Apesar de a popularidade dos cruzeiros no Brasil só aumentar, muita gente não tem a menor noção do que esperar quando opta por fazer uma viagem de navio . Não é difícil encontrar pessoas que imaginam um cruzeiro como algo extremamente chique onde todos se vestem de maneira formal, ou aquelas que imaginam passageiros passando mal com o balanço da embarcação por toda parte.

Leia também: Embarcamos no MSC Seaside, mais novo navio a operar no Caribe; confira

undefined
Pixabay/Creative Commons
É difícil encontrar quem fique "em cima do muro" sobre a experiência de fazer uma viagem de navio: ou ama ou apenas odeia

A bordo, porém, as coisas não são bem assim. Recentemente, o iG Turismo embarcou no MSC Seaside e, após a inauguração do transatlântico, que ocorreu enquanto ele ainda estava atracado, passamos algumas horas navegando. Durante a estadia, observamos vários tipos diferentes de pessoas e, com a ajuda de um ex-tripulante que prefere não se identificar e de passageiros frequentes, listamos dez tribos que você pode encontrar durante uma viagem de navio ; confira:

1. Os que não fazem outro tipo de viagem

É difícil encontrar quem fique "em cima do muro" sobre a experiência de fazer cruzeiros; normalmente, ou a pessoa não gosta nem um pouquinho ou adora. No segundo caso, muitas delas acabam se tornando passageiros frequentes que dispensam qualquer outro tipo de viagem.

Ao bater papo com outros hóspedes durante sua viagem de navio, é possível que você esbarre em gente que já fez todos os cruzeiros disponíveis no país onde mora (e até alguns fora dele) e que vai fazer de tudo para te convencer do quão maravilhosa é a experiência.

2. Os que moram em cruzeiros (literalmente)

Pode até parecer estranho, mas há, sim, quem opte por morar em um cruzeiro por meses. De acordo com o ex-tripulante que viajou conosco, isso é algo que ocorre bastante com pessoas que estão na terceira idade, já que, dependendo do custo de vida do local em que moram e da condição financeira delas, morar no navio é uma opção mais barata, agradável e prática. Sendo assim, se você embarcar em uma viagem de navio, pode trombar com pessoas que chamam a embarcação de lar.

3. Os arrumadões

Como navios costumam ter espetáculos a bordo, restaurantes finos e até eventos como casamentos e festas de debutante, não é incomum cruzar com pessoas usando roupas de gala, com penteados elaborados e maquiagem impecável.

Isso não quer dizer, porém, que você precisa necessariamente levar esse tipo de roupa na mala (a menos, é claro, que você tenha um evento específico que peça esses trajes). Se elas não são do seu gosto, você pode facilmente fazer parte da próxima tribo:

4. Os que não estão nem aí

Ao mesmo tempo em que é normal ver pessoas bastante arrumadas, também há quem fique desfilando pelo transatlântico com roupas de banho, saída de praia e chinelo. Se essa é a sua praia, então saiba que você tem uma tribo para chamar de sua na viagem de navio.

Leia também: Cabine interna, externa ou com varanda? Saiba como fazer a melhor escolha

5. Os que morrem de medo de enjoar

Uma das maiores preocupações de quem vai a um cruzeiro pela primeira vez é a clássica “será que vou passar mal?”. Após ouvirem histórias de pessoas que realmente são mais sensíveis e passam mal com o balanço do navio, é comum que alguns passageiros embarquem com mil e um remédios para náusea. Segundo o ex-tripulante, há até quem siga simpatias para prevenir o enjoo, como a de colocar um band-aid na barriga.

6. Os que realmente enjoam

Além das pessoas que têm o estômago mais sensível, há também aquelas que, de tão apavoradas, realmente passam bem mal.

O ex-tripulante conta que é extremamente raro ver, por exemplo, crianças enjoando na embarcação, já que elas simplesmente não pensam nessa possibilidade como adultos o fazem.

7. Os viciados em cassino

Uma das atrações mais comuns em cruzeiros é o cassino. Apesar de não ser segredo para ninguém o fato de que não é muito difícil perder dinheiro nesses ambientes, ele é, de longe, um dos locais mais lotados do navio, e tem gente que simplesmente não arreda o pé dali.



8. Os que amam a programação

Se engana quem pensa ser possível sofrer de tédio em uma viagem de navio. Com piscinas, tobogãs, espetáculos de teatro, diversas opções gastronômicas, festas e, em alguns casos, até tirolesas, é praticamente impossível ficar sem fazer nada. Pensando em garantir que as pessoas realmente se divirtam, também costuma haver uma programação para os hóspedes, com aulas de dança, atividades esportivas ou jogos nas piscinas, e, para algumas pessoas, é indispensável seguir cada um dos programas propostos no cruzeiro.

9. Os que fogem da programação

Há, porém, pessoas que embarcam no navio buscando tranquilidade. Para elas, não importa quantas vezes alguém as chame para fazer uma animada aula de salsa ou uma ginástica na piscina porque o que elas querem mesmo é cochilar, curtir uma tarde de sol, ler um livro, observar o oceano ou experimentar os restaurantes.

Sendo assim, é normal encontrar quem fuja da programação do navio e da badalação de todas as formas (e, bom, é melhor deixá-las em paz, certo?).

Leia também: Conheça o navio que passará mais de 100 dias dando uma volta ao mundo

10. Os que imitam a Rose e o Jack de “Titanic”

É realmente impossível embarcar em um transatlântico sem que cenas de “Titanic” venham na cabeça. A mais famosa delas é aquela em que Jack (Leonardo DiCaprio) e Rose (Kate Winslet) sobem na borda do navio e abrem os braços juntos, dando risada com os cabelos ao vento.

Para alguns, o primeiro instinto ao chegar na popa do navio em um cruzeiro é abrir os braços e imitar a famosa cena, então se você já está pensando em fazer isso assim que embarcar em uma viagem de navio, saiba que, provavelmente, terá companhia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários