Imagine largar tudo e viver o sonho de cair na estrada? Parece coisa de cinema, mas essa é a vida de Fernanda, 33 anos, e Noelma Biasin, 35,  que estão construindo sozinhas o Bidu House, um motorhome. Essa vai ser a futura do casal próximos dois anos. Elas pretendem ir de Ushuaia, na Patagônia, no extremo sul do continente, até o Alasca, extremo norte. 

motorhome
Divulgação
Conheça Noelma e Fernanda, casal que largou e está montando um motorhome para viajar pelas Américas



A casa móvel, tem 5 metros quadrados, e vai ter tudo, sofá, cama, cozinha, fogão, pia, máquina de lavar que serve para secar as roupas também. A preparação para a viagem é contada no perfil  o Mundo e Elas, do Instagram.



O Pontapé para o sonho 


Noelma, conta em entrevista ao iG Turismo, que ela e Fernanda se conheceram em 2009, em uma balada em Santos. Desde então elas não se separaram mais. Além de todo o amor que compartilham, uma coisa que elas amam também são as viagens. “Mesmo antes de nos conhecermos, sempre amamos viajar e ao nos conhecermos a vontade só aumentou.”, explica. 

Noelma é Educadora Física e tinha o próprio estúdio, onde trabalha em média 12 horas por dia dando aulas. Já sua esposa, formada em Fisioterapia, era sócia de uma empresa que prestava serviço em um hospital. Ela conta que os plantões podiam chegar até 24 horas. 


A rotina turbulenta das duas, só mudou após a suspeita de um linfoma em Noelma, em meados de 2016. Desde então o casal parou toda a rotina durante sete meses para passar por diversos especialistas e achar o melhor tratamento. 

“ Foram longos meses passando em diversos especialistas e o diagnóstico veio depois de uns 7 meses angustiantes que era um tipo de pseudolinfoma de células B. Ainda assim é uma doença rara, mas por sorte é benigno”, esclarece. 

A notícia fez com que o casal pensasse na vida que estavam vivendo, pois os trabalhos de ambas eram instáveis, por serem autônomas. “Quando recebemos a boa notícia que não tinha nenhum outro foco de tumor e que era só na pele, o tratamento seria fazer acompanhamento de 6 em 6 meses. Então depois desta boa notícia, percebemos que a vida era muito curta e que a qualquer momento tudo poderia mudar”, conta. 


A grande ideia 


Tomada a decisão elas decidiram colocar o plano em prática e vender a casa, o carro, moto, roupas, utensílios domésticos, praticamente tudo e viajar pela Europa e foram de Santos, em São Paulo, para Roma na Itália. “A Fernanda tinha direito a cidadania italiana e como somos casadas, eu Noelma também teria direito deste benefício”.



O plano seria visitar 28 países da União Europeia, com um mini cooper comprado para facilitar as viagens, levando os cachorros Toby e Luque no banco e trás. O sonho estava sendo realizado, porém, quando estavam visitando o sétimo país da lista, tiveram que voltar para o Brasil por conta da pandemia do coronavírus. 



“As fronteiras começaram a fechar e ficamos com medo de não conseguir sair da Europa caso fosse necessário, já que nossa família estava toda aqui no Brasil. Partimos de Luxemburgo para o sul de Portugal e conseguimos um voo para o Brasil três dias antes de fechar as fronteiras por lá.” 


O Bidu House


Conforme os meses foram se passando, Noelma e Fernanda começaram a ficar desesperadas e angustiadas por não poderem mais viajar. Em agosto uma nova ideia surgiu: porque não construir um Motorhome e viajar pelas Américas?


“Este sonho era pra ter sido realizado na Itália, mas como lá percebemos que as cidades eram pequenas demais e a mão de obra bem difícil e cara, decidimos comprar um Mini Cooper e hospedar em casas ou hostels.”



Elas compraram Mercedes-Benz Sprinter e começaram a construir o sonho com as próprias mãos, a futura casinha delas, que elas deram o nome de Bidu House. “O Bidu House, nome carinhoso que apelidamos nossa van, está em fase de construção ainda, mas acreditamos terminar em meados de dezembro.”

Noelma explica que por não serem especialistas em montar um motorhome do zero, a construção está sendo um pouco demorada e todo o processo é mostrado no Instagram e no blog delas. 

“Todos os dias vemos diversos vídeos, estudamos bastante e executamos. Sempre gostamos de colocar a mão na massa, então acredito que isso já nos deu uma boa noção das coisas.” 

Outro grande problema que elas estão enfrentando, são com os materiais, que muitas vezes não são encontrados no Brasil - ou quando estão disponíveis são muito caros. “Acabamos tendo que comprar da China e o tempo da entrega dificulta na construção.” 



Porém, essas pequenas dificuldades não afetam o o sonho delas de viajar o mundo, coisas que ela incentivam a todos que tenham vontade de viver uma aventura semelhante.

“A dica é : Vai lá e tenta, não existe coisa de homem ou de mulher, existe coisas para se fazer. Nós sempre tentamos uma, duas, três vezes até dar certo. Normalmente não desistimos de tentar e quando vemos o resultado final, aí percebemos que somos capazes de fazer o que quisermos, basta não desistir”, encerra Noelma. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários