Nos últimos dois anos, os brasileiros ganharam mais uma opção de viagem: as empresas low cost. Desde o ano passado, a Flybondi é uma delas. "Ultra low cost", a empresa lançou a rota São Paulo - Buenos Aires no último dia 24 de janeiro e pretende aumentar o fluxo de brasileiros no país vizinho.

Leia também: Cuidado para não errar na hora de comprar passagem aérea

avião arrow-options
Flavia Matos/ IG
Flybondi é a primeiro low coast argentina a operar no Brasil

A função principal de uma low cost é oferecer o serviço de transporte aéreo com eficiência. Com uma única (e pequena) frota, essas empresas operam em tempos menores do que as companhias aéreas comuns e oferecem só aquilo que o passageiro vai utilizar: o transporte. Caso este deseje comidas, conforto extra nas poltronas, despacho de bagagem e etc, precisará pagar a parte.

Mas como será a experiência de viajar numa empresa deste porte? A reportagem do iG Turismo esteve no voo inaugural da Flybondi que saiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na sexta-feira (24) com destino ao aeroporto El Palomar, em Buenos Aires, e traz as impressões do mais novo modelo de viagens no Brasil.

Praticidade

low cost arrow-options
Divulgação
Avião da Flybondi sendo "batizado" na chegada a São Paulo

A Flybondi faz bem o que se propõe a fazer, carregar os passageiros com agilidade. A média de permanência no solo das aeronaves da companhia é de 30 minutos (contra 50 minutos de outras empresas) o que, na prática, deixa todo o processo de decolagem mais rápido.

Em dezembro de 2019, a empresa obteve 89% de pontualidade e ocupação, tendo a melhor taxa de ocupação na Argentina, ao lado da Latam.

Produtos extras

cardápio arrow-options
Flavia Matos/ IG
Cardápio da Flybondi na rota São Paulo - Buenos Aires

Ao voar na low cost, o passageiro poderá consumir bebidas e comidas, mediante pagamento. No cardápio da empresa estão chá, refrigerantes e cerveja (para maiores de 18 anos), salgadinhos, bolinhos, sanduíches e até brindes da companhia como adesivos, boné e chaveiro.

No momento a Flybondi só aceita pesos argentinos (R$ 1 equivale a 14 pesos) para as compras dentro do avião, mas a tendência é que no futuro aceite cartão de crédito também.

Bagagem

voo arrow-options
Flavia Matos/ IG
Malas com até 10 kg podem ser levadas na cabine

O viajante tem direito a uma mala de mão de 10 kg para levar na cabine, de graça. Bagagens de 11 kg a 20 kg precisam ser despachadas e é cobrado R$ 100 o trecho. O peso excedente é cobrado adicional. Equipamentos esportivos e musicais custam R$ 110 o trecho.

Mas tenha cuidado, caso opte por uma viagem mais barata e só leve a bagagem de mão é importante lembrar que só é permitido 100 ml de qualquer líquido, seja ele shampoo, condicionador, água micelar, garrafa de água mineral e etc. Desodorante aerosol também não é permitido.

Aeroporto alternativo

aeroporto arrow-options
Flavia Matos/ IG
Aeroporto El Palomar, na zona oeste de Buenos Aires, recebe voos da Flybondi e JetSmart

O conceito low cost inclui operar em aeroportos alternativos, já que as taxas são menores. Em Buenos Aires é utilizado o Aeroporto El Palomar, na zona oeste da cidade. O primeiro aeroporto low cost da América Latina, o espaço era utilizado pela Força Aérea da Argentina e hoje recebe os voos da Flybondi e JetSmart.

Localizado a 18 km para o centro de Buenos Aires, a saída do EPA não será um problema para os visitantes. Além dos tradicionais táxis, o viajante terá a opção de uma linha de ônibus chamada Tienda León que faz paradas nos principais bairros (R$ 16,50 com reserva pela internet) e a Estação Retiro El Palomar, da linha San Martín do trem (14 pesos com bilhete metropolitano e 33 pesos sem ele) que faz integração com a malha de metrô da cidade.

Importante! O EPA é muito pequeno, com apenas uma sala de espera para o embarque e quatro guichês de imigração da Polícia. Portanto, não encontrará nenhum 'Duty Free' ou lojinhas para comprar presentes, nem lanchonetes. A opção de comida é um food truck na entrada que cobra 250 pesos pelo combo lanche + refrigerante. Existem opções de salada e batata frita.


Preços da viagem

low cost arrow-options
Flavia Matos/ IG
Preços das low cost abrem concorrência no Brasil

O conceito principal da low cost é preço baixo. No caso da Flybondi, o trecho de São Paulo a Buenos Aires no período do Carnaval (embarque em 24 de fevereiro) está saindo por R$ 591. No mês de abril, a mesma rota sai por R$ 356.

Comparando o mesmo período com outras companhias aéreas, a ultra low cost leva vantagem. A Latam , por exemplo, oferece um voo de classe econômica durante o Carnaval por R$ 4.382 a ida (desembarque em Ezeiza). Pela Gol o trecho sai R$ 2.189 na mesma data (desembarque em Ezeiza). O mês de abril está custando R$ 2.950 e R$ 2.194, respectivamente.

Porém, na comparação com empresas que oferecem pacotes de voo + viagem, as low cost saem perdendo. Na Decolar.com , aproveitar quatro dias do Carnaval na cidade custa R$ 1.478. Em sites de comparativos de passagem, como a MaxMilhas , o preço fica mais competitivo, com o ticket de ida por R$ 691 durante o Carnaval.

Leia também: 9 bairros de Buenos Aires para conhecer em sua próxima viagem

No fim os preços da Flybondi estão bons para quem pretende gastar mais no destino final. Para aqueles que encaram o voo como parte da viagem, as companhias aéreas tradicionais são uma opção melhor. Porém, não é possível dizer que as low cost não valem a pena.

Rotas da Flybondi no Brasil

  • São Paulo - Buenos Aires: saídas segunda, quarta e sexta-feira as 18h
  • Porto Alegre - Buenos Aires: início em março
  • Florianópolis - Buenos Aires: terça, quinta, sábado e domingo as 19h45 (somente no verão)
  • Rio de Janeiro - Buenos Aires: quarta, sexta e domingo as 11h e segunda-feira as 12h20

*repórter viajou à Buenos Aires a convite da Flybondi

** preços consultados em 27 de janeiro de 2020

    Veja Também

      Mostrar mais