Tamanho do texto

Gisella e Fernando, do blog Sonho e Destino e colunistas do IG, visitaram essa charmosa cidade no litoral fluminense e dão detalhes da famosa vila histórica

Quem está viajando de São Paulo para o Rio de Janeiro pela rodovia BR-101, também popularmente conhecida como Rio-Santos, chega na charmosa cidade de Paraty logo que cruza a divisa dos dois estados.  Nós já conhecíamos o local , pois por frequentarmos muito Ubatuba, às vezes damos um pulinho nessa cidade fluminense para passar o dia. Ainda assim, é um destino que vale o passeio! 

 Leia também: conheça 5 ilhas paradisíacas em Ubatuba

Uma das ruas do centro histórico de Paraty
Arquivo pessoal
Uma das ruas do centro histórico de Paraty

Paraty é muito conhecida por sua belíssima costa, repleta de praias em uma baía com muitas ilhas, compartilhando o mar com a cidade vizinha Angra dos Reis. A cidade oferece uma boa estrutura náutica para aproveitar as águas verdes e abrigadas. Alugando um barco ou em um passeio de escuna é possível visitar as mais de 90 praias e 60 ilhas para apreciar uma paisagem única. Nós já visitamos alguns desses lugares e o que mais gostamos até agora foi a Ilha da Cotia , localizada no sul da cidade. Quando o tempo está bom é comum vermos essa pequena ilha com praias paradisíacas e muitos barcos curtindo o dia.

Vista aérea de uma das águas verdes de Paraty
Arquivo pessoal
Vista aérea de uma das águas verdes de Paraty


Centro Histórico de Paraty

 Falar das praias da cidade de Paraty vai exigir mais de um texto com certeza, então vamos passar para o famoso Centro Histórico, local que torna a cidade um dos destinos turísticos mais procurados do país. Nesse dia resolvemos passear pelas ruas de pedras em meio às casas com arquitetura estilo colonial.

Gisella e Fernando passeando pelas ruas do Centro Histórico de Paraty
Arquivo pessoal
Gisella e Fernando passeando pelas ruas do Centro Histórico de Paraty

Logo que chegamos na cidade encontramos a primeira dificuldade, comum em locais turísticos disputados: onde estacionar o carro? Para começar as ruas do centro histórico não aceitam carros, então somente a pé ou nos passeios de carroça para trafegar por ali.  

Os agentes de trânsito direcionam os carros para alguns estacionamentos públicos. Também tem alguns estacionamentos particulares. Mesmo com a cidade lotada é possível achar uma vaguinha.

Andamos pelas ruas em busca de um bom restaurante, algo comum na cidade, e fomos nos encantando com tantas ruas bonitas. Fizemos uma pausa para as fotos, que é sempre necessária, afinal a arquitetura da época colonial encanta. As casas históricas se tornaram pousadas, restaurantes, lojas de artesanato e museus e nas ruas estão sempre acontecendo apresentações de músicos populares e estátuas vivas.

Se você tiver interesse em saber mais da história, pode aproveitar um passeio de carroça com um guia local, que irá te levar de volta para a época do Brasil Colônia com explicações muito interessantes.

Artistas de Rua no Centro Histórico de Paraty
Arquivo pessoal
Artistas de Rua no Centro Histórico de Paraty


Uma cidade repleta de cultura

A cidade de Paraty também é palco para diversos eventos culturais, sendo a Festa Literária Internacional (FLIP) o mais concorrido e conceituado. Ela é realizada desde 20013 e conta com a presença de escritores brasileiros e estrangeiros que participam de debates e palestras em estruturas armadas nas ruas ou nos prédios do Centro Histórico. Além da FLIP, a cidade traz eventos folclóricos e religiosos, sendo a festa do Divino Espirito Santo uma das mais famosas.

Ruas de pedras e arquitetura da época Brasil Colônia
Arquivo pessoal
Ruas de pedras e arquitetura da época Brasil Colônia


Gastronomia

 Assim como toda cidade que traz uma cultura rica, a gastronomia não poderia ficar de lado. Além disso, Paraty é muito conhecida por ser a terra da cachaça, com vários alambiques espalhados por lá produzindo cachaça artesanal de ótima qualidade com variações incríveis. A bebida é tão presente na cidade que existem algumas lojas especializadas no centro histórico que vendem a cachaça artesanal dos alambique locais. Apesar de não bebermos, tivemos que passar em uma dessas lojas para conhecer um pouco mais dessa que se tornara uma das tradições de Paraty com a famosa cachaça Gabriela.

Cachaçaria no Centro Histórico de Paraty
Arquivo pessoal
Cachaçaria no Centro Histórico de Paraty


Depois de passearmos pela cidade, chegou a hora de acharmos um bom restaurante. As opções são várias, principalmente aqueles que oferecem peixes no cardápio. Caminhamos um pouco até achar um lugar muito charmoso chamado Bartholomeu. Por fora parecia um restaurante como todos os outros, mas quando entramos nos deparamos com uma área externa ao fundo e foi o lugar que escolhemos para ficar.

O que nos chamou a atenção no cardápio foi um delicioso risoto de filé mignon com queijo gorgonzola e a famosa caipirinha São Jorge, feita com a cachaça Gabriela. Tudo bem, que o nosso prato escolhido não parece ser tão típico local, mas o que valeu foi a experiência de estar em um ambiente muito agradável e estava delicioso.

Charmoso restaurante Bartholomeu no Centro Histórico de Paraty
Arquivo pessoal
Charmoso restaurante Bartholomeu no Centro Histórico de Paraty

Nossa passagem por Paraty nesse dia foi breve, mas o suficiente para aproveitar um belo final de tarde com o por do sol, apreciando uma mistura de história com natureza. Se você pensa em visitar Paraty, separe pelo menos um final de semana para começar sua experiência na cidade, que terá que ser dividida por etapas. São tantas opções que exige um tempo maior de permanência ou mesmo várias visitas direcionadas para cada atividade: cultura, história, aventura, gastronomia e praia. Para saber mais dicas de viagem e destinos, acompanhe a coluna de Gisella e Fernando no IG Turismo .