Tamanho do texto

Em muitos casos, a criança pode gritar, chutar o assento da frente e fazer bagunça. Diante disso, viajantes compartilharam suas experiências na web

Durante uma viagem de avião, é comum que as  crianças fiquem ansiosas e agitados e, por isso, e não consigam ficar paradas em seus assentos. Diante disso, muitas delas passam a gritar, fazer birras e, ainda, chutar os bancos da frente do outros passageiros – tornando a viagem com crianças um tormento. 

Como a viagem com crianças pode ser complicada, alguns passageiros resolveram reagir de maneiras incomuns
shutterstock
Como a viagem com crianças pode ser complicada, alguns passageiros resolveram reagir de maneiras incomuns

Em um tópico da rede social “Quora”, viajantes compartilharam a forma como lidaram com essas atitudes dos pequenos (ou adolescentes, por sinal) em durante uma viagem com crianças no avião – e, em alguns casos, é preciso ter coragem para enfrentá-los. Veja:

  • Pedir de forma educada e, quando não resolver, se vingar

Um viajante chamado Dariusz Scharsig revelou uma forma gentil de pedir que parassem de chutar seu assento. “Ei, pequeno cara, essa é sua primeira viagem de avião ? Sim, fico nervoso também. Você sabe o que me ajuda? Apenas fechar meus olhos e tentar relaxar. O que é super difícil se você chutar o meu lugar”, relatou.

Segundo ele, normalmente, após o pedido, os pais ficam envergonhados e a criança para. “Sem ressentimentos”, garante. Entretanto, certa vez, após pedir para um adolescente parar de chutá-lo, o garoto o ignorou e chutou novamente. Para isso, teve uma ideia – e resolveu se vingar.

“Levantei-me e fui até a pessoa sentada atrás dele. “Ei, você se importa em me deixar sentar no seu lugar por 10 segundos? Eu preciso resolver um negócio”. Ele sorri e diz que sim. Chutei. O menino começou a chorar e mãe ficou um pouco chocada. O resto da cabine (os que estavam ao nosso redor, que testemunharam a coisa toda) começou a bater palmas. Não me chutou de novo”, detalhou.

  • Jogar um copo de água

Para Kev Partridge, da Suécia, a solução foi usar um truque que seu amigo costuma aplicar nos cinemas. “O garoto no banco atrás de mim pensou que a tela sensível ao toque na parte de trás do meu apoio de cabeça era uma tela de soco. Essa não foi a mais agradável das experiências, especialmente em um voo de 12 horas da Ásia para a Europa”, disse.

“Peguei um copo pequeno de água, sem muito conteúdo, e esperei uma boa batida no meu assento e, então, joguei o líquido da minha xícara para cima e para trás, apontando diretamente para a criança, antes de me virar e dizer: "Oh, me desculpe, eu fico assustado com facilidade quando estou voando.” Ligeiramente molhado, ele  não me incomodou novamente”, finalizou.

  • Ameaçar de "morte"

Carmen Blakestad, de Minnesota, postou no fórum um caso que aconteceu com seu marido em uma viagem com crianças no avião. “Depois que a aeronave decolou, um garoto ficou chutando seu assento. O que o irritava mais era que a mãe da criança estava sentada o tempo todo, sabia muito bem o que ele estava fazendo e não fez nada para pará-lo”, escreveu.

“De qualquer forma, a mulher se levantou para usar o banheiro e meu marido viu sua chance. Ele se virou e disse para o garoto com um rosto muito sério e com uma voz suave e rosnada: "Se você chutar o meu lugar mais uma vez, eu vou te matar". O garoto ficou congelado, branco como um fantasma e sentou-se silenciosamente até o fim da viagem”, completou.

No fim, a americana disse que ficou chocada quando o companheiro lhe contou essa história. “Ele é o cara mais legal do mundo e geralmente nada altera seu humor. Esse garoto deve ter ido longe demais. Eu queria tanto ter estado lá para ver pessoalmente. Eu provavelmente teria morrido de rir”, finalizou.

  • Apenas ignorar

Ao contrário dos outros viajantes, Derrick Miller resolveu deixar a situação de lá e ignorá-la por completo. “Eu costumava voar para compromissos profissionais. Eles sempre foram crianças muito pequenas, então eu ignorei. Eu tenho quatro irmãos mais novos e três filhos. Estou acostumado a ser chutado, escalado, vomitado, encarado e interrogado implacavelmente sobre desenhos animados e bobagens aleatórias. Tomei os chutes como uma massagem nas costas e dormi”, expos.

Depois de tantas histórias, como deixar a viagem com crianças mais tranquila?

Pediatra lista dicas que ajudam a acalmar os pequenos e deixar a viagem com crianças mais tranquila para todos
shutterstock
Pediatra lista dicas que ajudam a acalmar os pequenos e deixar a viagem com crianças mais tranquila para todos

Ainda na rede social, a usuária Monica McTaggart trouxe um ponto importante à tona. “Você tem que dar uma olhada e ver quão velha e grande é a criança. Se são pequenos, é possível que eles não possam evitar chutar as costas do assento ocasionalmente, por conta do tamanho de suas pernas”, ponderou.

Para evitar que os filhos fiquem agitados, a pediatra Márcia Yamamura, em entrevista ao iG Turismo , listou quatro dicas que os pais podem seguir . Saiba quais são: 

1. Leve os brinquedos 

Leve sempre na bolsa de mão objetos que podem prender a atenção das crianças durante a viagem. Livros, lápis de cor ou pequenos jogos ajudam a entretê-los. O importante é não levar brinquedos barulhentos, que atrapalhem os outros passageiros, ou que possam fazer sujeira. 

Tablet e celulares, apesar de prender a atenção com mais facilidade, não são indicados para serem usados durante um período muito longo. Se for utilizar, leve fones de ouvido, mas, lembre-se de, antes da viagem, acostumar o filho a usá-los. Uma estratégia pode ser levar um brinquedo novo, o que fará que a criança fique distraída por um período maior. 

2. Deixe-os confortáveis 

A viagem pode trazer uma série de desconfortos, principalmente por a criança estar em um ambiente desconhecido e com muitas pessoas. Para isso, faça a opção por uma roupa confortável. Também vale a pena levar algumas mudas extras, já que pode fazer frio dentro da aeronave. 

Outro ponto a considerar é levar seu cobertor favorito, que traga alguma lembrança da sua rotina. Além disso, embarque com a criança bem alimentada. Porém, evite dar alimentos que deixem as deixem mais ativas, como doces, refrigerantes, açúcares e chocolate. Também não sirva pratos com os quais ele não está acostumado para evitar possíveis intoxicações alimentares.

3. Converse com as crianças 

Outra dica é conversar antecipadamente com a criança, alertando como são os procedimentos no avião e o que irá acontecer durante o voo. O ideal é lembrá-lo que ele deverá permanecer sentado, comportado, já que outras pessoas estarão lá. Se seu filho é mais ativo, daqueles que não consegue ficar muito tempo sentado na poltrona do avião, fica entediado e chuta o banco da frente, converse e o alerte sobre essa situação.

 Além disso, é importante ainda demonstrar tranquilidade. Se os responsáveis mostrarem preocupação excessiva ou mesmo ficarem repetindo que estão preocupados com a viagem, seja qual for o motivo, esse clima será passado aos filhos, dificultando ainda mais a situação. Ao explicar tudo com calma, mostrando que se trata de algo diferente da rotina, ele se sentirá mais tranquilo e a família terá uma viagem mais agradável. 

4. Planeje a viagem com cuidado 

Se ela exige voos longos, opte por um horário que os filhos já estão acostumados a dormir . Os noturnos são os preferíveis para uma viagem com crianças . Nos dias antes da viagem, os pais também podem planejar as sonecas dos filhos em locais fora do seu quarto, por exemplo, com movimento e barulho, o que vai fazer com que ele se acostume com a situação do voo.