Saber qual é a melhor forma de cambiar o dinheiro é algo complicado. São muitos detalhes técnicos que costumam deixar o turista confuso. Mas é preciso ficar atento às possibilidades, só assim você conseguirá economizar ao realizar o câmbio do dinheiro, além de saber o melhor lugar para realizar esse processo e se os cartões “travel money” são uma boa escolha para você.

undefined
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Saiba como economizar ao trocar o dinheiro, conseguindo o melhor câmbio


Planeje-se para ter dinheiro nas férias

Com algumas dicas tudo pode ficar mais fácil! O principal conselho é acompanhar regularmente a cotação da moeda que deseja fazer o câmbio . Fazendo esse acompanhamento com antecedência, o turista consegue comparar aos poucos como está o valor da moeda desejada.

“Dessa forma, o turista sabe quando o valor está subindo ou caindo. Muitos sites disponibilizam gráficos que fazem essa analise diariamente e mostram o comportamento das moedas”, fala Fernando Pavani, CEO e fundador da BeeCâmbio.

Brasil ou exterior?  

Para o especialista, é indicado chegar ao destino final já com as moedas locais, assim se algum imprevisto acontecer você terá o dinheiro do país. Também evita o incômodo de ter que se preocupar com isso durante a viagem

Se mesmo assim você optar por cambiar no país de destino é preciso estar atento a alguns fatores:

As moedas devem ser compradas em um local que seja aprovado pelo banco central do país. O problema é que talvez não seja tão fácil conseguir essa informação. E as casas de câmbio que ficam em aeroportos geralmente possuem taxas altíssimas.

Viaje sem raspar a poupança: 35 dicas imperdíveis para economizar ao máximo

“As cotações ali são mais caras, pois aproveitam o fato de o turista precisar recorrer a essa opção”, alerta Fernando.


Há também destinos que são mais exóticos e a moeda local só é encontrada no próprio país. Nesse caso, o especialista indica chegar ao local com moedas fortes , como o dólar e o euro , que dificilmente não serão aceitas nas casas de câmbio, diferente do real, que até pode ser aceito, mas com a conversão bem mais cara.

Dinheiro ou cartões “travel Money”?

Escolher entre dinheiro em espécie e cartão não é fácil, já que um oferece melhores tarifas e o outro mais segurança. “Comprar câmbio em espécie exige menos imposto sobre operações financeiras - IOF - do que os cartões travel Money . Enquanto com o dinheiro em espécie o turista paga apenas 1,1% de taxa ao governo, no cartão essa alíquota é de 6,38%”, explica Fernando.

Dólar alto? Não se preocupe! Veja 10 destinos onde seu dinheiro vale mais

O ideal seria levar um pouco de dinheiro em espécie e um pouco no cartão, evitando assim que você ande com altas quantias no bolso ou na mala. Também é uma forma de estar mais seguro e prevenido para qualquer eventualidade, já que o cartão pode não ser aceito em todos os lugares.

Dólar comercial ou turismo?

Se você ouviu dizer que o dólar comercial é mais barato que o dólar turismo é verdade, mas nem adianta ficar empolgado porque não é possível adquirir o comercial para fins turísticos. “Em qualquer operação que não seja realizada entre grandes instituições bancárias ou de importação e exportação de produtos, a moeda utilizada é sempre o dólar turismo”, ressalta o especialista.

Variações

E será que os valores costumam variar muito de um dia para o outro? Fernando diz que é relativo e que as cotações das moedas mais fortes dependem de fatores internos e externos. “Se o Banco Central do Brasil interfere no mercado e se acontece alguma coisa na política, tanto estrangeira quanto brasileira, são alguns dos fatores que fazem com que o valor do câmbio mude”, finaliza.

    Veja Também

      Mostrar mais