Tamanho do texto

Colunista Márcio Masulino nos leva para conhecer o Cerrado de Altitude, na Chapada dos Veadeiros, a maior savana em biodiversidade do mundo

Trilha dos Saltos, 12km de caminhada pelo Cerrado de Altitude.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Trilha dos Saltos, 12km de caminhada pelo Cerrado de Altitude.

Você pode imaginar que a Chapada dos Veadeiros é um destino para aventureiros ou para esotéricos em busca da iluminação. E é! Mas é muito mais do que isso. Com seus inúmeros atrativos, agrada a públicos de diversas idades e interesses. Cada vez mais,  vemos grupos escolares interessados em conhecer o Cerrado,  a maior savana do mundo em termos de biodiversidade, e visitar comunidades tradicionais, como a dos garimpeiros na Vila de São Jorge ou o povo kalunga, a maior comunidade de remanescentes quilombolas do Brasil, em Cavalcante. Encontramos também casais à procura de cenários românticos, boa gastronomia e hospedagens confortáveis, itens que não faltam por aqui. Enfim, são várias “tribos” curtindo a mesma energia de pedras, cachoeiras, matas, cânions e um céu repleto de estrelas.

Leia também: Conheça Ilha Comprida, outro destino incrível para quem gosta de aventura.

Como chegar? 

A Chapada dos Veadeiros abrange vários municípios, entre eles Alto Paraíso de Goiás, Colinas do Sul e Cavalcante. Fica a cerca de  400 km de Goiânia e a 230 km de Brasília; saindo da capital do país, o acesso é pela GO-118, estrada bem sinalizada e em bom estado de conservação.

A entrada do Parque Nacional fica na Vila de São Jorge, no município de Alto Paraíso, para mim, o lugar mais agradável para se achar hospedagem. A Vila, pequena e extremamente charmosa, faz parte da minha primeira dica.

Onde se hospedar: Vila de São Jorge

Entrada da Vila de São Jorge formada por ex-garimpeiros e hoje explorada pelo turismo.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Entrada da Vila de São Jorge formada por ex-garimpeiros e hoje explorada pelo turismo.

De todos os lugares ao redor do Parque, esta Vila foi a que mais me encantou. Formada por antigos garimpeiros que trabalhavam na região na época da extração de cristal de quartzo, hoje vive do turismo.

Aqui, você não vai ouvir ninguém pedir para tocar Raul! Porque eles naturalmente já estarão tocando... As ruas são de terra e, em poucos minutos, você já atravessou a Vila inteira.

As pousadas são extremamente agradáveis, assim como os restaurantes e os ateliês de arte. Agora, se for muito alternativo para você, Alto Paraíso também não deixa nada a desejar.

Dicas de passeios na Chapada dos Veadeiros

1. Trilhas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Saltos do Rio Preto, depois de uma trilha de média dificuldade, um banho para reanimar o corpo.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Saltos do Rio Preto, depois de uma trilha de média dificuldade, um banho para reanimar o corpo.


O parque abre suas portas durante todo o ano e a entrada é gratuita. Porém, existe um limite de visitação por dia que deve ser observado. Isso acontece para preservar o ecossistema e faz parte do modelo de turismo sustentável que desejamos. No parque, você encontra quatro trilhas muito bem sinalizadas com diferentes distâncias e graus de dificuldade.

A mais leve é a Trilha da Seriema, com 800 metros de distância. É muito interessante para crianças, idosos, pessoas com dificuldade de locomoção. Já as Trilha dos Saltos e dos Cânions tem, cada uma, por volta de 11 a 12 km, ida e volta. Em ambas, você pode curtir um delicioso banho nas águas do Rio Preto. A Travessia das Sete Quedas, a quarta trilha, exige um condicionamento físico melhor e agendamento da visita. São 23,5 km para serem percorridos em dois ou três dias e somente na época da seca, de maio a outubro.

2. Banho no Vale da Lua

Vale da Lua, formações rochosas de mais de 600 milhões de anos.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Vale da Lua, formações rochosas de mais de 600 milhões de anos.



O Rio São Miguel, um dos principais da Chapada dos Veadeiros, tem suas nascentes localizadas fora do perímetro do parque. E, ao longo do seu curso, o rio nos presenteia com um vale escavado nas rochas pela ação da água, por milhões de anos. Crateras formadas em meio às pedras de coloração clara formam verdadeiras banheiras de hidromassagem naturais. O visual, tirando a água, lembra muito as crateras da Lua, por isso o nome do vale. O lugar é propriedade particular e é cobrado um valor para sua devida manutenção e preservação. Mesmo assim, é uma visita obrigatória.

3. Trilhas e o Cânion Raizama

Cânion Raizama na Fazenda Espaço Infinito.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Cânion Raizama na Fazenda Espaço Infinito.


Uma das trilhas mais interessantes da chapada  fica dentro da Fazenda Espaço Infinito. O ponto mais alto do passeio é a vista que se tem do Cânion Raizama, com a queda d’água passando à sua frente e escorrendo pelo vale. Mas, antes de chegar a esse ponto, você já se deliciou pelo caminho às margens do Rio Miguel e no meio de um vale cercado de pedras.

A trilha nos ensina muito sobre o Cerrado de Altitude e a melhor opção aqui, como em qualquer outra trilha da chapada, é contratar um guia especializado que possa apresentar a fauna, a flora e a cultura local. Para mim, esse é um investimento que torna o passeio mais seguro e mais interessante.

4. Rapel nas Cachoeiras Almécegas

Rapel nas Cachoeiras Almécegas - 45 metros adrenalina pura.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Rapel nas Cachoeiras Almécegas - 45 metros adrenalina pura.



Na Fazenda São Bento, nas Cachoeiras Almécegas, você vai escolher entre se aventurar em um rapel em uma cachoeira de 45 metros de altitude, com uma negativa de 20 metros no final, ou apenas se banhar na base do penhasco, observando os aventureiros descerem.  A experiência do rapel é inesquecível e segura, desde que seguidas as regras e as normas estabelecidas para o turismo de aventura. Peça referência sobre as operadoras locais, verifique se os equipamentos estão em bom estado de uso e se a empresa tem um sistema de gestão de segurança implantado.

Se ainda tiver pique, dentro dos limites da fazenda você  pode atravessar o Cerrado deslizando numa tirolesa, partindo de uma altura de mais de 100 metros e  percorrendo 850 metros entre a Serra Almécegas e o morro do Mirante da Fazenda.

5. Visita à Feira do Produtor de Alto Paraíso

Feira do Produtor na Chapada dos Veadeiros - O melhor lugar para vivenciar a cultura local.
Márcio Masulino/CidadeeCultura
Feira do Produtor na Chapada dos Veadeiros - O melhor lugar para vivenciar a cultura local.


A Feira do Produtor de Alto Paraíso é muito apreciada pelos turistas que gostam de conhecer melhor a cultura das comunidades por onde passam. Arte, artesanato,  culinária local e ingredientes cultivados na região deixam o galpão, na entrada da cidade, extremamente colorido. É um dos locais mais interessantes para termos contato com os moradores locais e seus costumes. Cheire, deguste, pergunte: você terá uma aula prática sobre a vida no Cerrado.
Funciona todos os sábados das 7h às 12h e às terças das 16h às 18h.

Aqui, citamos algumas trilhas, cânions e cachoeiras da Chapada dos Veadeiros. Mas saiba que você encontra dezenas de outros lugares para visitar e que muitos ainda nem se quer foram descobertos pelos nativos.  Para saber mais dicas de turismo e de trilhas pelo nosso continente, acompanhe a coluna de Márcio Masulino aqui no iG Turismo .

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.