Tamanho do texto

Uma família brasileira morreu em Santiago, capital do Chile, após o vazamento de gás em um apartamento que havia sido alugado pelo Airbnb

Seis brasileiros morreram  por inalação de gás em um apartamento alugado pelo aplicativo Airbnb em Santiago, na capital do Chile, na quarta-feira (22). Segundo o Itamaraty,  a família dos turistas recebeu telefonemas deles no mesmo dia, e eles diziam coisas sem sentido e desconexas. Eles também falaram estar passando mal.

airbnb
shutterstock
Empresa diz o que deve ser feito se o turista sentir cheiro de gás ou algo similar em uma propriedade alugada pelo app

Em comunicado enviado à imprensa, o Airbnb informa que está “profundamente consternado com este trágico acidente”. “Nós nos solidarizamos com os familiares e estamos em contato para prestar todo apoio necessário aos familiares neste momento difícil. A segurança de nossa comunidade de viajantes e anfitriões é a nossa total prioridade”, diz a mensagem. A empresa também vai arcar com os custos do transporte dos corpos para o Brasil.

Neste caso, as autoridades e equipes do Corpo de Bombeiros local encontraram uma alta concentração de monóxido de carbono no apartamento, um gás incolor cuja inalação pode levar à morte. A causa do vazamento ainda não foi identificada. Também não se sabe quanto tempo os brasileiros ficaram expostos ao gás.

O que fazer se você sentir cheiro de gás em um propriedade alugada pelo Airbnb?

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Airbnb, o primeiro passo ao sentir cheiro de gás ou algo similar é deixar o local imediatamente. Ao sair, o turista deve acionar o proprietário do imóvel e falar sobre o caso para que ele possa se responsabilizar em chamar a polícia, os bombeiros ou algum órgão específico.

O Airbnb também deve ser acionado, por meio do chat ou telefone, disponíveis 24 horas, para ajudar na orientação da pessoa que ficou sem o alojamento. A empresa possui uma garantia para proteger danos causados à propriedade e indenizar os anfitriões em casos de problemas. Os casos de acidentes com turistas são avaliados caso a caso.

No site da empresa, recomenda-se fortemente ter detectores de fumaça e monóxido de carbono (CO) nas propriedades. “Incentivamos os anfitriões a instalarem detectores de fumaça e monóxido de carbono em seu espaço, testá-los regularmente e garantir que a descrição do anúncio esteja atualizada. Os anfitriões elegíveis com um anúncio ativo podem receber gratuitamente um detector autônomo, alimentado por bateria.”

A empresa ainda afirma que a responsabilidade pela manutenção dos apartamentos disponíveis na plataforma é do proprietário do imóvel.