Todo turista sabe que para fazer uma viagem internacional é preciso muita organização, mas todo o esforço vale a pena para aproveitar as férias conhecendo um destino totalmente novo. Bom, o problema é que nem tudo são mil maravilhas quando se está longe casa e às vezs bate uma saudade...

Leia também: Jovens e crianças preferem viajar em família a ganhar presentes, diz pesquisa

undefined
shutterstock
Em viagem internacional, brasileiros sentem falta da comida, da casa e de falar em português


Para descobrir do que os brasileiros mais sentem falta em um viagem internacional , a empresa “Monondo” realizou um estudo denominado International Travel Survey 2017,  que contou com a participação de 1.003 brasileiros com idades entre 18 e 65 anos. A conclusão foi de que a comida nacional é realmente imbatível, já que a culinária brasileira é o item que desperta mais saudades para 51% dos viajantes.

Longe de casa

O hotel pode até ser cinco estrelas, ter piscina e outras mordomias, porém 43% dos turistas sentem falta de casa e 34% ficam com saudades da família e dos amigos. Outro detalhe é que 25% dos brasileiros sentem falta mesmo no exterior é de falar português.

Leia também: Viajar traz mais felicidade que o casamento; diz pesquisa

“Os brasileiros amam viajar e realmente aproveitam a oportunidade para conhecer pessoas novas, ter contato com outras culturas, provar novos sabores, ouvir outros idiomas e explorar novas paisagens”, fala Pedro Correia, responsável pela operação da Momondo no Brasil. “Mas mesmo com toda a diversão, ter saudade das coisas do próprio país é um sentimento muito natural”, completa.

undefined
shutterstock
Alguns brasileiros gostam de interagir com conterrâneos, já outros preferem distância


Interação com outros turistas

Talvez por sentir saudade de falar a língua nativa, os viajantes adoram se deparar com conterrâneos durante as viagens. Como prova, a pesquisa indica que 37% dos viajantes puxam uma conversa quando encontram um brasileiro lá fora. Isso é algo mais comum entre os homens (37% disseram que gostam de puxar conversa com outro brasileiro), entretanto as mulheres não ficam muito atrás (36% delas falaram que também são adeptas da prática). A faixa etária mais amigável está entre os 56 e 65 anos (51%).

A mesma pesquisa também foi feita em outros 23 países e costatou que os brasileiros são realmente mais solícitos. Quando se trata de outra nacionalidade, conversar com um estranho compatriotas é comum apenas para 28% das pessoas e somente se eles se aproximarem primeiro. 

“Acredito que a maior parte dos brasileiros gosta de interagir com conterrâneos porque se sentem mais ‘em casa’ ao encontrar pessoas com os mesmos costumes e pontos de vista similares, mesmo quando estão aproveitando ao máximo a viagem para ter contato com coisas novas”, afirma Pedro.

Leia também: 74% dos brasileiros afirmam que viajar para lugares novos aumenta a confiança

Por outro lado, nem todo brasileiro é tão simpático assim. Os dados mostram que para não interagir com conterrâneos, 7% dos viajantes começam a falar outro idioma ao perceberem que tem alguém falando português por perto e 3% dizem que evitam esse contato porque, ao fazer uma viagem internacional, preferem ter contato com pessoas locais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários