Tamanho do texto

Com o turismo terapêutico, o viajante tem a possibilidade de passar por vivências que ajudam na solução de problemas que lhe atingem; confira

Não é novidade para ninguém que tirar um tempo para viajar traz diversos benefícios à saúde. Mas, você já pensou em aproveitar o período para, além de relaxar, refletir sobre algo que o incomoda e, de uma vez por todas, solucionar o problema? É o que propõe o turismo terapêutico, uma mistura de viagem com terapia.

Leia também: 15 destinos para sacudir a poeira quando o relacionamento acaba

Durante viagem com terapia, viajante tem a possibilidade de passar por vivências e, com isso, resolver problemas
shutterstock
Durante viagem com terapia, viajante tem a possibilidade de passar por vivências e, com isso, resolver problemas

A terapeuta Cristina Longhi explica que, durante a viagem com terapia , os viajantes olham para dentro de si com o objetivo de encontrar uma solução para algo. “As pessoas conhecem lugares interessantes pelo mundo ao mesmo tempo em que estão fazendo reflexões sobre suas vidas e as soluções para seus problemas”, detalha.

Antes de viajar, o profissional contratado avalia quais as necessidades de cada um e define qual será o objetivo principal para superar. Já na viagem, a terapeuta guia as pessoas através de reflexões e vivências para que, assim, elas possam alcançar seus objetivos.

Durante viagem ao Egito, a aposentada fez uma viagem de balão, o que, junto com a terapia, a ajudou a perder o medo de altura
shutterstock
Durante viagem ao Egito, a aposentada fez uma viagem de balão, o que, junto com a terapia, a ajudou a perder o medo de altura

E é exatamente isso que aconteceu com Rosa Maria de Sousa Favaro, de 68 anos, que tinha pavor de altura, condição conhecida como acrofobia. Para perder o medo, viajou para o Egito e, após passar por sessões de terapias, fez uma viagem de balão no Vale dos Reis.

Leia também: 4 erros mais comuns ao comprar uma passagem de avião pela web e como evitá-los 

De acordo com a aposentada, a viagem era um sonho e, com ela, veio a perda do medo. “Tem certas coisas nessa vida que não temos como explicar, e esta foi uma delas. Estávamos em 15 pessoas no balão e, assim como eu, todos ficaram maravilhados com o nascer do sol”, conta.

Após o retorno, durante uma viagem a São Paulo, o seu antigo medo foi colocado à prova. “Em um prédio, estava no nono andar, cheguei à beira do parapeito e olhei para baixo. Achei a vista lá de cima maravilhosa. Me afastei, sem acreditar no que tinha acabado de fazer. Qualquer aproximação com altura me deixava apavorada, pois tinha impressão que ia cair”, relata.

Como funciona esse tipo de turismo com terapia?

Cristina explica que a viagem terapêutica é dividida em dois tipos. A primeira, como foi o caso da aposentada, é voltada ao desenvolvimento emocional, o que faz as pessoas se tornarem capazes de superar seus problemas. O segundo tipo, conforme diz a terapeuta , vai além disso. “São como viagens temáticas, que envolvem a parte espiritual e energética”, relata.

As vivências feitas durante as viagens são atividades executadas individualmente ou em grupo, em que são utilizadas técnicas de PNL (Programação Neurolinguística), hipnose, Constelação Sistêmica, entre outros. Geralmente, os lugares escolhidos para as vivências são em meio à natureza. 

Leia também: 5 destinos nacionais em que o principal atrativo é a natureza

Depois de passar por essa experiência com a terapia , as pessoas voltam transformadas, com algo resolvido ou compreendido, conforme declara a terapeuta. “Além do ganho que envolve a própria viagem, como conhecer um lugar diferente, descansar e se relacionar com pessoas novas, o viajante adquire mais poder pessoal através da superação de algo”, finaliza.