Tamanho do texto

Passar horas dentro de uma aeronave pode não ser tão ruim assim

A indústria da aviação tem se aperfeiçoado cada dia mais para proporcionar voos longos e modernos aos passageiros. Aeronaves mais leves, eficiência no combustível e tecnologia avançada estão aumentando o tempo de voo para além de 20 horas .

aeroporto arrow-options
shutterstock
Saber como enfrentar voos longos pode salvar suas próximas férias

Porém, apesar dos esforços das companhias aéreas, os viajantes ainda sofrem com a pressão e desconforto de voos longos . Quando uma pessoa vai enfrentar muitas horas dentro de uma aeronave, a maior dúvida é: como aproveitar a viagem de maneira confortável, sem chegar ao destino com dores nas costas ou estressado?

Respondendo essa pergunta, separamos algumas dicas do vice-presidente de voo da TripAdvisor, Daniel Gellert, que ensinou como encarar voos longos ao jornal The Washington Post.

Como sobreviver a voos longos #1: escolha um bom assento

assento de avião arrow-options
shutterstock
Assentos no corredor são menos claustrofóbicos

Você já deve ter imaginado que para ter uma viagem confortável é importante que o assento seja o melhor da aeronave. “Mas os melhores assentos estão nas classes mais caras (executiva e 1ª classe)”, você pode pensar. Nem sempre, segundo Gellert.

“Se você não puder pagar, a reserva antecipada é especialmente importante nos voos longos. Os assentos do corredor, naturalmente, são os menos claustrofóbicos e os assentos na fila de saída geralmente oferecem um espaço extra para as pernas”, explica o CEO.

Visitar o site seatguru.com também é uma boa ideia para obter informações detalhadas da aeronave e dos melhores assentos para o seu voo.

Como sobreviver a voos longos #2: garanta sua distração

fone de ouvido arrow-options
shutterstock
Ouvir música ou assistir à filmes é uma boa distração em voos longos

Gellert afirma que confiar apenas no sistema de entretenimento de bordo não é algo confiável. Por isso, leve algumas coisinhas com você na bagagem de mão. “Inclua livros e revistas, verifique se todos os filmes, audiolivros ou músicas estão baixados em seus dispositivos digitais”, recomenda.

O jornalista do The Washington Post , Walter Nicklin, também dá dicas sobre o gênero de livros para voos longos. “Suspense ou mistérios com tramas de suspense. Se seus olhos se cansarem de ler, você poderá intercalar as palavras escritas com a versão audível do mesmo texto do seu dispositivo digital”.

A ideia principal é intercalar as distrações com filmes, livros ou música. Veja aqui 20 itens para levar na bagagem de mão  que vão te ajudar a encarar os voos mais longos. 

Como sobreviver a voos longos #3: cuidado com as roupas

mala arrow-options
Getty Images
Dentro do avião vá com roupas confortáveis

É uma unanimidade entre os passageiros que as “roupas de avião” devem ser confortáveis. Por isso, invista em peças e sapatos folgados que possam ser tirados e colocados, incluindo jaqueta e blusas.

Quando se passa horas sentadas, a peça mais importante do vestuário é a meia de compressão porque em voos de longo curso os viajantes tem mais propensão ao inchaço (edema) e coágulo sanguíneo (trombose venosa profunda ou TVP).

Como sobreviver a voos longos #4: faça pequenos exercícios

pés descalço arrow-options
shutterstock
Fazer pequenos exercícios no tornozelo e joelho podem ajudar na circulação do sangue

Além das meias de compressão, exercícios também ajudam a evitar coágulos e inchaço. Isso é o que diz o internista de cuidados primários, John K. McConnell que também conversou com o jornal americano.

“Realizem exercícios suaves com os tornozelos, joelhos e quadris para manter uma boa circulação”. Se você precisar de alguma medicação para coagulação, converse com um médico, segundo John apelar para a aspirina não é seguro.

Como sobreviver a voos longos #5: não consuma bebidas alcoólicas

bebida arrow-options
shutterstock
Beber álcool durante voos longos não é recomendado

Dentro da lista do que não fazer em voos longos está a ingestão de bebidas alcóolicas, por dois motivos. O primeiro é o efeito causado pela hipóxia (quanto maior a altitude, mesmo em uma cabine pressurizada, menos oxigênio no sangue) que transforma uma taça de bebida em quatro ou cinco, e o segundo é por sua função diurética, que acarreta a desidratação.

Leia também: 10 atitudes para ter numa viagem de avião e fazer bonito

Em caso de sede, o melhor é beber água. “Beba água suficiente para produzir urina transparente a amarelo claro a cada duas horas ou mais”, diz o internista McConnell.