iG - Internet Group

iBest

brTurbo

Guia de sobrevivência em Paraty
Muito baladada, especialmente no Carnaval e em julho, quando sedia a Flip (Festa Literária de Paraty), essa charmosa cidade no sul do Estado do Rio de Janeiro tem seus segredos. Descubra como ir a Paraty e se dar bem!

Fernanda Castello Branco

- O essencial de Paraty
- 10 passeios imperdíveis em Paraty

Destino sempre badalado, seja no frio ou no calor, Paraty fica ainda mais famosa quando vem chegando o Carnaval ou a Flip (Festa Literária de Paraty), que acontece todos os anos na cidade, sempre no mês de julho.

VEJA FOTOSHOW COM IMAGENS DE PARATY

Visitar Paraty durante o evento, aliás, é tarefa para os aficcionados por literatura. Isso porque a cidade fica lotada e os preços, que já não são os mais baratos, ficam ainda mais altos. Vale pelas atrações nacionais e internacionais, e pela badalação. Mas tem que ter pique e não se incomodar com lugares cheios.

No mais, se sua ideia é pisar nessa bela cidade colonial, localizada ao sul do Rio de Janeiro, em outras épocas, fique atento também para algumas dicas que podem fazer da sua viagem algo sem atropelos. Tem dica para todo tipo de turista!

Para comilões

As dicas são muitas, afinal, Paraty tem inúmeras opções gastronômicas. O centro histórico concentra os mais variados lugares, charmosos e cheios de opções deliciosas a serem provadas. Como resistir às deliciosas e suculentas carnes do argentino A Teresa (Rua da Lapa, 265) ou às massas bem preparadas do Spaghetto (Rua da Matriz, 27/Rua do Fogo, 2)? Se estiver com dinheiro sobrando, saboreie as delícias do Refúgio (Praça do Porto, 1), à beira do cais. Se não puder gastar tanto, também em frente ao cais fica o aconchegante Chez Regine (Rua Dr. Pereira, 310). Especializado em frutos do mar, o restaurante serve pratos para duas pessoas a preços justos e em ambiente agradável.

Para vegetarianos

Você anda, anda, vê um monte de lugares maravilhosos para comer, mas nada combina com sua dieta vegetariana? Calma. Uma boa opção em Paraty é o Grão da Terra (Av. Roberto Silveira, 328). Pelo menos para aqueles que podem comer comidas da cozinha ovo-lactovegetariana. Há, ainda, opções para os vegans. Os pratos são feitos com itens orgânicos e são servidos também mais de cem opções de sucos de frutas naturais, vegetais e hortaliças.

Para peruas

Você quer porque quer desfilar seu sapato de salto novo em Paraty? Pois prepare-se e não reclame. O centro histórico da cidade, onde ficam praticamente todos os lugares mais descolados e os restaurantes mais bacanas, tem calçamento feito todo com pedras irregulares, conhecido como pé-de-moleque. Ao todo são 31 quarteirões e realmente não compensa manter a pose em cima do salto. Opte por uma bota sem salto ou tênis, se estiver frio, ou uma sandália que não derrape, se estiver calor.

Para fãs de música ao vivo

Muitos bares e restaurantes de Paraty oferecem música ao vivo. A boa e velha dupla um banquinho e um violão faz sucesso por lá. Por isso, se o local escolhido por você para curtir a noite tiver música ao vivo, cheque se não é melhor reservar uma mesa. Eles costumam ficar lotados. Atenção também para a cobrança de taxas extras por alguns estabelecimentos. O Margarida Café (Praça do Chafariz, s/n), por exemplo, oferece música ao vivo, cobra R$ 7 de couvert artístico e também uma taxa de turismo de R$ 1.

Para loucos por sorvete

Paraty também não deixa na mão os fanáticos por sorvete. Tem desde marcas conhecidas nas grandes cidades, como a La Basque, até sorvetes fabricados na região. A Ice Paraty (Rua do Comércio, esquina com a rua da Lapa) é um exemplo de sorveteria local e com vários sabores. Não deixe de provar o de café, o Ferrero (feito com o chocolate Ferrero Rocher) e o de chocolate com laranja.

Para aventureiros

Quer mergulhar? Várias empresas oferecem esse serviço em Paraty. Quer fazer trilha? Opções não vão faltar. Bem localizada no que diz respeito à ecologia, Paraty possui em sua região parques nacionais e reservas ecológicas, como o Parque Nacional da Serra da Bocaina e a Área de Lazer Paraty-Mirim. Fazer a trilha Caminho do Ouro une aventura e riqueza histórica em um só passeio. O caminho ligava o Rio, São Paulo e Minas Gerais, e é uma estrada que foi construída pelos escravos entre os séculos 17 e 19. Por ela que os mineiros traziam o ouro. No local há várias opções de trekking, com paradas em cachoeiras, alambiques, etc.

Para pessoas "sensíveis"

Os passeios de barco pela Baía de Paraty são imperdíveis. Você vai ver paisagens lindas, vai nadar com os peixes, entre outras coisas. Os barcos e escunas saem do porto, diariamente, às 11h. Nas escunas, o passeio custa R$ 40 por pessoa, com direito a uma mesa de frutas. O almoço é servido a bordo, mas não está incluído no preço, assim como as bebidas. Mas atenção! Se você é daqueles que enjoa até em carro, não deixe de tomar um remédio contra enjoos. Seu passeio - e o dos outros! - vai ser muito mais agradável.

Para amantes da arte

Durante o seu passeio pelo centro histórico, não deixe de entrar em um atelier. Se der sorte, você vai encontrar o artista em pessoa exercendo o seu ofício, de portas abertas. Um imperdível é o Atelier Aecio Sarti (Praça da Bandeira, 1).

Leia mais sobre: Paraty - Rio de Janeiro.

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias