Tamanho do texto

O idioma pode ser uma grande barreira na hora de decidir fazer uma viagem para o exterior. Confira dicas para se comunicar em outros países

Viajar para outro país já é difícil pela adaptação cultural, e fica ainda mais complicado se você não souber falar o idioma do local. Uma pesquisa feita com 8,4 mil adultos brasileiros pelo site de reserva de hotéis "Hostelworld” mostrou que não ser capaz de falar línguas estrangeiras impede mais de 33 milhões de cidadãos brasileiros, ou cerca de 16% da população, de viajar para o exterior.

Leia também: Cinco dicas para conseguir economizar durante a sua viagem

O idioma pode atrapalhar na hora de escolher um destino para viajar
shutterstock
O idioma pode atrapalhar na hora de escolher um destino para viajar

Entre as dificuldades encontradas pelos turistas estão entender o cardápio, pedir informação, explicar o destino para o motorista do táxi e se comunicar de maneira geral. Para quem decidir viajar para outro país mesmo sem saber o idioma , algumas dicas podem ajudar.

Dicas de especialistas para se virar fora do Brasil

De acordo com Julia Fraia, expert em viagens e que comanda o canal “Perca a Novela” no YouTube, é importante se informar sobre como se locomover e se possível definir um roteiro com antecedência. Além disso, ela diz que saber falar inglês pode fazer uma grande diferença por se tratar de uma língua falada em diversos países.

Se você não souber falar inglês, ajuda muito usar a tecnologia a seu favor com os tradutores online. “Existem diversos aplicativos que ajudam o turista a se comunicar e até traduzem informações em placas. Você usar Google Translate, TripLingo, iTranslate e Waygo”, explica Julia. “Apesar de alguns aplicativos funcionarem offline, pode ser útil contratar uma internet temporária para o celular, assim será mais fácil definir trajetos e fazer buscas no geral”.

Lala Rebelo, autora do blog de viagens lalarebelo.com, diz que falar a língua local não é fundamental para o turista de ter uma viagem bacana. “O desafio é a paciência extra necessária. Vai demorar mais pra você conseguir uma informação, para pedir a comida certa etc. Mas nada que gestos e simpatia não resolvam”, afirma Lala.

Para ela, por outro lado, o benefício de falar o idioma é poder conversar com os nativos e absorver mais sobre a cultura do país que você está visitando - principalmente em países em que o inglês e o espanhol não são falados e que as chances de terem palavras em comum são mínimas.

Para os turistas que não falam a língua local e nem inglês , Lala recomenda aprender pelo menos algumas palavras do país que você está visitando. “Eu gosto de sempre dar uma olhadinha em palavras básicas da língua antes de ir, como ‘obrigado’, ‘por favor’, ‘bom dia’, para ao menos serem mais receptivos e simpáticos comigo se eu precisar continuar a conversa em outra língua”, afirma Lala.

Pegar táxi também é um grande problema se você precisa explicar para o motorista como chegar em algum lugar. Para resolver isso, Lala anda sempre com um cartão do hotel em que está hospedada com o endereço da língua local. Assim, ela só entrega para o taxista e pode seguir tranquilamente em sua viagem.

Não conhecer o idioma pode gerar dificuldade na comunicação , mas Lala acredita que isso não faz os turistas correrem mais riscos em relação à segurança. Mas, apesar disso, ela diz que o cuidado deve ser ainda maior em países que têm o alfabeto completamente diferente do português, pois fica difícil ler uma placa ou informação e tentar achar o significado.

“Em um país asiático ou árabe - ou até mesmo na Rússia - você olha uma placa e não vê nada além de desenhos. Mas não acho que é um cuidado relacionado à violência e, sim, com não se perder ou perder tempo”, explica Lala. “Não acho que o turista está menos seguro no interior do Vietnã do que em uma metrópole brasileira apenas por não falar a língua local”.               

Leia também: Dicas de passeio e boa gastronomia em Lisboa e Porto, em Portugal

Sufoco por não falar o idioma local

Lala também acredita que não saber falar a língua local não é desculpa para não ir viajar para um país estrangeiro. “Meu pai, que viaja o mundo todo e não fala NADA além de português, diz sempre que o idioma universal é o 2D - Dedo e Dólar, ou seja, apontar e pagar”, ela brinca. 

Lala Rebelo viaja pelo mundo e dá dica para turistas
Reprodução/Instagram/lalarebelo
Lala Rebelo viaja pelo mundo e dá dica para turistas

Mas o pai de Lala já passou por uma situação engraçada fora do Brasil. “Ele estava em um fast food no interior dos Estados Unidos e queria pedir água. Ele sabia que 'água' em inglês era ‘water’, mas não sabia fazer a pergunta 'do you have?' (você tem?). Então misturou o português com o inglês e disse ‘tem water?’”, conta Lala. Então, o atendente colocou 10 copos de água sobre o balcão porque entendeu o "tem" do verbo ter em português com o número dez em inglês (ten). “Imagina a cara do meu pai chegando na mesa com a bandeja. Claro que isso é piada na família até hoje”.

Entretanto, esses imprevistos não devem desanimar o viajante. “Creio que é esse tipo de problema que alguém que não fala uma segunda língua terá em uma viagem. Coisas leves, um atendente sem paciência, um mico… mas nada que não vire história pra contar e que impeça alguém de conhecer lugares novos”, diz Lala.

Tours em português

Há também a opção de procurar ajuda profissional. Algumas empresas oferecem tour em português em outros países. "O turista aproveita muito mais o destino escolhido e permite-se a novas experiências que vão além do tradicional", diz Paulo Silveira, sócio e diretor de operações da Keep Going Tours.

Leia também: Destinos e dicas para aproveitar e economizar na viagem de mochileiro

Esse tipo de tour é oferecido em mais de 50 cidades ao redor do mundo, como Nova York, Paris, Verona, Las Vegas, Roma, Madrid, Santiago, Lima e Berlim.  As opções de passeio são as mais diversas e garantem muita cultura e diversão para os turistas.

Se você estiver em Nova York, é possível tirar um dia só para fazer muitas compras em Jersey Gardens, na vizinha Nova Jersey. Caso você prefira conhecer pontos turísticos, você pode escolher um tour pela ilha de Manhattan, passando por importantes locais da cidade como Columbus Circle, Edifício Dakota, Museu de História Natural, Quinta Avenida, Edifício Empire State, Chinatown e outros. Além disso, terão paradas para fotos no Central Park e Battery Park em que você poderá ver a Estátua da Liberdade.

Caso você esteja em Verona, na Itália, você poderá fazer um tour pelos pontos principais da cidade como a Arena de Verona, o rio Adige, a praça do mercato chamada Piazza Erbe (Praça das Ervas) e a Piazza dei Signori (Praça dos Senhores). Para os turistas românticos, outro tour os leva para conhecer a famosa casa de Julieta. Sempre acompanhados de guias brasileiros, os turistas conseguirão aproveitar o máximo do passeio sem ter problemas com o idioma.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.