Em uma parada rápida para comer vale pegar um pedaço de pizza em uma das muitas pequenas pizzarias que existem por lá. Lojinhas de suvenir é o que não falta, mas também tem outros artigos que podem ser encontrados, como sapatos e roupas. O lugar também é repleto de museus e outras atrações, como pequenas salas de show, uma das quais tivemos a oportunidade de apreciar um belo concerto interpretado por um quarteto maravilhoso. Claro que não podemos esquecer de comentar dos talentosos artistas de rua, que estão por toda parte fazendo suas pinturas ou tocando um ritmo muito tradicional da região.

É claro que a principal atração é andar sobre a grande muralha, caminhada de aproximadamente 2km e com uma paisagem simplesmente indescritível. Como bons viajantes não poderíamos deixar essa passar. A muralha conta com várias escadas ao longo do caminho, mas fizemos questão de dar a volta inteira.

Estávamos no auge do verão, então a temperatura da cidade já estava perto dos 30 graus, mas como lá em cima é tudo de pedra e com pouca ventilação, acho que a sensação térmica já passava dos 40 graus, um verdadeiro forno. Por isso nós recomendamos fazer esse passeio com roupas leves, pouco peso nas costas e muita água, senão será fácil desistir do passeio.

Fortaleza Lovrijenac
Arquivo pessoal
Fortaleza Lovrijenac


Dois pontos que nos chamaram muito a atenção durante esta caminhada foram a vista da Fortaleza Lovrijenac, banhada por águas transparentes e também uma ampla vista do Mar Adriático, repleto de iates, ilhas e muita gente fazendo algum tipo de atividade aquática, muito comum nessa época do ano. É sempre possível ver os telhados laranjas das construções antigas e muito conservadas, mas de um determinado ponto essa vista fica bem mais bonita com o mar de fundo.

Pôr do sol durante passeio de barco em Dubrovnik
Arquivo pessoal
Pôr do sol durante passeio de barco em Dubrovnik


Terminamos o dia com um jantar super romântico que tivemos em um restaurante italiano no portal oposto daquele pelo qual entramos na muralha.

Essa passagem da acesso ao mar e à alguns barcos para outros passeios pela região.

A cidade antiga rodeada pelas muralhas é bem pequena, mas Dubrovnik oferece outros locais que também visitamos, principalmente por estar próximo ao nosso hotel. No bairro de Guz está o porto novo, que fica a cerca de 3 km do centro histórico. O bairro tem muitos restaurantes e construções mais modernas, além de concentrar boa parte dos hotéis da cidade.

A Croácia com certeza deve ser um destino a ser considerado em seu roteiro de viagem, e Dubrovnik deve ser visitado. A cidade tem tudo para se tornar um destino romântico e muito explorado a dois. O que pode ser bem atrativo também é o custo de uma viagem como essa, que pode estar em um orçamento muito acessível. Claro que, dependendo do hotel, a conta pode subir um pouco.

Quanto custa?

O hotel Bellevue não é dos mais baratos, girando em torno de R$ 800 a diária, mas existem outras opções muito boas e baratas também. Por se tratar de uma cidade pequena, a locomoção pode ser feita a pé, se você gosta de andar, mas os táxis estão por toda parte e não são caros. Você pode desfrutar de ótimos restaurantes com custos atrativos, considerando belo local, em torno de R$ 200 para um casal, mas também pode esbanjar com uma bela lagosta em restaurantes mais tradicionais. O importante é que tem opções para todo tipo de bolso.

Infelizmente não existem voos diretos do Brasil para a Croácia, sendo necessário fazer pelo menos uma parada em algum outro país, como Itália, França, Alemanha ou Holanda. A passagem irá custar em torno de R$ 3 mil por pessoa. Independente do seu orçamento, Dubrovnik pode ser visitada e bem apreciada a dois em qualquer ocasião.

* Gisella e Fernando De Borthole são autores do site Sonho & Destino e escrevem semanalmente no iG Turismo .