Vivemos no meio de uma pandemia que paralisou as viagens internacionais e diminuiu o fluxo de viagens nacionais. O novo coronavírus (Sars-CoV-2) transformou o turismo mundial, que deve começar a se recompor no segundo semestre de 2020.

Leia também: Voo vazio x aeroporto lotado - o que vi ao viajar na pandemia

viajar
shutterstock
Viajar em 2020 e 2021 vai demandar muito cuidado de higiene

Ainda é incerto dizer quando será seguro viajar  novamente, porém algumas pessoas precisam manter suas viagens por questões familiares ou de trabalho. Portanto, para quem irá percorrer o mundo nos próximos meses, o iG Turismo conversou com o turismólogo e influencer, Tiago Lopes, que deu cinco cuidados essenciais para se proteger no pós-pandemia.

1. Comprar passagens e hospedagens com 100% de garantia de cancelamento grátis

Apesar de muito discutido, o fim da pandemia da Covid-19 ainda não é certo. Imagina se precisarmos passar por outro período de quarentena? Portanto, é importante ter atenção redobrada com as políticas de cancelamento, tanto de hotéis, quanto das companhias aéreas. 

Os próximos dois anos serão, de certa forma, um reflexo da pandemia e da economia. Por isso, na hora de fechar a viagem, dê preferência para quem oferece 100% de garantia de cancelamento grátis. “Como ainda não sabemos o que irá acontecer e como o mercado de viagens vai reagir, busque uma garantia de cancelamento. Assim, caso não consiga viajar, consegue recuperar seu dinheiro”, conta Tiago Lopes. 

2. Procurar por destinos nacionais em 2020

Se a sua viagem não é para negócios, é possível escolher os destinos. Para quem quer planejar férias ainda neste ano, o ideal é optar pelos destinos nacionais.

“Não existe nenhum movimento internacional concreto do que pode acontecer, o que nos deixa sem garantia. Você ficaria dependendo da situação do outro país: como estão suas fronteiras, fechadas ou abertas? Se escolher destinos nacionais, é mais fácil de não ter imprevistos”, explica o turismólogo.

3. Buscar lugares que não sejam propensos a aglomerações

Pelo menos até o fim de 2020, tanto para destinos nacionais, quanto internacionais, evite locais que costumam ter muita aglomeração. Mas se for impossível, o ideal é manter o distanciamento social de, pelo menos, 1.5 metros da pessoa a frente.

“Sei que lugares com muita gente podem ser os mais buscados, mas neste momento devem ser evitados. Procure destinos mais vazios, como hotéis-fazenda, por exemplo”, aconselha Lopes. 

4. Analisar a situação política do país de destino 

Esse é um recado para quem pensa em viajar em 2021 . Pela visão dos especialistas, o próximo ano será o momento em que as viagens internacionais vão começar a voltar com maior segurança. 

Para quem pretende investir em uma viagem para fora do país, a sugestão é pesquisar, com afinco, as políticas do país desejado. “Avalie muito como está a política do país. Como está, na data que você estiver planejando a viagem, a taxa de contágio. Pesquise como está a relação entre o Brasil e este outro país, descobrindo se eles estão permitindo viagem entre os dois territórios e quais as condições, se houverem”, explica.

5. Se proteger com máscara

Mesmo com o fim da pandemia, o vírus continuará circulando, então é sempre importante manter as precauções que já foram sugeridas pela Organização Mundial da Saúde - OMS. No Brasil ou fora dele, essas medidas são essenciais para que não existam imprevistos, além de priorizar a saúde. 

Leia também: Praias e pontos turísticos reabrem pelo mundo - o que pode e o que não pode?

“Use máscara dentro do aeroporto, do avião, do transporte público. Siga as normas que vão estar implantadas no Brasil à risca. Ambientes de muito tráfico de pessoas são os mais propensos a contaminação”, conclui o turismólogo e influencer.

    Veja Também

      Mostrar mais