Tamanho do texto

Conhecer sabores e sentir-se pequeno, bem pequeno, no meio da natureza: bem vindo a El Calafate, na Patagônia Argentina

El Calafate é uma pequena e simpática cidade da província de Santa Cruz, na Argentina. Para todo brasileiro acostumado a nunca - ou quase nunca - sentir o gelo formado naturalmente pelas mais baixas temperaturas da Terra, a visita é indispensável. Você vai passar frio? Vai. O vento piora a sensação térmica? Com certeza. Mas a possibilidade de ver de perto um glaciar e sentir-se bem pequeno diante de um dos mais belos espetáculos da natureza e da maior geleira do mundo compensa cada bater de queixo. Ah, e dá pra levar crianças (que foi o meu caso).

1 - Parque Nacional Los Glaciares

Glaciar Perito Moreno
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Glaciar Perito Moreno


Glaciar Perito Moreno, maior geleira em extensão horizontal do mundo, encontra-se constantemente em evolução devido ao aquecimento global, o que faz seu tamanho diminuir diariamente.

Rompimento de gelo do Glaciar Perito Moreno faz barulho e 'desenhos de gelo' e ondas no lago
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Rompimento de gelo do Glaciar Perito Moreno faz barulho e 'desenhos de gelo' e ondas no lago


Cada vez que uma parte do glaciar derrete, uma grande massa de gelo despenca e cai no lago. O barulho é absurdamente alto, o que faz da experiência ainda mais inesquecível. 

É possível caminhar sobre o glaciar com guias, mas apenas para maiores de 12 anos
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
É possível caminhar sobre o glaciar com guias, mas apenas para maiores de 12 anos





Presenciei quatro rompimentos durante a visita. Cada vez que uma parte de gelo se desprende, quem acompanha maravilhado sempre acaba esboçando uma reação de encantamento com a visão.

+ Viagem ao fim do mundo na Patagônia argentina

2 - Estreito de Magalhães

Estreito de Magalhães
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Estreito de Magalhães


El Calafate fica perto da fronteira com o Chile e recomendo cruzar os países de ônibus ou carro. Se você estiver viajando pela região mais ao sul da Patagônia argentina, vindo de Ushuaia (essa experiência fica para uma próxima matéria), por exemplo, recomendo passar pelo famoso estreito de Magalhães.

Estreito de Magalhães
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Estreito de Magalhães

O local é certamente uma das paisagens mais misteriosas que se pode ver: uma passagem natural entre os oceanos Atlântico e Pacífico de aproximadamente 600 km ao sul da América do Sul continental, ou, para muitos, no Fim do Mundo. Balsas para veículos e pessoas fazem a travessia tranquilamente.

Atenção: prepare-se para o vento, que costuma ser tão forte a ponto de transformar as nuvens em riscos brancos no céu. (Achei curiosa a semelhança com a bandeira argentina)

Vento desenha o céu de El Calafate e se assemelha à bandeira argentina - ou será o contrário?
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Vento desenha o céu de El Calafate e se assemelha à bandeira argentina - ou será o contrário?


+ Conheça Ushuaia, na Patagônia argentina

3 - Boa cerveja artesanal

Vale a pena provar a cerveja da região patagônica
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Vale a pena provar a cerveja da região patagônica


A região possui cervejarias próprias, uma delas é a Chopen e recomendo a Negra Patagônica.

4 - Medialunas com calafate

Medialunas
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Medialunas


Calafate é o nome de um arbusto (Berberis microphylla) da região.

Arbusto de Calafate
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Arbusto de Calafate


Com a frutinha, que é doce e azedinha, é possível fazer doces e geleias muito saborosos, que são acrescidas às tradicionais medialunas, pães folheados argentinos que se assemelham a croissants. Em outras regiões da Argentina, o pão é saboreado com mel ou doce de leite.

5 - Fazendas de ovelhas

Estância 25 de maio
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Estância 25 de maio


Em 17 mil hectares de campo, a Estancia 25 de Mayo cria ovelhas e oferece a experiência de estar cercado por elas, além de participar da tradicional tosa. Uma roda em torno da fogueira alimenta conversas sobre o estilo de vida tropeiro, com café e mate.

Rodas em torno da fogueira
Arquivo pessoal/Patricia Moraes
Rodas em torno da fogueira